Tag: feminismo

07.07.17

Kelly Clarckson rebate seguidor que a chamou de Gorda!

Kelly Clarckson estava comemorando o 04 de Julho no Twitter, ao postar sobre a Independência dos EUA seus seguidores começaram a responde-la dentro do tema, mas apareceu um engraçadinho que disse: “Você é gorda” e ela imediatamente o respondeu dizendo: “E continuo sendo muito incrível”.

via GIPHY

Em 2015, Clarkson já havia rebatido críticas de que estaria acima do peso. Principalmente, por ser uma pessoa pública. “Eu sou incrível! Não me incomoda. É um mundo livre. Diga o que quiser(…) Eu não procuro pela aceitação dos outros(…) Você pode amar ou você pode odiar. Há muitos artistas por aí”, ironizou. (daqui)

A gente já sabe que ser GORDA é apenas uma característica física, mas muitas pessoas insistem em usá-la na tentativa de nos ofender. Não tenho dúvidas de toda a pressão que Kelly sofre para emagrecer, inclusive já emagreceu algumas vezes, mas gorda ou magra ela é incrível e eu fico feliz que ela saiba muito bem disso.

Para ilustrar essa afirmação eu trouxe seis looks maravilhosos que ela já usou nos palcos, para a gente admirar e até copiar quando precisar arrasar. *_*

 

 

Todo corpo merece ser respeitado e amado independente da sua forma, nossos corpos são mutáveis e podem hoje estar gordo e meses depois magro, assim como pode acontecer ao contrário. O que importa é sabermos que o tamanho de um corpo é apenas o tamanho de um corpo, e isso não interfere na capacidade dele.

Depois de mais esse exemplo, a gente não pode se esquecer do quão incríveis somos.

05.07.17

Campanha do Agasalho GG+ – Doar para outros gordos é importante.

Nesses dias frios, somos sempre mais lembrados do quanto pessoas em situação de vulnerabilidade sofrem com a falta de roupas, em muitas cidades e associações já é comum vermos campanha do agasalho. É sempre importante tirarmos aquelas peças paradas no nosso armário para doar a quem mais precisa, mas no inverno essa necessidade é ainda mais urgente.

Com toda a divulgação dessas campanhas, nos motivamos (ou deveríamos) e doamos também roupas que não usamos mais, porém, existe um ponto que considero muito importante alertar para quem nunca pensou sobre.

Quando doamos nossas roupas para uma pessoa menor que a gente, é possível que ela as use grande mesmo e sem nenhum problema, mas quando uma pessoa gorda só recebe doações de roupas que são pequenas para seu corpo, infelizmente não tem como usar.

Sabendo disso, eu convido vocês a serem mais atentos ao doar suas peças, tentar, sempre que possível, doar para pessoas gordas que estão precisando e quando doarem em ONGS, é legal dar essa dica, de que privilegiem as pessoas maiores por conta dessa dificuldade.

Não se trata de não querer ajudar magros, se trata de dar preferência em ajudar quem tem ainda mais dificuldade de conseguir ajuda.

Ser uma pessoa que se veste de doações apenas já não é nada fácil, quando se trata de uma pessoa gorda, essa dificuldade é ainda maior. Se nós, que podemos comprar, já passamos aperto para achar o que serve, imagine quem precisa esperar por doações?

Vem fazendo frio demais nos últimos dias, vamos aproveitar para pegar aquele casaquinho que a gente não usa faz anos e doar para quem mais precisa? Façamos uma Campanha do Agasalho GG+, alertando a outras pessoas gordas da necessidade de doar para outros gordos também.

Cada um de nós é capaz de proporcionar um pouquinho de calor para quem mais precisa.

12.06.17

Amor é algo muito além de qualquer padrão!

No sábado, enquanto eu passeava pelo Instagram parei na conta da marca Psil Plus  que ainda era desconhecida para mim, e quase surtei de felicidade com o que vi (pode parecer exagero, mas não foi, eu realmente fiquei muito empolgada), pedi na mesma hora autorização para usar as fotos aqui no blog.

Eu nem tinha planos de falar sobre o Dia dos Namorados, mas ao ver as foto eu senti que precisava trazer elas hoje para o blog, para lembrar a todas vocês que o AMOR é algo muito além de qualquer padrão.

amor amor

Eu não sei o que vocês acharam desses lindos, mas eu achei que a Bia e o Fe formam um casalzinho tão fofo que vocês mereciam ver esse monte de foto da cumplicidade deles. <3
Sei perfeitamente toda a dificuldade de uma mulher gorda em se manter em relacionamento sério, mas a Bia está aí felizona nos mostrando que o amor existe e uma hora ele acontece para todo mundo.

Desejo um feliz dia dos namorados para todos vocês que acompanham o blog, independente do estado civil, quem é solteiro também pode e deve ter um dia feliz hoje.

Mas agora vamos falar só da Bia? Sim vamos!Confiram mais essas fotinhas. <3

qualquer padrão

 

Além das fotos de casal, a Bia também fez o lookbook da marca Psil Plus e sabem o que achei mais incrível? Em momento nenhum foi mencionado que a Bia é “especial”, não foi preciso dizer que ela tem um cromossomo do amor, pois está visível no brilho dela.

Eu vivo lutando aqui no blog para a inclusão de gordas com manequins maiores, já briguei também por inclusão de gordas negras, mas eu nunca cheguei a pensar que a gente já estava evoluído ao ponto de termos uma modelo plus size brasileira com Síndrome de Down.

Ameiii descobrir que já temos e ela já está arrasando e representando tantas outras meninas (que ainda são esquecidas pela moda/mídia), inclusive a Bia super me representa e estou desejando vários dos looks que ela usou.

Eu  quero ver a Bia brilhando sempre na Psil Plus e também em outras marcas, falando na Psil Plus eu adorei as peças e os preços da marca, vale a pena clicar aqui e conhecer melhor a loja.

 


*Este post não é patrocinado, foi totalmente motivado por essas fotos lindas. 

30.05.17

Lizzy Howell – A bailarina gorda que se tornou hit da web!

No início do ano me deparei com um vídeo no insta com uma bailaria gorda que arrasava na pirueta, imediatamente eu postei aquele vídeo e pude perceber que mais pessoas também tinham amado a desenvoltura dela.

Vc pode ser e fazer tudo o que quiser. ? Via @reveldancewear o perfil dela é @lizzy.dances. ?

Uma publicação compartilhada por Kalli (@belezasemtamanho) em


Nos poucos meses que se passaram desde que a conheciaquela mocinha que eu tinha me encantado, virou um grande fenômeno e hoje tem mais de 100 mil seguidores no instagram e está inspirando um montão de gente.

Lizzy Howell tem apenas 16 anos e já prova diariamente (com fotos e vídeos), que todos os corpos são aptos a fazer qualquer coisa que quiserem. Sabemos que o mundo do ballet exige mutias vezes corpos magros e até exclui as gordas, mas Lizzy está mostrando ao mundo todo que todo corpo é um corpo de bailarina.

A bailarina gorda tem feito tanto sucesso que chamou a atenção da varejista Target, que a escolheu para estrelar a campanha da linha de roupas esportivas C9 Champion, desenvolvida para todos os tamanhos de corpo.

Em apresentação solo ou ao lado de outros atletas (com corpos que não costumamos ver em propagandas relacionadas a esportes), Lizzy faz piruetas e saltos perfeitos. Confiram no vídeo toda a sua habilidade com a dança:

Além de ser bailarina, Lizzy faz jazz e sapateado quarto vezes por semana. E ainda tem quem diga que gordos são sedentários, é  sempre bom lembrar que pessoas são sedentárias em vários tipos de corpos.

Ela sempre demonstra em suas postagens que é ótimo representar a diversidade na dança, mas espera que um dia não haja mais necessidade de ter representantes para isso.


Não só Lizzy, mas todas nós (pessoas que militam pela naturalização do corpo gordo) queremos que a sociedade entenda que formato de um corpo não tem influência nenhuma sobre a capacidade dele.

Todas as pessoas (em todos os corpos) podem tudo o que quiserem.

 

 

 

09.05.17

Preconceito não é opinião!

A internet é um mundo paralelo maravilhoso (no meu ponto de vista), mas ela dá “poder” para as pessoas fazerem o que quiser, a parte ruim é que muitas pessoas escolhem despejar seus preconceitos (que julgam ser opiniões) nas mais diversas situações e isso é algo muito assustador.
Ao abrir qualquer matéria em grandes sites, é possível ver que nos comentários 90% são de pessoas que entraram exclusivamente para julgar e reclamar de algo, muitas vezes nem tem relação nenhuma com a pauta.
Em uma escala bem menor, o blog (incluindo as redes sociais), também é brindado com esse tipo de “opinião” constantemente. Como não aceito comentários anônimos e como o assunto do blog as pessoas ainda acham que tudo bem julgar (ainda não é comum processos relacionados a gordofobia) e vez ou outra vira um show de horrores.
Ontem foi um desses dias, eu postei uma foto que eu considero lindíssima com uma representatividade maravilhosa do amor, da vida e com uma mulher gorda.

Algumas seguidoras resolveram dar “sua opinião” que exalava preconceito. Disseram que a foto era feia, que era desnecessária, que nudez do corpo é ruim e outros comentários do tipo, mas o pior é que mais uma vez resolveram começar a julgar a saúde da moça da foto.

Essa é a foto em questão… Eu não consigo achar nada menos do que LINDA!

A Thais Carla que é uma dançarina sensacional, um pouco do trabalho dela pode ser visto aqui

Não existe nenhum meio de se medir a saúde de uma pessoa só observando seu corpo, não existe limite predefinido do que é um gordo saudável e um gordo doente, isso não é medido em balança nem em fita métrica.

Parem hoje mesmo de julgar a saúde alheia, saúde é algo pessoal e ninguém deveria se intrometer nisso.

Se vocês conseguem julgar a saúde de alguém só olhando uma foto, eu indico patentearem o método (contém ironia). 

Vamos entender que opinião que já define um só jeito de ser/fazer, nada mais é do que um preconceito “disfarçado”.