Tag: empoderamento

19.01.17

Saúde em Todos os Tamanhos – Health at Every Size

Muitas pessoas sofrem ao procurar serviços de saúde por terem medo de serem hostilizadas por conta do seu peso. Esse medo infelizmente é real. Isso não acontece unanimemente, mas é comum.

Em minha experiência como nutricionista há mais de 8 anos, não é raro ouvir histórias de, no mínimo, falta de sensibilidade e, no máximo, de discriminação de pessoas gordas. Essas histórias são dos mais variados profissionais, serviços particulares e públicos, com homens e mulheres, em todas as faixas etárias e no mundo todo.

Em resposta a isso, surgiu há menos de 20 anos atrás um movimento conhecido como Health at Every Size (HAES; a tradução seria algo como Saúde em Todos os Tamanhos). Os profissionais que seguem essa filosofia seguem 5 princípios básicos.

  • Abordagem inclusiva do peso: aceitar a diversidade de corpos existentes e rejeitar a idealização ou patologização de determinados tipos físicos; 
  •  Focar na melhora da saúde: olhar para a saúde de maneira ampliada (e não apenas como peso), considerando fatores tanto biológicos, psicológicos, sociais, econômico, políticos, entre outros; 
  •  Cuidar com respeito: reconhecer os preconceitos sociais existentes e trabalhar para o fim da discriminação em todos os âmbitos da sociedade; 
  •  Comer para o bem-estar: promover o comer de forma flexível, individualizada, baseada nos sinais de fome e saciedade, necessidades nutricionais e prazer, ao invés de dietas com foco em perder peso;  
  • Movimentar-se para melhorar a qualidade de vida: apoiar atividades físicas que possibilitem pessoas com quaisquer tamanhos, habilidades e interesses em participar de uma atividade que movimente o corpo de maneira prazerosa.

Esse conceito é ainda pouco popular no Brasil. Mundialmente as pessoas que trabalham sob essas diretrizes se denominam size friendly (não há uma tradução muito boa para esse termo, seria algo como amigáveis em relação ao peso/tamanho).

Aos poucos a comunidade científica vai mostrando que abordagens nessa linha produzem resultados de saúde muito bons à longo prazo.

Por exemplo, um estudo publicado em 2015 por um grupo de pesquisadores brasileiros trabalhou com 15 mulheres com obesidade*. Ao longo de 1 ano, elas se encontravam periodicamente com profissionais size friendly para melhorar o bem-estar. Ao final do estudo elas relataram estar mais fisicamente ativas, percebendo melhor seus corpos, inclusive fome e saciedade, evitando o comportamento restritivo em relação a alimentação (exemplo: preciso deixar de comer massas), entre outras melhoras. Além disso houve uma mudança discreta no peso corporal.

É realmente muito bom saber que cada vez mais profissionais da saúde (embora ainda sejam poucos aqui no Brasil) estão conhecendo a HAES e se realmente ajudando pessoas gordas a cuidar da sua saúde dignamente, sem sofrer discriminação.

Algumas dicas importantes de um profissional da saúde size friendly:
Quando precisarem de um serviço de saúde (seja nutricionista, dentista, ginecologista, etc.) procurem por um profissional que não as discrimine;

Não ache a discriminação normal – piadas/broncas sobre o seu peso, cadeiras que não suportam seu peso, culpabilização do seu peso por qualquer problema de saúde, etc.

Reclamem! Se você estiver usando um serviço do SUS (Sistema Único de Saúde) existe a ouvidoria, basta ligar para o número 136 e registrar sua reclamação (ou elogio/sugestão). Caso esteja em um serviço particular, pode usar a ouvidoria do convênio, ou mesmo fazer uma avaliação negativa em uma de suas redes sociais (ou uma positiva, caso você tenha se sentido vem).

Eu desejo que todas as pessoas que estão lendo esse texto possam ir a um serviço de saúde e se sentirem cuidadas de verdade, não importando seu tamanho ou peso!

*O termo “obesidade” foi usado quando falamos do estudo por se tratar de uma medida específica de peso e altura das mulheres que participaram da pesquisa.

10.01.17

Verão sem Neuras

Este ano o nosso #ProjetoVerãoSemNeuras deu uma evoluída básica haha, para começar eu encurtei a hashtag e o nome em si, agora vocês vão ver nas imagens apenas Verão Sem Neuras. O corte foi mesmo para focar no objetivo, que é viver o verão em sua plenitude com o corpo que temos.
Outro ponto é que depois de 4 anos apenas no Facebook, agora temos um Instagram só para a postagem das fotos é o @veraosemneuras e já tem um monte de linda por lá.

O últimos meses foram complicadinhos para mim e acabou que ainda não tinha conseguido vir contar sobre essas novidades, e convidar vocês todas para participar, é sempre muitooooooo legal ver vocês inspirando e se inspirando através do #VerãoSemNeuras.

 

O projeto #VerãoSemNeuras só existe e é sucesso nos últimos 5 anos por causa de vocês, sem vocês ele não teria a menor graça, então eu aguardo a foto de todassss para eu poder compartilhar no Instagram e no Facebook.
Precisa ser foto de biquíni? Claro que não, precisa apenas ser foto curtindo o verão da forma que você se sente confortável, o que não vale é ficar em casa passando calor.
Para quem ainda não se sente livre para curtir, eu indico que clique aqui e leia este texto que foi o motivador de tudo isso. *_*

Como está sendo este verão de vocês, já se sentem merecedora de curtir?  Espero que sim, pois este é o foco. <3

05.01.17

Gordas que arrasam com Cabelos Coloridos

Oi gente! Eu estou um bom tempo sem escrever aqui, com isso acumulei algumas dívidas, uma delas era falar de meninas com cabelos coloridos! No ano passado eu decidi pintar meu cabelo de rosa, era um sonho de infância, por isso decidi não continuar adiando. Eu gostei da experiência e um dia posso escrever para vocês mais sobre ela (Mais dividas!), mas hoje vou falar de três meninas lindas e de suas experiências do lado colorido da força! Convidei três meninas lindas, com cabelos maravilhosos que me encantaram:

• Jessy Lehmert, 23 anos de Jaraguá do Sul-SC https://www.facebook.com/rarabiscadawww.instagram.com/rarabiscada www.youtube.com/tattooandplay

• Jaqueline, 23 anos de Rio Claro-SP https://www.facebook.com/jaqueh.mrs?fref=ts


• Néli, 25 anos do Rio de Janeiro – RJ https://www.facebook.com/lolaxvicious

Todas três usam cabelo colorido já tem muito tempo, uma coisa que se destacou para mim foi a Jessy, que passou por transição capilar, ela sentiu necessidade de mostrar que seu cabelo poderia ser cacheado e colorido, e ficou um absurdo de tão lindo.  Como todas as coloridas, elas escutam algumas coisas chatas, a mais padrão de todas é: o seu cabelo vai cair! Vai ficar careca! Tá estragando o cabelo! Eu particularmente detesto essas gracinhas e também escuto muito. Mas é claro que também tem a galera que apoia, elogia ou que ao menos não se mete. O que já é bom. A Jaqueline morou um tempo nos EUA e lá ela recebia muitos elogios, conseguia se sentir uma estrela com seu cabelo colorido. Aqui no Brasil ela ainda recebe alguns elogios, muitas pessoas perguntam sobre o cabelo e ela vê que as crianças ficam encantadas, mas infelizmente ainda esbarra com alguns conservadores que fazem cara feia, ou como a Néli disse: olham como se fosse um alien. Mas olhar torto é o de menos, triste é quando acham que podem te ofender. A Jessy que mora em uma cidade pequena acaba sendo vítima de ofensas, em uma delas falaram: “já chama a atenção por ser enorme de gorda e ainda quer chamar mais ainda a atenção com esse cabelo de bombril colorido”. Mas ela não levou esse desaforo para casa, rolou um barraco básico. Infelizmente o cabelo colorido ainda afeta muito na hora de encontrar emprego, a Néli é professora de arte, e ainda assim ela se viu obrigada a mudar a cor do cabelo algumas vezes por conta do seu trabalho. É o preconceito nosso de cada dia, como a Jessy falou: “Imagina você: eu gorda, toda tatuada, com esse black power super colorido, piercing na cara indo procurar emprego?” Mas em compensação na vida pessoal as meninas acreditam que o cabelo colorido só afeta positivamente. Elas disseram que se sentem mais bonitas, mais confiantes, com a personalidade mais marcante, mais felizes mesmo e também gostam de despertar a atenção e de com isso conquistar algumas pessoas que se identificam com o estilo delas. Vocês acham que elas são felizes com seus cabelos coloridos? Sim ou com toda certeza? A Jaqueline só mudaria a cor por algo muito extremo, a Néli só por conta de um emprego e a Jessy disse que só se enjoar (já vi que vai demorar).

Esse ano tivemos a primeira modelo plus size desfilando no São Paulo Fashion Week, e para nossa alegria é uma modelo colorida e lindíssima. Eu me senti extremamente representada! Então perguntei as meninas como elas se sentiram vendo a Bia Gremion arrasando na passarela do SPFW:


“Sinto que aos pouquinhos a gente vai ganhando espaço. Agora é só esperar o mundo me notar pra eu sair sambando assim na vida também! HAHAHAH” Jessy

“Olha, ver a Bia ontem desfilando me emocionou, mas nem foi tanto pelo fato do cabelo colorido em si. Eu já estou muito acostumada com cabelos coloridos e não vejo mais tanto como algo revolucionário, pra mim é bem normal. Mas, ela em si ali, foi impactante. Fez não só meu dia, mas como todo esse ano um pouco mais bonito e importante. Tem GORDA na passarela!! Mas claro, aquele cabelo dela é maravilhoso, então só contou mais pontos pra embelezar tudo!” Jaqueline

“A Bia é um amor! Sempre admirei ela desde que a conheci. Acho incrível pelo fato dela ser gorda, colorida então é outro sucesso. Acho super normal, pra mim o cabelo colorido é quase natural.” Néli
Falar com essas meninas foi muito inspirador, eu amo ver essa geração de mulheres empoderadas, que se assumem e assumem o que gostam, ser gorda é resistência e ser colorida também, todo dia que você saí na rua a sociedade te aponta e quando isso não te faz correr em uma farmácia para comprar um remédio milagroso para emagrecer e uma tinta castanha para o cabelo, você está resistindo. E ver que apesar disso essas meninas estão felizes e se amando, ver tantos relatos positivos, isso me motiva. E para motivar mais ainda vocês eu pedi que cada uma enviasse um recadinho:

“Nunca desista de ser quem tu é, nunca desista dos teus gostos ou sonhos porquê dessa vida não se leva nada… APROVEITE cada dia como se fosse o último da sua vida porque afinal… Quem garante que não vai ser hoje? VIVA, não exista. E se precisar de amor pode vir que a tia Jessy tem de sobraaaa!” Jessy
“Eu nunca tive problemas na questão > gordos com cabelo colorido < porque eu já comecei desde muito nova a colorir ele, mas eu sei que existem pessoas gordas e também pessoas negras que sempre me falam “mas isso não combina comigo”. Combina sim ❤ qualquer corte, tipo ou cor de cabelo combinam com você se você se sentir bem e feliz com isso! Pode ter negra gorda de cabelo rosa, azul, amarelo, branco, etc! E não faltam exemplos aí pela internet de como fica maravilhoso. O cabelo é nossa tela em branco que se a gente erra, em pouco tempo a gente tem outra ali pra pintar do jeito que a gente quiser de novo! Nosso corpo é nossa propriedade. Divirta-se com ele!” Jaqueline
“Seja quem você quer ser, e tenha orgulho de ser essa pessoa. Porque não importa o que os outros digam, você se amando e sendo feliz é o mais importante e o que vai mais te trazer felicidade.” Néli

Tem vontade de ser colorida? Se joga!

17.12.16

Fluvia Lacerda na Playboy brasileira!

Hoje, logo que acordei, uma amiga me marcou em uma matéria que contava uma super novidade, vamos ter Fluvia Lacerda na Playboy e ela vai ser na CAPA, com direito a fotos nuas.
Sei que para muita gente esse tipo representatividade é vista como algo negativo, mas eu sigo acreditando que precisamos ocupar todos os lugares, até aqueles que nem deveriam existir mais. Somos uma parcela mínima de mulheres que já se reconhecem como bonitas e sensuais, a maioria das gordas ainda se julgam feias por causa dos seus corpos. Ter alguém como a Fluvia na capa de uma revista masculina, acaba fortalecendo a autoestima de muitas delas.

Fluvia Lacerda na Playboy

Fluvia, nossa diva máster e uma das modelos plus size mais requisitadas do mundo, escolheu fazer suas fotos na Amazônia que é sua “terra” do coração.  Por enquanto, o ensaio não está disponível, mas a Fluvia Lacerda é sempre tão maravilhosa que separei mais fotinhos dela com looks diversos, mostrando aqui o motivo pelo qual ela é a primeira mulher com medidas plus size a estar na capa da Playboy.

Uma mulher linda e segura de si é a melhor definição para a Fluvia e não poderia ser outra a estar no lugar dela. <3

Em entrevista ao jornalista Bruno Astuto (aqui) ela declarou: “A base do meu trabalho é apoiar essa revolução feminina no planeta, essa é minha luta. O meu discurso é que as pessoas precisam se aceitar do jeito que elas são. A vida é muito curta para se importar com padrões impostos. Temos que viver, não nos importar com paranoias e reformatar esse aprendizado eterno, essa perpetuação de automassacre que aprendemos de geração em geração.”

Muito mais que uma mulher linda, a Fluvia sempre foi uma pessoa que deixou claro seu amor próprio e incentivou as pessoas a se amarem do jeitinho que são.

Eu sei e ela também sabe toda a problemática da objetificação do corpo feminino em revistas masculinas, mas sabemos também que em toda revolução é preciso dar a cara a tapa e fazer o que nem sempre é considerado “correto”, mas sim, o que permite quebrar um novo paradigma.

Que essa edição seja um sucesso e que outros tipos de corpos possam invadir as capas da revista, forçando a mídia a entender  que sim: todo corpo é lindo.

 

01.12.16

Toda Beleza Importa

Na minha vida e no blog eu sempre deixei claro que acredito nas mais variadas formas de beleza e que cada um deve reconhecer a sua, mas eu sei muito bem (infelizmente), que para a mídia em geral só existe um “padrão de beleza”. Foi por ter essa certeza de que toda beleza importa, quando vi a Thais (blog GrandEstima) postando um ensaio que questionava exatamente isso eu quis logo trazer para o blog.

Saibam mais sobre o ensaio: “Não existe beleza que não pode ser representada. Esse é um dos lemas do projeto DUO: A minha beleza importa! Com o objetivo de valorizar o afro empreendedor e diferentes belezas, a ideia principal foi pegar duas mulheres que não são modelos e não estão habituadas a viver nesse ambiente de câmera e poses, e transformá-las para que mostrassem ao mundo que é possível sim ficar bonita com as roupas que estão sempre expostas em manequins, e que não existe regras para se vestir confortável e arrasar!!!!!”

Confiram abaixo as fotos desse ensaio lindo e cheio de representatividade.

duo-a-minha-beleza-importa-6

duo-a-minha-beleza-importa-2 duo-a-minha-beleza-importa-3 duo-a-minha-beleza-importa-4 duo-a-minha-beleza-importa-5

 

duo-a-minha-beleza-importa-10

duo-a-minha-beleza-importa-7 duo-a-minha-beleza-importa-8 duo-a-minha-beleza-importa-9
duo-a-minha-beleza-importa-1

 

Créditos:

FOTOGRAFIA: MelIssa Santos

ACESSÓRIOS: AfrotiK Acessórios

ROUPAS: Magnólia’s

MODELOS: Danusa Pio e Thais Ulrichsen

A mulher negra e a mulher gorda são sempre preteridaa em publicidades, não aceitam que algo que saia do “padrão” esteja em um local que é destinado para pessoas bonitas. Graças a toda essa nossa luta e empoderamento feminino cada vez maior, hoje uma grande parcela das mulheres já sabem que toda beleza importa, inclusive a nossa própria beleza.

Eu amei as fotos e as meninas são maravilhosas, mas quero que vocês aproveitem esse post para nos contar: Sua Beleza Importa? *_*