Tag: empoderamento

19.10.17

Por que as mulheres gordas tem “obrigação” de serem hiper femininas?

Uma mulher magra pode vestir um jeans e uma t-shirt básica, prender os cabelos e ir trabalhar tranquilamente com aquele visual “acabei de sair da cama”. Mas as mulheres gordas muitas vezes precisam estar maquiadas, bem alinhadas, com o vestido perfeito e necessitam de um penteado ideal.

hiper femininas

Este era basicamente o visual de 99% das fotos da  Tess quando ela surgiu, era linda também, mas totalmente montada e com fotos super editadas. 

Já olharam ao redor (ou no instagram) e notaram que as gordas mais “descoladas” e “famosas” estão sempre muito produzidas? Vamos além e olhem os stories de blogueiras gordas e blogueiras magras e vai perceber que no dia a dia as magras não ficam justificando não estarem maquiadas e penteadas, já as gordas em sua maioria ou estão de acordo com o esperado ou estão se justificando por não estarem ali “perfeitas”.
Se pararmos para analisar somente os looks, vamos ver que as mulheres gordas estão sempre vestidas de forma impecável com roupas que em geral são produzidas de modo que “moldam” nossos corpos e os transformem sempre em algo mais feminino e menos gordo… ou ao menos, que visivelmente não demonstre o que a sociedade trata como imperfeição (barriga/celulite/ dobrinhas).

  Print do Google imagens quando busquei “Nicolette Mason looks”
Nicolette Mason é uma blogueira plus size super famosa, a única gorda que figura nas listas de tops influenciadoras de moda em geral.

Já se formos analisar looks de mulheres magras vamos perceber que tudo é muito mais simples e prático e bem parecidos entre si. Para mulheres magras tudo bem usar um jeans qualquer com uma blusinha podrinha, ou um vestido de malha soltinho. É clean, é minimalista, é casual sem se importar. É fashion. Para elas está liberado a “tendência de ser/parecer preguiçosa para se vestir e arrumar”, aquele visual clean do tipo “eu nem ligo, acordei e saí assim”; para as meninas gordas isso ainda é visto como sinônimo de desleixo e descuido.

Print do Google imagens quando busquei “Chiara Ferragni looks”
Chiara é considerada a mais influente blogueira de moda do mundo, é a top em várias listas sobre o assunto. 

Vale aqui ressaltar que mulheres negras magras também são mais cobradas pela aparência, um exemplo é a questão dos cabelos que só recentemente puderam libertar sem serem tidas como “sujas” e “preguiçosas”. Então é válido que a gente entenda que a cobrança maior está diretamente relacionada em não estar no padrão de beleza vigente que é branco e magro.

Quando nós gordas nos mantemos montadas, com looks e makes impecáveis, é inegável que seremos mais bem aceitas pela sociedade em geral. Nós precisamos “recompensar” as pessoas por nosso corpos, e quanto mais a gente adere a hiper feminilidade mais perto do padrão aceito ficamos.
Esse excesso é uma “garantia” de não sermos vistas como feias ou desleixadas, ninguém julgaria assim (mentira, algumas pessoas são hater e julgam sim) uma mulher que visivelmente teve trabalho para estar ali com aquela imagem daquele momento. Mulheres arrumadas de acordo com o padrão estético exigido são vistas de forma muito mais positiva em qualquer corpo, mas para as gordas o não estar nesse padrão é também não alcançar respeito social.

Não tem nada de errado em gostarmos de estar sempre bem vestidas, bem maquiadas e com os cabelos impecáveis. Quando questionamos esse excesso não é no sentido que não devemos ser assim, o que não deveria acontecer é essa NECESSIDADE de ser assim para ser mais bem aceitas pela sociedade no nosso dia a dia. Acredito que existam mulheres que tem prazer real em se montar todos os dias (embora eu não seja uma delas hahaha), e elas tem todo o direito de fazerem isso.
Mas a gente que não gosta, precisa questionar e parar de se esforçar para se encaixar nesse estereótipo de gorda aceitável. Não tem como falarmos de aceitação corporal de forma plena se para isso é preciso usar a roupa X e a maquiagem Y.

Nosso corpo não deve/ pode ser moldado pelo que os outros pensam de nós, hoje a mulher gorda é muito mais bem vista que uns anos atrás… mas qual mulher gorda? Sim! A Mulher GORDA que está sendo bem aceita é aquela que demonstra hiper feminilidade (se possível, num perfeito corpo ampulheta, com cinturinha violão e sem barriga – ou numa roupa que a faça parecer assim).

Nós todas que lutamos por maior inclusão do corpo gordo (inclusive quem curte a hiper feminilidade), precisamos reconhecer que existe essa imposição de excesso de feminilidade nas mulheres gordas e questionarmos e mostrarmos que não é preciso se moldar o tempo todo. Não precisamos nos vestir apenas com a moda Pin Up (que disfarça) ou com peças ultra justas que nos tornam mais curvilíneas, existe um mundo de possibilidades na moda e nós também podemos usar o que quisermos.

É importante que a gente tenha ciência que merecemos respeito com qualquer roupa que estivermos, seja vestidas de gala ou a camiseta da nossa banda favorita, nós continuamos sendo a mesma pessoas e não deveríamos ter a nossa saúde e costumes questionados por concluírem que nos vestimos de forma desleixada.

Mais uma vez ressalto, que não há nada de errado com a feminilidade. Errado é a exigência que nós mulheres gordas sofremos para estar sempre hiper femininas.
Assim como todas as mulheres a nossa feminilidade deve desrespeitar apenas a nós.

Vocês já tinham percebido essa questão?

Vamos conversar sobre aqui nos comentários. *_*

 

* Este texto foi indicação de uma leitora, que foi a primeira a ler e me ajudou a finalizar.

** Para saber mais sobre o assunto indico este texto (aqui) completo sobre o tema em inglês.

05.10.17

Ela foi demitida após as fotos que realizou com seu noivo.

Já imaginou fazer fotos que celebram seu amor e seu corpo e vir a ser demitida por conta disso? Infelizmente isso aconteceu essa semana.

Stephanie e seu noivo, fizeram um ensaio de casal onde ela vestia apenas calcinha, mas também não chegava a expor os seios (é seios ainda é tabu). As fotos acabaram viralizando nas redes sociais, pela mensagem de aceitação corporal, amor e cumplicidade.

 

 

Essas fotos ficaram lindas demais. *___*

O resultado imediato foi muito positivo, e eu pude ver essas fotos no meu feed várias vezes, muita gente se sentindo inspiradas e encantadas com as fotos. Com toda a repercussão, ela acabou sendo demitida do seu emprego. (leia aqui)

Eu não sei vocês, mas eu fico chocada ao saber sobre uma notícia como essa. É inacreditável que alguém perca seu emprego por conta de fotos pessoais.

A demissão por si só já é péssimo, mas nesse caso chama atenção que só a mulher foi punida…

A gente sabe que vive em uma sociedade machista, mas fatos como esse são mais uma constatação dessa situação. Outro ponto é o fato de ser um corpo gordo, eu já vi muitos ensaios com mulheres “padrão” que não tiveram suas carreiras prejudicadas.

Nós vivemos em tempos de LIBERDADE (ainda bem), mas infelizmente o CORPO DA MULHER ainda é visto como algo absurdo que não pode ser mostrado (embora a pornografia seja consumido vorazmente).

Que a liberdade da mulher seja também algo real, não tem muita lógica a gente seguir sendo as únicas punidas com o machismo da sociedade em que vivemos.

 

Vocês já tinham visto essas fotos? Concordam que são lindas?

O que pensam a respeito dessa demissão? Contem-me tudo nos comentários. *_*

 

 

29.09.17

Eu Gorda – Olhar de Paulina

Eu amo fotos que retratam o corpo gordo em sua plenitude, acredito que essas fotos sejam muito importantes para a gente naturalizar nossos corpos e até mesmo conseguir se enxergar como um corpo sensual. E é por isso que mesmo entendendo a problemática da nudez feminina, eu sigo dando espaço aqui no blog para projetos maravilhosos de fotos de mulheres gordas.

Quero apresentar para vocês o trabalho da Milena Paulina, uma mina gorda que tem feito um trabalho maravilhoso com outras gordas. Ela lançou o Projeto Eu Gorda, que são fotos de meninas gordas super a vontade com seus corpos e a sua beleza. <3

Eu Gorda

Muitas meninas já foram registradas através do Olhar de Paulina, na galeria abaixo deixo algumas fotos que mostram um pouquinho deste trabalho.

Para conferir outras fotos acessem os seguintes links: Facebook|Instagram|Stampsy 

 

O Projeto Eu Gorda tem uma taxa bem acessível (150 reais) e já tem datas marcadas para acontecer em São Paulo, mas indico para quem tiver interesse que fique ligadinhas nas redes sociais, para saber datas em outras cidades e também novas edições em SP.

Como já disse no início do post, eu amo trabalhos assim e os considero muito positivo para as mulheres fotografadas e também para as outras mulheres que conseguem se ver nelas.

Achei as fotos da Milena Paulina super lindas e com uma sensibilidade incrível, consigo perceber que cada menina fotografada foi no seu próprio ritmo, e acho isso  maravilhoso.

Vocês já conheciam o trabalho dela? Gostaram? Contem-nos aqui nos comentários.

05.09.17

Autoengano!

Oieee,
Tudo bem?
Vou te falar uma constatação que sinceramente gostaria que fosse diferente… mas a realidade é, que em algum momento da nossa vida, a gente já se sabotou!
Tentamos nos convencer de algo e fizemos de tudo para enganar a nós mesmas; seja por um motivo sério ou banal. Tentamos acreditar que aquilo que estamos fazendo para nós mesmas é o melhor; mas muitas vezes é fuga, desespero ou punição. Nos enganamos acreditando que vamos minimizar uma dor…


Quem nunca fez isso que atire a primeira pedra!
Podemos entender o autoengano como um elemento de defesa psíquica que atua em socorro toda vez que a realidade é dolorosa.
Vou explicar melhor: Você está passando por um momento difícil na sua vida, estressada e tensa. E para aliviar essa dor, resolver essa situação, você come!
Come muito e compulsivamente porque se engana, achando que aquela comida te trará alivio e vai resolver seu problema. Acredita que o desconforto será sanado em cada mordida; acredita que o stress, a tristeza e a tensão serão digeridos garganta abaixo com mais e mais comida… A comida é uma “falsa” solução para algumas pessoas, há quem busque o alivio em outras coisas tão viciantes quanto o alimento, mas no final o sofrimento será igual ou pior.
É um grande engano, é o autoengano.


O autoengano pode ser minimizado por algo sabiamente criado pela natureza, e esse processo se dá através da tomada de consciência; ou seja, o autoconhecimento.
Assim, o autoengano é reduzido em escala significativa, diminuindo muito através do controle sobre os pensamentos e emoções. Quanto mais nos conhecemos, mais temos a chance de mudar o que é viável e amar o que é só nosso, nossa marca registrada!
Para que possamos ter uma vida plena, feliz e com a paz que merecemos, sem ficarmos encarcerados e reféns de nós mesmos, pois somos capazes de ter domínio das nossas emoções.
O crescimento emocional é um exercício diário de avaliação, percepção e vigília constante da realidade – sempre de forma positiva. Assim, ficamos fortes para enfrentar desafios e todas as emoções que o envolvem, sem que nos deixe cair em armadilhas e sem nos enganarmos.

 

 

 

Quer fazer parte da Lista VIP da Pri Coelho? Clique aqui: www.pricoelho.com.br/lista-vip

 

 

31.08.17

Gordas Metalizadas em um ensaio Maravilhoso!

A fotógrafa Silvana Denker realiza um trabalho maravilhoso com mulheres de corpos variados, já faz um bom tempo que ela tem promovido a aceitação corporal através de suas lentes em fotos diversas. Eu poderia falar do trabalho dela como um todo, mas eu amei tanto este ensaio com mulheres gordas metalizadas que eu necessito compartilhar esse montão de fotos com vocês.

 

 

São tantas fotos maravilhosas que precisei fazer uma galeria, não deixem de conferir todas elas. *_*

 

As fotos foram realizadas em mulheres de corpos diferentes, nenhuma delas tem o corpo magro “padrão”, eu acho maravilhoso demaisss ver o corpo gordo retratado de forma tão artística como aconteceu nessas fotos.

Sabemos que no passado a mulher gorda era constantemente retratada em obras de artes, ver um trabalho tão lindo como esse nos dias atuais é inspirador.

Eu não tenho nenhuma intenção que um dia o padrão de beleza seja novamente ser gorda, eu sonho com o dia em que o padrão de beleza será muito mais amplo, onde todos vão conseguir olhar fotos como essas e admirar sem nenhum tipo de preconceito.

Para conhecer mais o trabalho da fotógrafa eu indico acompanhar ela nestes links: FacebookInstagramSite.

O que vocês acham de fotos como essas? Contem-me tudo aqui nos comentários.