Tag: feminismo

09.05.17

Preconceito não é opinião!

A internet é um mundo paralelo maravilhoso (no meu ponto de vista), mas ela dá “poder” para as pessoas fazerem o que quiser, a parte ruim é que muitas pessoas escolhem despejar seus preconceitos (que julgam ser opiniões) nas mais diversas situações e isso é algo muito assustador.
Ao abrir qualquer matéria em grandes sites, é possível ver que nos comentários 90% são de pessoas que entraram exclusivamente para julgar e reclamar de algo, muitas vezes nem tem relação nenhuma com a pauta.
Em uma escala bem menor, o blog (incluindo as redes sociais), também é brindado com esse tipo de “opinião” constantemente. Como não aceito comentários anônimos e como o assunto do blog as pessoas ainda acham que tudo bem julgar (ainda não é comum processos relacionados a gordofobia) e vez ou outra vira um show de horrores.
Ontem foi um desses dias, eu postei uma foto que eu considero lindíssima com uma representatividade maravilhosa do amor, da vida e com uma mulher gorda.

Algumas seguidoras resolveram dar “sua opinião” que exalava preconceito. Disseram que a foto era feia, que era desnecessária, que nudez do corpo é ruim e outros comentários do tipo, mas o pior é que mais uma vez resolveram começar a julgar a saúde da moça da foto.

Essa é a foto em questão… Eu não consigo achar nada menos do que LINDA!

A Thais Carla que é uma dançarina sensacional, um pouco do trabalho dela pode ser visto aqui

Não existe nenhum meio de se medir a saúde de uma pessoa só observando seu corpo, não existe limite predefinido do que é um gordo saudável e um gordo doente, isso não é medido em balança nem em fita métrica.

Parem hoje mesmo de julgar a saúde alheia, saúde é algo pessoal e ninguém deveria se intrometer nisso.

Se vocês conseguem julgar a saúde de alguém só olhando uma foto, eu indico patentearem o método (contém ironia). 

Vamos entender que opinião que já define um só jeito de ser/fazer, nada mais é do que um preconceito “disfarçado”.

17.04.17

Tirem seus padrões do meu Empoderamento!

Outro dia, compartilhei no meu Facebook uma postagem, onde uma moça abordava o fato de se estar sendo criado um padrão para o empoderamento, pude perceber que mais pessoas também concordavam com ela. Infelizmente, ela apagou, eu perdi o compartilhamento e também a frase exata, mas ficou a semente da problematização e irei plantar agora por aqui hahaha.

Enfim, as mulheres estão donas de si e aprenderam que a beleza fora dos padrões midiáticos também é beleza e poder, hoje em, dia ter um feed de rede social cheio de mulheres fora dos padrões é maravilhoso, mas como todo excesso é prejudicial, já é possível percebermos exigências para comprovar empoderamento.
Se repararmos bem, vamos perceber que existem vários padrões sendo cobrados das pessoas “fora dos padrões” e isso é simplesmente ridículo.
Eu poderia citar vários casos que vejo, mas vou citar apenas alguns pontos que tenho percebido quando o assunto é GORDA EMPODERADA.
É preciso postar fotos com roupas justas, estar sempre impecavelmente maquiada, muitas fotos de biquíni, precisam inclusive postar semi nudes…para que sua sua autoestima não seja questionada zZZz, se ela se ama mesmo por qual motivo não se mostra?
Por outro lado, a galera que se encaixa nesse “padrão empoderado” fica numa luta constante de likes, se um dia posta uma foto de biquíni e faz sucesso, no outro ela posta com lingeries e no outro nua… Muitas vezes, a pessoa só faz isso para manter o “sucesso” e não por vontade dela exatamente e isso é bem triste de observar.
O que quero dizer é:
Parem de cobrar que a mulher gorda esteja sempre maquiada e super arrumada, parem de cobrar que as gordas estejam sempre sensualizando, parem de cobrar um padrão para quebrar padrão.
POR FAVOR, PAREM!

Imagem: Julia Bbusato Photography

É lindo ver uma gorda super produzida, é lindo ver uma gorda pelada, mas lindo mesmo é quando isso não vira imposição.

Nosso empoderamento é pessoal e não pode ser medido em fazer ou não fazer algo para postar nas redes sociais, até pq a vida não pode ser limitada ao que fazemos na internet, ao menos não deveria…
Não permitam que a imposição deste “novo padrão” atrapalhe no REAL empoderamento, nós podemos ser o que quisermos e isso não precisa e não deve ser baseado em likes e looks, é preciso que seja de dentro para fora, não o oposto.
É necessário que sejamos livres de qualquer padrão!

23.03.17

Você é o que dizem que você é?

A gente é ensinada a ser a vida toda várias coisas que nos disseram que deveríamos ser. Seja por nosso gênero, cor, forma física, aparência…

Um bando de estereótipos e preconceitos muitas vezes traçam para nós um destino. Muitas vezes esse caminho nem é o que a gente queria seguir.

Esse vídeo é sobre isso, sobre não nos deixarmos influenciar tanto pelo que esperam de nós, pelo que dizem que é o certo. É sobre incentivar pessoas, sobre saber que cada um de nós tem algo que sabe fazer bem, tem defeitos e qualidades. É sobre não julgar ou decidir sobre alguém pelas aparências, pelos padrões.

Enfim, nós somos muito mais do que disseram que seríamos, ou apenas diferentes daquele script que traçaram. E isso é muito bom.

Não é? E afinal, você é o que dizem que você é?

Quem gostou do vídeo, se inscreve no canal! 😉

07.03.17

Celebrando ser mulher

Mulher, nossas lutas são legítimas e são diárias. Infelizmente o feminicídio, as agressões, a missoginia e todas as injustiças que sofremos não tiram férias, logo o dia internacional da mulher não precisa ser um dia de luta, nossa luta não cabe em apenas um dia, mas como já disse, nossa luta é, e precisa ser, diária!

Então convido você mulher, independente de suas crenças e suas escolhas a utilizar o dia de hoje para se celebrar.
Celebrar às vezes que você se superou, as vezes que o mundo te disse não e você foi lá e fez. Todas as dificuldades que você viveu em seus relacionamentos, escolas, empregos, sociedade, quantas vezes você venceu tudo isso? Quantas vezes você demonstrou ser mais forte do que todos esperavam? Você merece sim ser celebrada!

E na sua família, e entre as suas amigas, quantas mulheres você conhece que foram subversivas, ousadas e principalmente vencedoras? Quantas merecem ser lembradas e quantas merecem que você diga: parabéns! Eu te admiro!

Pense em tudo que nossas antepassadas passaram para que hoje tenhamos as conquistas que temos e sejam gratas, pensem nas meninas de hoje e ajam de forma que elas também possam ser gratas no futuro.
Veja os belos exemplos e celebrem eles!
Quais exemplos lindos você consegue citar?
E você, já se celebrou hoje? Já se olhou no espelho e viu a mulher incrível que você é? Já pensou em tudo o que você viveu até aqui e em quantos elogios você merece?
Se elogie! Se abrace! Sinta a mulher maravilhosa que você é!
Se envolva no seu amor próprio, sinta como se esse amor pudesse te aconchegar, te aninhar, te proteger, como um grande utero, em que tudo o que vc sente é aconchego e amor. Sinta esse amor! Se acarinhe!


Seja grata pelo seu corpo, por cada parte do seu corpo, veja como você é perfeita até em suas “imperfeições”. Se ache linda! Veja toda a beleza que existe em você, celebre o seu corpo, celebre a sua beleza!
Você é maravilhosa com todas as suas particularidades, você traz a força das suas ancestrais, você é capaz de grandes coisas, todo o universo está agindo a seu favor, celebre sua vida, celebre ser essa mulher especial que você se tornou.
Se ame!
Agora com toda certeza você terá um dia da mulher muito feliz!

06.03.17

ResistARTE – SÉRIE DE EVENTOS PARA CELEBRAR E REFLETIR A LUTA DAS MULHERES

Estamos na semana do Dia Internacional da Mulher que é a época do ano que temos mais eventos dedicados a nós, recebi um release daqueles que me deu vontade de ir todos os dias e como não posso ir (odeio morar longe de SP), eu trago todos os detalhes para que vocês possam ir e curtir por mim também o ResistARTE.
No dia 09 terá uma roda de conversa com uma gorda maravilinda, descolada e sem tabus com seu corpo, que na certa vai fazer bonito lá e inspirar muitas mulheres. Confiram mais detalhes deste super evento que é feito de mulheres por mulheres.

Durante quatro dias, haverá shows com cantoras e bandas femininas, uma exposição de colagem apenas com artistas mulheres, performances, além de uma roda de conversas sobre estética e padrões de beleza. “Estamos vivendo um momento muito difícil, cercadas de ódio e ameaças. Por isso, resolvemos reunir várias mulheres para que elas possam expor seu trabalhos, suas ideias e, ao mesmo tempo, refletirmos sobre o que podemos fazer para mudar essa situação”, afirma a empresária Anna Gadelha, responsável pela Galeria Recorte.

Confira a programação:
Dia 7 de Março, a partir das 19h
Abertura da exposição “Há algo aqui”, organizada pelo Coletivo Piscina, plataforma criada pelas artistas Paula Franchi, Nataly Callai e Ana Luiza Fortes, para reunir e mostrar o trabalho de mulheres artistas. Nessa exposição, focada em trabalhos de colagem, trará trabalhos das artistas Ana Hortides, Anaïs Karenin, Colla GG, Gabriela Sánchez, Isadora Fernandes, Juliana Coelho, Laíza Ferreira, Maíra Ishida, Mariana Destro e Singh Bean.
Dá só uma olhada: http://cargocollective.com/piscina.
Perfomance ‘Empresto meus Ouvidos’, com a atriz Nina Santos, do Vagão Coletivo. Nina vai te convidar a falar, e só ela irá ouvir, sobre tudo que lhe vier à mente: denúncias, anúncios, fatos importantes ou amenidades. Aproveite: estamos em um momento que quase ninguém mais ouve ninguém.

Dia 9 de março, a partir das 19h
Roda de conversa sobre desconstrução dos padrões de beleza. A atriz e educadora Valquíria Rosa e a editora de vídeos Thaís Mayume vão trocar ideias sobre como, e porquê, as mulheres devem se libertar das amarras do bela, recatada e do lar.

Dia 10 de março, a partir das 19h
Perfomance com a atriz Agathá Hills. A artevista T de 23 anos vai trazer um pouco da poesia e da arte ‘nascida e cultivada no gueto’ para a Galeria Recorte. Atualmente no espetáculo Periferida, que conta as histórias de um menino gay que decide virar drag queen e de uma travesti, Agathá usa a arte como forma de lutar pela liberdade e segurança do povo T.

Dia 11 de março, a partir das 18h
Shows, muitos shows:
MILKEE – A cantora paulistana e feminista Milkee junta o hip hop com referências do rap e do hip hop. https://www.facebook.com/milkeeoficial/
DIZZY QUEEN e a banda Corazones Muertos farão um tributo a roqueira Joan Jett (cantora, guitarrista, baixista e uma das fundadoras da banda The Runaways). A vocalista capixaba e banda fazem um show explosivo e cheio de atitude. https://www.facebook.com/dizzyqueenrock?fref=ts
MOITA – Banda de mulheres da cena punk que usam e abusam de temas que abordam como gênero, política, cidade, racismo, lesbofobia, luta antifascista e feminista. https://www.facebook.com/dizzyqueenrock?fref=ts

Durante toda a programação, o Café Recorte vai trazer um cardápio especial para o ResistARTE, voltado para a saúde da mulher, com ingredientes como grão de bico, cardamono, brotos e cacau, que minimizam os efeitos das alterações hormonais nas diversas fases da vida. A saciedade – física e emocional – virá cheia de sabor.

E o dia 8?
Bem, no dia 8, estaremos na Marcha das Mulheres!

SERVIÇO
ResistARTE
Local: Galeria Recorte
Endereço: Rua Augusta, 829, Consolação
Horário de funcionamento: Terças a sextas, das 12h00 às 21h00 e Sábados, das 11h00  às 18h00
Site: www.galeriarecorte.com.br
Facebook: www.facebook.com/galeriarecorte
Evento: https://www.facebook.com/events/391908834504202/
Contato: 11 3368-9824 / 98200-080