Categoria: Gorda

16.08.17

Emagrecimento não deveria ser a maior vitória de ninguém.

No programa Masterchef de ontem, aconteceu uma situação deprimente (do meu ponto de vista), mas infelizmente muito comum de se ver. Levaram os 3 vencedores das edições passadas para o programa, no palco do maior programa de culinária da TV brasileira (assista aqui), cada um deles tiveram um tempinho para contar como está sendo a carreira após terem vencido. Enquanto uma participante contou todas as conquistas e cursos que realizou, outra participante declarou ter perdido 39 kgs e que agora tem uma empresa de quentinha low carb.

Conseguem perceber o quanto isso é absurdo? A mulher foi vencedora de um programa que abre mil portas, mas ela, juntamente com nossa sociedade doente, considera como grande vitória o emagrecimento, diminuindo toda a sua competência e colocando em evidência seu corpo magro.
Izabel sofreu muita pressão sobre seu corpo enquanto esteva no programa, várias ofensas gratuitas aconteceram nas redes sociais e é fácil de entender a decisão dela em emagrecer, afinal emagrecimento é pessoal e não tem o que se questionar, mas o que eu considero tóxico é ver uma mulher jovem, com uma carreira brilhante pela frente se resumindo apenas ao emagrecimento.
Toda essa fixação das pessoas por emagrecimento é fruto da Gordofobia que tenta a todo custo culpar e inviabilizar os corpos gordos.
Corpos são mutáveis, engordam e emagrecem várias vezes durante a vida, então, se apegar a um emagrecimento como grande vitória da vida é, no mínimo, algo muito vazio.

Que em um futuro próximo as pessoas parem de supervalorizar o emagrecimento, e se permitam demonstrar competentes em qualquer função, independente do corpo que esteja.

10.08.17

Vale a pena ir ao Hashtag Bazar Plus Size?

Eu recebo várias mensagens com essa pergunta do título, sempre conto a minha experiência e digo que vale sim. Mas resolvi convidar algumas pessoas do meu Facebook, que já estiveram no evento, para contar o que as motivam ir no Hashtag Bazar Plus Size, para que vocês que ainda estão com dúvidas tenha outras visões.

Confiram abaixo o que elas disseram. *_*

Bruna Dantas – 23 anos – Jornalista

Vou começar pelo mais óbvio: eu parei de procurar roupa no shopping. Eu sei que não sou a única que pegava várias roupas, levava para o provador e sentia vontade de chorar porque nada servia. Parece que nada nessas lojas é feito para nós. Então, eu simplesmente parei de procurar, e um dos motivos pra isso foi ter conhecido o Hashtag Bazar, que é um ambiente completamente oposto. Eu vejo várias roupas lindas e me sinto à vontade para pedir o meu tamanho, porque sei que vai ter.

Se não tiver, foi porque já esgotou, e não porque não fabricam o meu tamanho. As marcas presentes no Bazar são sempre incríveis, têm estilos diferentes, então dá pra agradar a todo mundo. Além disso, a simpatia do pessoal é sempre contagiante; lidar com marcas menores sempre vai ser mais prazeroso que com grandes lojas, pois você pode ver o carinho colocado ali naquelas peças. Ver tantas pessoas parecidas com você reunidas e felizes é incrível! Além das roupas, a programação sempre é empoderadora: apresentações de dança, debates, tudo pra mostrar que eu posso tudo, e você também. As comidas são sempre deliciosas! E vejo o esforço da produção pra trazer um evento cada vez mais amplo e variado. Por isso, ir ao Hashtag é uma experiência maravilhosa para mim, é um ambiente em que me sinto bem e livre para ser eu mesma semana julgamentos.

Elaine Vieira – 47 anos – Enfermeira

Eu me senti muito à vontade na primeira vez que fui ao Hashtag Bazar, foi em dezembro de 2016 no Largo do Machado. Não fiquei muito tempo, mas o pouco que fiquei me agradou muito. Fui em abril e desfilei com as Musas e daí em diante, cada dia mais, me vejo e me trato com mais carinho. Ir ao Hashtag é me sentir em paz comigo mesmo, lá estou estou entre iguais, sou vista e não ignorada. No Hashtag o padrão somos nós!

Felipe Chelles – Técnico em Laboratório

Vou sempre que posso ao Hashtag Bazar Plus Size, gosto muito por se tratar de um local que me representa em todos os sentidos, além de conseguir roupas, estilo, amizade é onde posso realizar sonhos e ver sonhos sendo realizados por outras pessoas. Sempre indico aos meus amigos e amiga que prestigiem o evento, por toda a inclusão que ele oferece. 

Bianca Pessoa – 36 anos – Advogada

Eu vou ao Hashtag, hoje, por muitos motivos. O primeiro deles é que está feira mudou minha vida e unha autoestima. Descobrir que eu tenho um leque de opções de roupas e em um lugar onde as pessoas não iriam me olhar atravessado por usar 54/56 (na época era este meu número) foi fundamental no meu processo de aceitação de quem eu sou. Adoro o clima, as pessoas. Conheço 95% das lojas, dos donos, dos vendedores!! É incrível saber que ninguém ali está olhando pra você de forma diferente. E sempre recomendo porque muda toda a visão que as mulheres gordas cariocas têm de que precisam vender um rim pra ter uma roupa bonita e transada!!! Já levei várias amigas ao Hashtag Bazar Plus Size.

O depoimento deles só reforçam o que eu sempre comento, o evento é sim muito maravilhoso. <3

Sábado dia 12/08 tem mais uma edição e desta vez com uma super novidade, todas (eu disse todas mesmo) as mulheres que quiserem vão poder ter o seu momento #MUSA e tirar fotos com uma equipe profissional. E ainda quem quiser uma make completa e mais fotos é só participar da seleção que está rolando na página do Hashtag Bazar (aqui).

Quem for do RJ não pode perder, para saber todos os detalhes e outros babados desta edição é só clicar aqui  e para conferir as marcas participantes cliquem aqui.

Serviço: #HashTag Bazar Plus Size
Datas: 12/08/2017
Horário: 11h às 20h
Local: Tijuca Tênis Clube – 3º andar Salão Nobre
Endereço: Rua Conde de Bonfim, 451 – Tijuca, RJ
Entrada: Gratuita

07.08.17

Look Jeans + Descontos incríveis na Alley Blue

Quando fui fazer as fotos para a matéria da Tribuna de Minas, foquei em escolher um look que fosse bem de acordo com o que uso sempre, mas que fosse também algo que ficasse legal nas fotos. Todo mundo já sabe, que eu amo jeans, certo? Não tive muitas dúvidas e escolhi um look jeans da Alley Blue, para complementar usei um body de veludo maravilhoso.

Confiram como ficou o meu look. *___*

Look Jeans

 

Eu estava usando:

Camisa: Alley Blue (aqui)
Calça: Alley Blue (aqui)
Body: Vicsense (aqui)
Scarpin: Moleca

Imagens: Marcelo Ribeiro (As 3 primeiras imagens, foram retiradas da Tribuna de Minas) e Julia Campos (Making Off)

As fotos foram feitas no mês passado e eu estava super ansiosa para mostrar para vocês, mas acredito que tudo vem na hora certa, hoje além de mostrar que jeans pode sim ser amigo das gordas (muita gorda odeia jeans), eu ainda posso contar que essas peças maravilhosas estão com super descontos no site da Alley Blue.

Quem tiver curtido é só acessar o site (aqui), a marca trabalha com peças do tamanho 38 ao 58 (eu visto o tamanho 54). 

Eu já disse que amei meu look? É eu amei demais.

E vocês o que acharam? Contem-me tudo aqui nos comentários.

 

 

06.08.17

Mercado Plus Size em Juiz de Fora é destaque na Tribuna de Minas

Embora eu não resida em Juiz de Fora, foi nesta cidade, o meu primeiro contato com a moda plus size, lembro-me bem da primeira vez que vi uma manequim maior na vitrine e também da primeira vez que eu comprei em uma loja onde a maioria das peças me serviam. Ainda hoje, sempre que preciso de alguma peça de roupa urgente, é em JF que eu corro para achar algo legal.
O blog nasceu em 2009 e eu sempre tive um desejo enormeee de ver o mercado da minha região evoluir e atender cada vez mais as mulheres gordas.
Hoje eu me sinto realizada em poder falar na Tribuna de Minas, o maior jornal da região, sobre essa necessidade de atenção do mercado para a moda plus size, acredito que a matéria possa ser um impulso para o comércio da cidade e torço muito por isso.

Convido vocês a clicarem aqui e lerem a matéria inteira.

Plus Size Tribuna de Minas
Agradeço à estudante de jornalismo Julia Campos pela matéria super completa e também à toda a equipe da Tribuna de Minas que colaborou para este resultado. ❤

Eu não tenho dúvidas de que o mercado plus size de Juiz de Fora evoluiu muito desde o meu primeiro contato (se minha memória não estiver me traindo, isso ocorreu em 2005), mas ainda temos muito o que melhorar e essas mudanças só serão possíveis com a união entre lojistas e consumidores. Quando nos posicionamos e cobramos mudanças, que as melhorias vão acontecendo…

E quem se organiza vai sempre mais longe, convido as pessoas interessadas no tema a participar (aqui) do nosso grupo no Facebook.

Que esta seja a primeira abordagem sobre o tema, que possamos em breve estar no mesmo jornal, comemorando as transformações e melhorias do mercado, que necessita ser cada vez mais inclusivo e acessível.

04.08.17

Gorda Esporte Clube – O melhor time do Brasil!

Vocês já conhecem o Gorda Esporte Clube? É um projeto maravilhoso, onde uma gorda mostra sua rotina de treinos e incentiva outras pessoas a se jogarem nos esportes por prazer.
Desde que conheci eu amei e venho acompanhando o projeto, quando decidi fazer um post eu pedi a idealizadora Fabrina que contasse para vocês um pouquinho do Gorda Esporte Clube e ela contou de forma linda e não tive audácia de cortar nada e nem acrescentar.

Comecei o Gorda Esporte Clube no momento em que decidi parar de odiar meu corpo. Quando olhei para tudo que deixei de fazer por ter aprendido que ser gorda era um impedimento, vi que a maioria das coisas era relacionada a esportes e movimento. Resolvi que daquele momento em diante, faria tudo o tinha vontade. Quero correr uma maratona entre 2018 e 2020, aprender a nadar em mar aberto, andar de long board, dançar, fazer pilates, ioga.

Pesquisei sobre mulheres que falavam sobre ser gorda e ser fitness, que contrariam esse conceito higienista que temos. Não encontrei nada no Brasil, só na gringa. Decidi contar minha experiência. Sou jornalista e estou na internet desde que tudo era mato, então foi meio que um processo natural.

Todo dia é um exercício novo. Quando se é uma mulher gorda aprendemos desde cedo que não devemos ocupar mais espaço do que já ocupamos. Essa foi e ainda é a minha maior dificuldade. Ainda falta representatividade. Raramente vemos fotos e vídeos do corpo gordo em movimento sem que seja pejorativo. O nosso olhar é treinado para nos criticar e esperar que o nosso corpo reaja da mesma forma que um corpo magro. Todo dia eu me educo e reeduco para ver a minha imagem em fotos e vídeos dos treinos e corridas e entender que está tudo bem. Aos poucos vou aprendendo e entendendo o processo. Tenho planos de gravar com uma professoras de algumas modalidades. Todas gordas.

Minha maior dificuldade, no entanto, não é o tamanho do meu corpo ou a reação das pessoas. Quando eu mudei e me aceitei, as coisas se tornaram mais simples. Entendi que o problemas não sou eu, são eles. E me sinto muito mais tranquila para dizer que as pessoas gordas estão fora do ambiente esportivo por hostilidade e não preguiça.

Em poucos meses, muita coisa mudou porque eu mudei. Vivia entrando e saindo de academias e práticas que eu amava por achar que como não emagrecia, estava falhando. Por exemplo, quando conheci meu treinador atual e minha equipe (MLF de Marília), eu consegui dizer a ele que queria correr uma maratona e não emagrecer. Esse é o foco dos meus treinos. Hoje, minha dificuldade é conciliar tudo o que quero fazer do GEC, os treinos e as corridas com a vida. É o problema mais banal que existe e também uma prova de que pessoas gordas são pessoas.

Há quem duvide e quem critique? Claro que há. Mas eu fiz uma escolha e estou extremamente feliz com ela. Se eu quis emagrecer? Sim. Fiz dietas, tomei remédios, jejum, fotos de antes e depois. Eu me maltratei muito para dar aos outros o que eles queriam. Hoje, eu me priorizo sempre. Por 37 anos esse foi meu maior sonho.

Minha narrativa ainda está no começo e ela inclui participar de uma maratona entre 2018 e 2020. Hoje, meu maior sonho não é ter um corpo menor. É ter um dia maior para que eu possa incluir outros esportes e atividades no meu dia-a-dia. Desejo mais tempo para ser quem eu sou.

Vocês também já estão na torcida por ela? Para mim foi imediato, é impossível não torcer por ela e por todos os gordos que queiram se dedicar aos esportes. 

Acompanhem o Gorda Esporte Clube nos links abaixo:

Blog FacebookInstagram Twitter – Youtube