Categoria: Comportamento

16.03.17

Cirurgia Bariátrica vem causando mortes prematuras!

No início de 2016, uma amiga perdeu sua irmã por complicações que ocorreram logo após a realização de uma cirurgia bariátrica. Neste caso em especial, acompanhei o período de complicações e foi triste ver uma moça nova, linda e com boa condição de saúde perder a vida. Logo na época, eu comentei sobre esse caso na page do Facebook, mas por saber a dor da família, eu não quis trazer a pauta para o blog e aumentar ainda mais o sofrimento (pessoas fazem comentários ridículos e sem noção nas postagens e ninguém merece ler isso durante o luto).
Já no início desse ano, outra moça perdeu sua irmã e ganhou as redes sociais ao contar em um textão (saiba mais aqui), todo o sofrimento que a irmã passou por ser gorda e como a cirurgia e o manequim 38 eram seu sonho, infelizmente a Amanda também veio a falecer logo após a cirurgia.

Faz umas semanas, o Pepê ex-participante do Além do Peso, foi mais uma vítima do procedimento e deixou muitas pessoas sensibilizadas com sua partida, como o Pepê tinha um público grande, várias pessoas tiveram conhecimento da morte prematura em decorrência da cirurgia bariátrica e o assunto voltou a ser destaque.

As duas meninas citadas, eu sei que tiveram como motivação para operar a vontade imensa de serem MAGRAS e se livrarem de toda a Gordofobia que vivenciaram, elas entraram saudáveis e nunca mais saíram do hospital, já o Pepê, eu não conheço os detalhes, mas ao que me parece, ele era um rapaz gordo e bem ativo, ao analisar sua última postagem, pude concluir que a cirurgia seria para emagrecimento, que também um sonho que ele tinha.

Qualquer pessoa que defenda a cirurgia bariátrica, vai vir aqui dizer que o risco de morte é menor que 1% e etc e talz, mas e se esse menos de 1% for alguém da sua família? Ainda vai achar pouco?

Eu acredito plenamente que a cirurgia é uma ferramenta importante para muitos casos, mas eu acho lamentável demais que se coloque em risco a vida de uma pessoa saudável em busca de um corpo não gordo. Aqui eu estou citando casos recentes que eu sei que abalaram muito as pessoas que eram próximas e perderam pessoas queridas, mas existem muitas outras pessoas que já se foram e tantas outras que nunca mais teve a tal “saúde” que buscavam ao operar.

Cirurgia é coisa séria, não banalizem!

Sigamos empoderando umas às outras, para que mais meninas descubram a beleza em seu próprio corpo e parem de arriscar a vida para caber em um jeans 38.

 

Muitos tentarão me fazer acreditar que o que mata é a negligência médica, mas muitas pessoas não teriam se submetido a essa cirurgia se não tivessem uma imensa e triste bagagem de gordofobia nas suas costas.

07.03.17

Celebrando ser mulher

Mulher, nossas lutas são legítimas e são diárias. Infelizmente o feminicídio, as agressões, a missoginia e todas as injustiças que sofremos não tiram férias, logo o dia internacional da mulher não precisa ser um dia de luta, nossa luta não cabe em apenas um dia, mas como já disse, nossa luta é, e precisa ser, diária!

Então convido você mulher, independente de suas crenças e suas escolhas a utilizar o dia de hoje para se celebrar.
Celebrar às vezes que você se superou, as vezes que o mundo te disse não e você foi lá e fez. Todas as dificuldades que você viveu em seus relacionamentos, escolas, empregos, sociedade, quantas vezes você venceu tudo isso? Quantas vezes você demonstrou ser mais forte do que todos esperavam? Você merece sim ser celebrada!

E na sua família, e entre as suas amigas, quantas mulheres você conhece que foram subversivas, ousadas e principalmente vencedoras? Quantas merecem ser lembradas e quantas merecem que você diga: parabéns! Eu te admiro!

Pense em tudo que nossas antepassadas passaram para que hoje tenhamos as conquistas que temos e sejam gratas, pensem nas meninas de hoje e ajam de forma que elas também possam ser gratas no futuro.
Veja os belos exemplos e celebrem eles!
Quais exemplos lindos você consegue citar?
E você, já se celebrou hoje? Já se olhou no espelho e viu a mulher incrível que você é? Já pensou em tudo o que você viveu até aqui e em quantos elogios você merece?
Se elogie! Se abrace! Sinta a mulher maravilhosa que você é!
Se envolva no seu amor próprio, sinta como se esse amor pudesse te aconchegar, te aninhar, te proteger, como um grande utero, em que tudo o que vc sente é aconchego e amor. Sinta esse amor! Se acarinhe!


Seja grata pelo seu corpo, por cada parte do seu corpo, veja como você é perfeita até em suas “imperfeições”. Se ache linda! Veja toda a beleza que existe em você, celebre o seu corpo, celebre a sua beleza!
Você é maravilhosa com todas as suas particularidades, você traz a força das suas ancestrais, você é capaz de grandes coisas, todo o universo está agindo a seu favor, celebre sua vida, celebre ser essa mulher especial que você se tornou.
Se ame!
Agora com toda certeza você terá um dia da mulher muito feliz!

06.03.17

ResistARTE – SÉRIE DE EVENTOS PARA CELEBRAR E REFLETIR A LUTA DAS MULHERES

Estamos na semana do Dia Internacional da Mulher que é a época do ano que temos mais eventos dedicados a nós, recebi um release daqueles que me deu vontade de ir todos os dias e como não posso ir (odeio morar longe de SP), eu trago todos os detalhes para que vocês possam ir e curtir por mim também o ResistARTE.
No dia 09 terá uma roda de conversa com uma gorda maravilinda, descolada e sem tabus com seu corpo, que na certa vai fazer bonito lá e inspirar muitas mulheres. Confiram mais detalhes deste super evento que é feito de mulheres por mulheres.

Durante quatro dias, haverá shows com cantoras e bandas femininas, uma exposição de colagem apenas com artistas mulheres, performances, além de uma roda de conversas sobre estética e padrões de beleza. “Estamos vivendo um momento muito difícil, cercadas de ódio e ameaças. Por isso, resolvemos reunir várias mulheres para que elas possam expor seu trabalhos, suas ideias e, ao mesmo tempo, refletirmos sobre o que podemos fazer para mudar essa situação”, afirma a empresária Anna Gadelha, responsável pela Galeria Recorte.

Confira a programação:
Dia 7 de Março, a partir das 19h
Abertura da exposição “Há algo aqui”, organizada pelo Coletivo Piscina, plataforma criada pelas artistas Paula Franchi, Nataly Callai e Ana Luiza Fortes, para reunir e mostrar o trabalho de mulheres artistas. Nessa exposição, focada em trabalhos de colagem, trará trabalhos das artistas Ana Hortides, Anaïs Karenin, Colla GG, Gabriela Sánchez, Isadora Fernandes, Juliana Coelho, Laíza Ferreira, Maíra Ishida, Mariana Destro e Singh Bean.
Dá só uma olhada: http://cargocollective.com/piscina.
Perfomance ‘Empresto meus Ouvidos’, com a atriz Nina Santos, do Vagão Coletivo. Nina vai te convidar a falar, e só ela irá ouvir, sobre tudo que lhe vier à mente: denúncias, anúncios, fatos importantes ou amenidades. Aproveite: estamos em um momento que quase ninguém mais ouve ninguém.

Dia 9 de março, a partir das 19h
Roda de conversa sobre desconstrução dos padrões de beleza. A atriz e educadora Valquíria Rosa e a editora de vídeos Thaís Mayume vão trocar ideias sobre como, e porquê, as mulheres devem se libertar das amarras do bela, recatada e do lar.

Dia 10 de março, a partir das 19h
Perfomance com a atriz Agathá Hills. A artevista T de 23 anos vai trazer um pouco da poesia e da arte ‘nascida e cultivada no gueto’ para a Galeria Recorte. Atualmente no espetáculo Periferida, que conta as histórias de um menino gay que decide virar drag queen e de uma travesti, Agathá usa a arte como forma de lutar pela liberdade e segurança do povo T.

Dia 11 de março, a partir das 18h
Shows, muitos shows:
MILKEE – A cantora paulistana e feminista Milkee junta o hip hop com referências do rap e do hip hop. https://www.facebook.com/milkeeoficial/
DIZZY QUEEN e a banda Corazones Muertos farão um tributo a roqueira Joan Jett (cantora, guitarrista, baixista e uma das fundadoras da banda The Runaways). A vocalista capixaba e banda fazem um show explosivo e cheio de atitude. https://www.facebook.com/dizzyqueenrock?fref=ts
MOITA – Banda de mulheres da cena punk que usam e abusam de temas que abordam como gênero, política, cidade, racismo, lesbofobia, luta antifascista e feminista. https://www.facebook.com/dizzyqueenrock?fref=ts

Durante toda a programação, o Café Recorte vai trazer um cardápio especial para o ResistARTE, voltado para a saúde da mulher, com ingredientes como grão de bico, cardamono, brotos e cacau, que minimizam os efeitos das alterações hormonais nas diversas fases da vida. A saciedade – física e emocional – virá cheia de sabor.

E o dia 8?
Bem, no dia 8, estaremos na Marcha das Mulheres!

SERVIÇO
ResistARTE
Local: Galeria Recorte
Endereço: Rua Augusta, 829, Consolação
Horário de funcionamento: Terças a sextas, das 12h00 às 21h00 e Sábados, das 11h00  às 18h00
Site: www.galeriarecorte.com.br
Facebook: www.facebook.com/galeriarecorte
Evento: https://www.facebook.com/events/391908834504202/
Contato: 11 3368-9824 / 98200-080

12.02.17

Carta Aberta aos Diretores e Artistas de “Malhação- PRO DIA NASCER FELIZ”

No dia 08/02/2017, foi ao ar uma cena de Malhação que me deixou perplexa e preocupadíssima. È lamentável que, uma novela direcionada ao público adolescente, fase essa de descobertas e aceitação do Eu, venha tratar com tanto descaso e falta de respeito um assunto tão sério.
A cena em questão era uma DR entre o casal Joana e Giovanne, protagonizado pelos atores Aline Dias e Ricardo Vianna. O conflito se dava por Giovanne estar com ciúmes da namorada pelo fato dela ter feito um ensaio para uma campanha onde estaria de biquíni. No desenrolar da cena, Joana convida o namorado para comer um churros e o mesmo, por ser atleta, alega que seu técnico não se agradaria com a ideia dele comer doce e fritura e a mesma promete que será um segredo dos dois.
Até ai tudo bem. A bizarrice da cena se dá nesse momento: Giovanne diz que só vai comer se a namorada prometer que ficará bem gorda, para que nenhum homem mexesse com ela, ao que a mesma responde da forma mais insensível possível:
“- Ah não, pra você largar de mim?“


O namorado até tenta consertar dizendo que a amaria do mesmo jeito, mas nesse momento a bala já atingiu seu alvo, a adolescente gorda que está assistindo em casa. A arte é uma das formas mais genuínas de se levar as pessoas à reflexão. A arte salva, cura depressão e é inadmissível que ela seja usada para oprimir, para desclassificar uma pessoa. Eu passei o resto da tarde e noite martelando isso na minha cabeça, fiquei pensando como esse diálogo chegou até aquela adolescente que luta diariamente, luta para que seja vista como uma pessoa normal, que luta para se sentir bem quista entre seus amigos, para que não vire chacota na escola e em casa por ter um corpo gordo. Fiquei pensando em como esse diálogo deve ter doido, como deve ter sido humilhante ouvir de seus ídolos que, um corpo gordo é recusado pela sociedade, que homem não gosta de gorda.
Sabemos que a adolescência é uma das fases mais difíceis na vida de um ser humano, é a fase de aceitação e isso pode gerar traumas, algumas vezes irreversíveis. Eu, como gorda e atriz, me senti no dever de expor o meu descontentamento perante essa situação. Espero que essa bala não tenha atingido ninguém, mas caso tenha, saibam que esse diálogo apresentado ontem em MALHAÇÃO foi um equívoco, ter um corpo gordo não a faz inferior a nenhuma outra mulher.
Espero pelo dia em que ligaremos a TV e nos deparemos com uma protagonista gorda, mas uma gorda feliz, por que as que se têm nos apresentado é uma gorda que só é feliz quando emagrece e vira a top da história. Existe gorda feliz, não sei por que ocultam isso. Chega de colocar gorda na posição de chacota e inferioridade. Na própria MALHAÇÃO, a personagem de Aline Dias é a protagonista Negra, honesta e que conquista seus sonhos através de seu esforço, e tenho certeza que muitas adolescentes negras se espelham nela. Chegou a vez da gorda ser representada com respeito e sem ser desmerecida em cena. As nossas adolescentes gordas precisam se enxergar na posição de protagonista de suas vidas.
Espero de coração que os próximos temas sejam abordados com mais cautela, porque, se esse diálogo foi uma tentativa de fazer a mulher gorda se sentir bem, vocês falharam.
Cordialmente,

 

*Texto escrito por uma telespectadora, que ao assistir  a cena, se assustou com a Gordofobia explícita em um programa voltado para adolescentes.

09.02.17

Dietas: o que ninguém te conta sobre elas

As dietas existem desde sempre, porém mais recentemente elas vêm ganhando um espaço maior.
Os motivos principais para se fazer dieta são dois:

1) controlar o peso corporal/forma física (ficar mais magra, ficar mais forte, ganhar mais peso, ter menos barriga, etc) e

2) controlar uma questão de saúde (colesterol alto, diabetes mellitus, hipertensão, etc.).
Mas o que é uma dieta?
Para a ciência da nutrição, ninguém faz uma dieta porque todo mundo tem uma dieta. Ela significa a alimentação consumida por uma pessoa. Ela é quase a mesma coisa que “alimentação”. Na ciência da nutrição dizemos: “O José tem uma dieta normoproteica”, que significa que a alimentação dele tem a quantidade normal (que ele precisa) de proteínas*.
Para o restante do planeta, fazer dieta ou estar de dieta significa fazer uma alimentação diferente, geralmente uma alimentação onde se retira parcialmente ou totalmente algum nutriente ou grupo alimentar. Por exemplo, as pessoas dizem “estou fazendo a dieta da proteína”, e nessa dieta a prioridade é comer alimentos que contenham proteínas* e não comer alimentos ou comer poucos alimentos que contenham carboidratos*. Em todo o texto eu estou falando destas dietas.
Só para exemplificar: dieta da sopa, do abacaxi, da USP, de Atkins, Dukan, da lista do pode e não pode, detox, do tipo sanguíneo, da lua, entre milhares de outras.

Qual dieta funciona mais?
Essa é uma dura verdade que eu trago: nenhuma.
Muitos estudos que comprovam eficácia de dieta, do ponto de vista de perda de peso, em sua maioria são estudos de curto tempo e/ou sob ambientes extremamente controlados. Isso porque eu nem estou citando os estudos que comprovam que elas não funcionam ou as que sequer têm algum estudo científico comprovando alguma coisa.
A título de curiosidade: de cada 100 pessoas que emagrecem fazendo uma dieta, apenas 5 delas conseguem manter o peso em até 2 anos. CINCO!
Antes que você pense “Ah, mas isso é uma questão de determinação/foco/força de vontade”, trago outra verdade: não é. E a indústria por trás das dietas adora que você pense assim, porque isso leva você a uma nova dieta (mesmo que seja a mesma, só que com outro nome).
Se as dietas apenas não funcionassem, tudo bem, afinal, se uma pessoa tentasse uma dieta para emagrecer e não emagrecesse, que mal teria, não é mesmo? Entretanto, o problema é bem maior: elas têm efeitos colaterais e riscos.

O que acontece depois delas?
As dietas ativam um mecanismo que funciona na forma de um ciclo (veja a imagem abaixo).

Nesse ciclo, a pessoa inicia se “sentindo gorda”, considerando isso um problema. Em seguida ela pensa em uma solução para esse problema. Na maioria das vezes, essa solução é uma dieta (às vezes ela não tem nome, mas algo como “nunca mais vou comer doces”, por exemplo). Nessa dieta, como já mostrei para você, ela necessariamente exclui ou limita muito algum alimento ou nutriente. Essa limitação gera automaticamente um desejo pelo proibido. Em algum momento (horas, dias, semanas ou meses) esse desejo irá ser maior que a proibição e a pessoa se revolta contra a dieta. Nesse momento a pessoa irá comer esse alimento, muitas vezes com voracidade ou escondido ou em grande quantidade. A consequência disso é a geração de uma grande sensação de culpa, e essa culpa será direcionada para corpo (“eu estou muito gorda”), que por sua vez irá levar novamente ao pensamento de dieta (“eu nunca mais vou comer isso”).
Além de todo esse sofrimento que passa batido e é encarado como normal, o que acontece é o inverso do desejado: a pessoa ganha mais peso do que tinha inicialmente. Esse vai e vem do peso, chamado de “efeito sanfona” ou “efeito ioiô” é uma das coisas mais danosas para saúde.

O queridinho do momento: o jejum intermitente.
Esse assunto é muito polêmico. Existem pessoas defensoras ferrenhas do jejum intermitente, desde pesquisadores até pessoas que o praticam.
O jejum intermitente é basicamente um método de administração da alimentação baseada em ficar alguns longos períodos em jejum. A justificativa é que isso reduziria o peso e melhoraria indicadores de saúde do corpo.
Porém, a prática pode ter alguns efeitos colaterais: dores de cabeça, irritação, queda do açúcar no sangue, deficiências vitamínicas, cansaço, etc. O mais importante deles é: ganhar o peso perdido novamente, entrando no ciclo acima novamente. Eu não considero o jejum intermitente como um cuidado, mas sim como uma atitude danosa.
Deixo algumas questões para reflexão: Qual a diferença entre fazer esse jejum intermitente e o comportamento de uma pessoa com anorexia nervosa? Por quanto tempo eu planejo fazer essa “dieta”? Como eu vou comer depois que eu parar de fazer? Se eu tivesse um filho de 4 anos, eu deixaria ele fazer essa “dieta”, em nome da sua saúde?
Minha ideia com esse post é apenas alertar você que as dietas podem ser muito tentadoras, mas igualmente perigosas!

*Todas as palavras marcadas com * se referem a nutrientes, ou seja, substâncias que existem nos alimentos, essenciais para o nosso corpo funcionar bem.