Apesar da Crise, moda plus size segue em ascensão!

MotivaçãoO título deste post é uma referência ao novo título preferido dos jornalistas, não sou jornalista e nem economista, mas hoje quero falar um pouquinho sobre a crise e o que está acontecendo e o mercado plus size.
Eu não tenho nenhuma pesquisa com estes dados, mas de acordo com o que vejo a maioria das lojas e confecções plus size nasceram da necessidade pessoal de alguma mulher, que viu na falta de opções para se vestir um mercado em expansão.
Isso significa que mais do que lucros, essas empresas são o resgate da autoestima de mulheres, tanto da idealizadora, como de cada uma das clientes. Lógico que existem empresas já pensadas somente nos lucros, mas ao menos pelo que percebo ainda são a minoria no nosso mercado.
Nos último 40 dias eu vi 5 mulheres desistir de seus sonhos e fechar suas empresas (duas lojas físicas e 3 virtuais), a crise foi sem dúvida um fator determinante de temor de todas elas e também impulsionou a queda nas vendas…. Esse é o pensamento comum do brasileiro, mas será?
Posso estar sendo otimista demais, mas infelizmente eu vi e acompanhei muita gente que em 2015 demonstrou não estar motivado o suficiente para manter um negócio próspero.

Pode parecer papo de autoajuda, mas quem compra de uma marca que está cada dia mais ausente nas suas próprias redes sociais? Quem compra da vendedora sem motivação?

Ao menos para mim fica a idéia que nem o dono do produto acredita mais na importância dele para o cliente e com isso a empresa fica com um aspecto murchinho e vai se apagando a cada dia até o fim.
Na contramão eu vejo uma empresa como a da Sara Leite (Sacoleira Plus Size), que começou com um estoque pequeno que cabia em seu guarda roupa e hoje já tem 2 lojas físicas e uma virtual, mas eu nunca percebi um dia sequer, em que ela não estivesse divulgando empolgadamente suas lojas e suas sacoletes.
Não vou negar que vivemos um momento de crise, mas como pude confirmar o que eu já pensava ontem com algumas leitoras nessa publicação abaixo, com crise ou sem crise a maioria ainda compra roupa nova.

 Apesar da Crise…Quando foi a última vez que vocês compraram uma roupa nova?

 

Como sei que o blog tem acesso de muitas mulheres empreendedoras seja do mercado plus size ou não, o que eu quero dizer com esse post é:

Não desista do seu sonho! Se motive nas dificuldades e sobressaia-se no mercado, pois o mercado está aí gerando lucros, mas os consumidores querem o melhor e ninguém compra algo que não seja anunciado com motivação.
Para completar o post e tudo que eu acredito sobre como não devemos agir em um momento de crise, deixo para vocês essa fábula. <3

vendedor de cachorro quente e a crise

 

“

Tess Holliday e os vigias da saúde alheia!

Que a Tess Holliday é um sucesso todo mundo já sabe, né? Essa diva plus size empodera mulheres em todo o mundo, mostrando que é possível ser LINDA, GORDA, MARAVILHOSA e muito mais. *___*
Mas como o mundo é cheio de gente gordofóbica, ela sempre sofre com inúmeros comentários em repúdio ao corpo gordo e muitos deles questionam a sua saúde. A bela não se abala e segue fazendo seu trabalho com posicionamentos em prol da aceitação em todos os corpos.
Hoje esbarrei em uma matéria do Uol sobre ela e o que um “Guru” de dieta fala sobre isso, achei que era mais do mesmo. Só que foi uma baita surpresa em ler que um médico brasileiro contestava os argumentos vagos do outro médico, com um discernimento maravilhoso. <3 É por isso, que reproduzo abaixo o texto na íntegra.

Tess Holliday (2)

Para “guru da dieta”, top plus size faz esquecer perigo da obesidade – Por Thais Carvalho Diniz (retirado daqui). 

Em uma entrevista polêmica à versão on-line do jornal britânico “Daily Mail”, Steve Miller, conhecido como “guru das dietas”, criticou o sucesso da modelo plus size Tess Holliday. Segundo ele, enaltecer a top significa tornar a obesidade normal, esquecendo os riscos que ela traz à saúde. Para Bruno Halpern, endocrinologista e diretor da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), a declaração de Miller reforça o preconceito contra pessoas acima do peso e não é totalmente verdadeira, já que é possível ser obeso e saudável.

De acordo com Halpern, ao perder 10% do peso –e adotando uma dieta equilibrada combinada à prática de exercícios físicos–, muitos obesos tornam-se saudáveis, a despeito de continuarem ostentando os quilos a mais. Segundo o periódico britânico, Tess se exercita com um personal trainer quatro vezes por semana e gosta de caminhadas e de natação.

Aos 29 anos, Tess tem 1,65 m de altura e veste manequim 58. Em janeiro deste ano, ela assinou contrato com a respeitada agência britânica MiLK Management, o que fez o assédio e a fama aumentarem.

A modelo americana é reconhecida no mundo da moda e foi nomeada pela “Vogue Itália” como uma das plus size mais influentes. Ela participou de uma campanha para a marca de cosméticos Benefit e também foi fotografada por David LaChapelle, renomado fotógrafo americano, para um projeto futuro. Nas redes sociais, Tess possui mais de um milhão de curtidas em sua página do Facebook e 800.000 seguidores no Instagram.

Miller reconhece que Tess desafia os padrões estéticos da indústria da moda e da beleza, mas afirma que isso não faz do excesso de peso uma coisa boa. “Ser obeso é perigoso, assim como ser excessivamente magro. Porém, a aceitação da gordura extrema que Tess está promovendo fará com que as estatísticas de obesidade aumentem”, declarou ao site de notícias. “A última coisa de que precisamos é ver uma plus size nos mostrando o quanto é legal comer ‘junk food'”, disse.

Halpern afirma que não é porque a pessoa é gorda que ela come mais do que alguém com peso adequado. A obesidade envolve mais do que a vontade do indivíduo. Há fatores como a genética. “A chance de um indivíduo obeso alcançar a faixa ideal de IMC (índice de massa corpórea) é muito pequena –com exceção de casos cirúrgicos. Por isso, a partir do momento que você é obeso, o importante é conseguir melhorar a saúde e não ter vergonha de si mesmo“, declarou Halpern em entrevista ao UOL Comportamento.

O brasileiro também afirma que a tese do inglês é uma bobagem: ninguém vai desejar ser gordo simplesmente porque a modelo o é. “A obesidade é uma doença e não uma escolha ou hábito de vida. É importante discutir os riscos relacionados ao problema (como maior risco de problemas cardíacos e câncer, por exemplo), mas estigmatizar os gordinhos não é certo. Eles precisam ser tratados e, mais do que isso, precisam ter orgulho do que são”, disse o especialista.

Halpern espera que mais modelos como Tess apareçam no cenário mundial. “Para as pessoas em geral, é mais importante ter estratégias para não engordar do que tentar emagrecer depois, pois perder peso é muito difícil. Especificamente para os que têm excesso de peso, eles podem se sentir bem ou não com sua doença, mas colocá-los à margem da sociedade não vai ajudar em nada. Isso só aumenta o preconceito”, declarou o diretor da Abeso.

 

Tess Holliday (3)

Então para quem ainda não aprendeu a se amar, aconselho a seguirem hoje mesmo a recomendação médica do Dr. Bruno Halpern, busquem a saúde em qualquer corpo e não se envergonhem da própria imagem.

Gafes Gordofóbicas – Gordivah

Gafes Gordofóbicas
Um dia conversando com uma seguidora que acabou virando amiga já de tanto que nos falamos surgiu a ideia desta nova tag “Gafes Gordofóbicas” pro canal GorDivah.
Pois muitas pessoas passam pelas situações enviadas e não sabem como reagir, mesmo pessoas que se amam gordas às vezes tem dias ruins ou passam por situações difíceis envolvendo pessoas queridas e gordofobia e ficam sem ação e pensando nelas surgiu essa tag pra levar com bom humor opções de resposta, reflexão, ajudar de algum modo quem enfrenta isso e fica sem saber como agir.
Hoje para o Beleza sem Tamanho, trago os três primeiros vídeos desta tag. Fiz este compilado por eles serem bem curtinhos, torço para que vocês não deixem de assistir cada um deles. Infelizmente vocês vão se identificar com as situações descritas.
Dê um play e vem conferir cada um deles.

 

Gostaram? Tem alguma gafe gordofóbica que gostaria de ver na nossa tag?

Mandem nos comentários, vamos juntos mostrar aos gordofóbicos que essas atitudes não tem nada de legal e que é preciso que parem de agir assim.

Beijos Queen Size,

Claudia GorDivah

Meu 1º Macacão Plus Size – By Domenica Solazzo

Desde que macacão plus size virou tendência por aqui (isso já deve ter umas 3 ou 4 coleções) eu busco um para chamar de meu. No ano passado cheguei a experimentar um e curti muito, só que acabei não trazendo para casa. Algo que sempre me deixou insegura se ia ficar bem é o fator de ser um tecido frágil nas coxas, sou habituada com calça jeans e isso me fazia temer deixar as coxas soltas dentro de um macacão haha.

Mas bisbilhotando o site da Chic e Elegante eu sempre ficava tentada em arriscar um macacão plus size, até que vi estes dois da Domenica Solazzo, um é de cetim e ou outro de viscose e por não ser malha eu acreditei que daria certo.

 

 

Macacão plus size

Lindos né?

Escolhi o de viscose com estampa menos chamativa para ser o meu 1º macacão plus size <3.

Quando chegou e eu fui vestir e veio a grande surpresa, o macacão conta com um forro que faz o trabalho de um short lingerie, deixando o caimento muito mais perfeito.
Vejam como ele ficou em mim. *_*

 

Macacão Plus Size

Eu estava usando: 

Macacão  Domenica Solazzo – G3 (aqui)

Colares/Brincos e Anéis – Sanvi’s

Peep Toe – Beira Rio 

O que vocês acharam do meu macacão?

Eu achei que vestiu muito bem, mesmo ele ficando mais justo que na modelo. É que eu não gosto de roupa larga em mim, achei assim perfeito! Mas quero saber a opinião de vocês.

A Chic e Elegante trabalha com grande variedade de peças e preços acessíveis, não deixem de clicar aqui para conferir todas as peças e principalmente as promoções. *__*

*Este look é patrocinado.

Releitura de “Beleza Americana” com diversidade de corpos!

A imagem da atriz em um “mar” de rosas no filme Beleza Americana é sem dúvidas algo maravilhoso, lembro de que em 2007/2008 eu tive a oportunidade de conhecer uma reprodução desta cena com uma mulher gorda e foi apaixonante. <3

Até hoje eu considero uma das imagens de mulheres plus size mais lindas que já vi, mas ela foi feita em um contexto negativo para ajudar a vender iogurte light haha e mesmo amando a imagem ela perdeu a graça, afinal vinha com o slogan bem ridículo que falava que mulheres bonitas não eram gordas. E eu já sabia que isso era mentira, e inaceitável uma foto linda dessa para me dizer que a moça não poderia ser desejada.

capa beleza americana Beleza Americana GG

Ontem fui brindada com um post do HuffPost (aqui) com a iniciativa da fotógrafa Carey Fruth, que resolveu recriar aquela imagem marcante do cinema, só que ao invés de escolher uma modelo apenas, ela escolheu várias. Assim, ela mostrou com a diversidade de corpos, que a beleza é mesmo muito ampla. <3
Abaixo selecionei 10 imagens para compartilhar com vocês deste ensaio. *___*

Beleza Americana com diversidade de corpos (12) Beleza Americana com diversidade de corpos (11) Beleza Americana com diversidade de corpos (10) Beleza Americana com diversidade de corpos (8) Beleza Americana com diversidade de corpos (7) Beleza Americana com diversidade de corpos (5) Beleza Americana com diversidade de corpos (4) Beleza Americana com diversidade de corpos (3) Beleza Americana com diversidade de corpos (1)Beleza Americana com diversidade de corpos (14) Beleza Americana com diversidade de corpos (13)

As fotos tem sim edição, mas preserva o biótipo de cada mulher, nos mostrando que a diversidade da beleza é uma realidade. *___*
Eu sou declaradamente apaixonada por iniciativas que exaltam a diversidade e eu gostei muito deste, a única coisa que mudaria seriam as flores que eu manteria no vermelho.
Espero que muita gente se inspire, para que possa ter mais fotos lindas como essas para divulgar.