Tag: gorda

07.06.17

Anitta leva representatividade gorda aos palcos…

E gordofobia para as redes sociais.

A cantora Anitta lançou semana passada o clipe de sua nova música gravado na gringa com direito a dançarina gorda e fomos todos a loucura. Foi sem dúvidas um passo bem positivo em prol da representatividade de corpos. Podia ser melhor? Podia sim, mas foi algo inovador vindo de uma cantora pop, todo mundo comemorou e eu também.

 

No último sábado dia 03/06 ela se apresentou na Globo com sua nova música, foi nesse dia que a “diva pop” fez também a apresentação das novas bailarinas do seu ballet. O que poderia ter sido maravilhoso e muito representativo, acabou se tornando algo infeliz, tamparam demais as bailarinas gordas e ainda as deixaram no fundo da apresentação. Os comentários dos fãs (ou haters) estavam questionando por qual motivo as meninas gordas estavam vestidas com roupas e as outras de lingerie.

Em um grupo de militância eu e mais uma galera problematizamos bastante, e tentamos mostrar que aquilo não estava bom, que a gente merece muito mais.

Contrariando a expectativa da galera que dizia “você reclamam de tudo” “reclamar não leva a nada” as queixas foram ouvidas e ontem quando a cantora se apresentou no Música Boa os looks já não estavam mais discrepantes.

Sei que o look da Thais Carla (maravilhosa por sinal) foi montado no dia, é possível ver que o cropped é uma blusa amarrada e não é ainda um look no “padrão” da outra bailarina, mas foi gratificante perceber que correram e deram um jeito de melhorar e espero que sigam melhorando.

A apresentação de ontem foi bem linda por sinal, confiram no vídeo abaixo.

Embora no momento das problematizações tenha sido apontado as falas e ações gordofóbicas da Anitta, eu escolhi não focar nisso e lá no fundo eu tinha esperança que isso seria o passado dela (mesmo que tivesse coisas da semana passada).

Hoje mal acordei e já tinha mais uma piadinha gordofóbica postada por ela, uma galera fez uma paródia da música atual relacionando a alguém gordo e compulsivo. E o que a Anitta fez? Não só compartilhou como deixou claro que á a paródia da sua vida.
Nós sabemos o quanto mulheres magras se dizendo gordas são prejudiciais à saúde emocional de mulheres realmente gordas, posicionamentos assim vindos de uma personalidade pop afetam diretamente a autoestima de milhares de mulheres e meninas que acompanham o seu trabalho.

 

Essas atitudes da Anitta só mostram o quanto o mercado se aproveita cada vez mais de causas sociais, claro que eu quero e fico feliz com o fato dela colocar gordas no ballet, mas aí ela vem e nos lembra o quanto errados somos em ser gordos e o quanto isso é odiável no seu ponto de vista.

Eu sei que a vontade de vibrar com a Thais Carla é imensa, eu também estou vibrando e sei o quanto ela é maravilhosa e merecedora de estar ali.

Mas a gente não precisa passar a mão na cabeça e achar que a Anitta é boazinha, enquanto ela segue propagando que o corpo gordo é inferior aos outros.

Que todos os dias a gente exalte as gordas, mas não dê créditos de boa garota para quem está frequentemente debochando e propagando o ódio/pavor ao corpo gordo.

23.03.17

Você é o que dizem que você é?

A gente é ensinada a ser a vida toda várias coisas que nos disseram que deveríamos ser. Seja por nosso gênero, cor, forma física, aparência…

Um bando de estereótipos e preconceitos muitas vezes traçam para nós um destino. Muitas vezes esse caminho nem é o que a gente queria seguir.

Esse vídeo é sobre isso, sobre não nos deixarmos influenciar tanto pelo que esperam de nós, pelo que dizem que é o certo. É sobre incentivar pessoas, sobre saber que cada um de nós tem algo que sabe fazer bem, tem defeitos e qualidades. É sobre não julgar ou decidir sobre alguém pelas aparências, pelos padrões.

Enfim, nós somos muito mais do que disseram que seríamos, ou apenas diferentes daquele script que traçaram. E isso é muito bom.

Não é? E afinal, você é o que dizem que você é?

Quem gostou do vídeo, se inscreve no canal! 😉

20.03.17

Gordas manequim 54+ – Inspirações para seguir no Instagram!

Hoje em dia temos centenas de Instagrans com inspiração plus size, mas quando se trata de mulheres gordas que usam manequim 54 ou mais a exposição aqui no Brasil ainda é bem mais “discreta”.
Foi pensando nisso que eu preparei uma super lista de gordas maravilhosas que estão sempre compartilhando looks no Instagram.

Como já sabemos, para nós gordas 54+ ,até mesmo no mercado plus size temos pouca representatividade,  eu gosto de me inspirar em mulheres com corpos próximos ao meu e acredito que vocês também vão curtir conhecer essas maravilhosas. <3

Confiram todas essas lindas:

 

@genizeribeiro@nadyamachado@skarletikakat@biagremion

@plusisters@blog.guria.bacontente@avidadacida@magdanascimento

@gabrielamaiscravodoquecanela@madamescurves – @mundoplussize1@blogladyfofa

@beezylizard@curvilineos – @thayaneparis@cacahmss

@a_tomic.bomb@jaqlinee – @patiquental@flaviadurante

@aquelamari@betaland_ – @luuhcavalli@belezasemtamanho

@relaxaifofa@abafaocasooficial@estilososnometro@neyladuraes

 

@comovaigordinha@knareal@tamanho_p@grandestima

*Infelizmente por alguma pane entre o WordPress e o Instagram, não consegui incorporar todas as gatas no post, com isso eu fiquei mais de um dia brigando com o sistema e decidi por salvar e fazer montagens. 

Algumas das meninas que citei são blogueiras e acredito que vocês já os conheçam, mas muitas não são, mas também estão sempre postando looks que são super bem vindos como inspiração.

Existem outras que eu adoraria colocar no post, mas elas deixam seus instas privados (o que significa que não quer ser exposta), outras que possuem poucas fotos de corpo todo e fica fora da proposta do post.
Nessa lista tem mulheres de diversos biótipos e manequins, em comum a única coisa é que são todas Gordas e Maravilhosas. <3

E vocês conhecem outras meninas que usem manequins maiores e postem looks para indicar? Deixem nos comentários que em breve pretendo fazer uma nova versão desta lista. <3

23.02.17

Fantasias Plus Size – Inspirações

Foto da @carolzacariasplus que está lançando sua marca plus size. 

 

Mais alguém por aqui adora Carnaval? Quem curte os dias de folia e principalmente quem gosta de se fantasiar, precisa conferir com carinho este post, trouxe para cá um montão de fantasias plus size para servir de inspiração para todas todas nós.

Eu não quis pegar fotos gringas, eu fui atrás de gente real do meu Facebook e também do grupo do blog (Ainda não participa? Clica aqui), pedi que as meninas me mandassem fotos delas fantasiadas e recebi um monte de foto linda. <3

 

Sereias

Acredito que seja a fantasia do Carnaval de 2017, mas como podemos ver nas fotos abaixo é possível diversificar bem no tema. Seja qual for a escolha, é impossível uma gorda não ficar linda de sereia.

Unicórnio

Também é super tendência e é uma fantasia muitoooo fácil de fazer em casa, com poucos dinheiros e muita imaginação é possível montar um unicórnio que seja a sua cara. Olhem essas lindas como se montaram e se inspirem para fazer a sua. *_*

Já emendei um Palhacinho na montagem de cima, e logo aqui abaixo deixo outras fantasias que também são super fofinhas e podem ser adaptadas da forma que vocês mais curtirem.

E dá também para sair com roupa “normal” e alguns apetrechos para entrar no clima de carnaval.

Básica ou super montada como as gatas das plumas da fotos abaixo, o importante é curtir muito a folia.

Não quer fantasiar, mas quer ousar em algo? Capricha na make e completa com algum adereço, ou se joga em uma máscara.

 

 

E vocês costumam usar fantasias plus size? Compram prontas ou vocês mesmo as fazem? Contem tudo para a gente aqui nos comentários.

09.02.17

Dietas: o que ninguém te conta sobre elas

As dietas existem desde sempre, porém mais recentemente elas vêm ganhando um espaço maior.
Os motivos principais para se fazer dieta são dois:

1) controlar o peso corporal/forma física (ficar mais magra, ficar mais forte, ganhar mais peso, ter menos barriga, etc) e

2) controlar uma questão de saúde (colesterol alto, diabetes mellitus, hipertensão, etc.).
Mas o que é uma dieta?
Para a ciência da nutrição, ninguém faz uma dieta porque todo mundo tem uma dieta. Ela significa a alimentação consumida por uma pessoa. Ela é quase a mesma coisa que “alimentação”. Na ciência da nutrição dizemos: “O José tem uma dieta normoproteica”, que significa que a alimentação dele tem a quantidade normal (que ele precisa) de proteínas*.
Para o restante do planeta, fazer dieta ou estar de dieta significa fazer uma alimentação diferente, geralmente uma alimentação onde se retira parcialmente ou totalmente algum nutriente ou grupo alimentar. Por exemplo, as pessoas dizem “estou fazendo a dieta da proteína”, e nessa dieta a prioridade é comer alimentos que contenham proteínas* e não comer alimentos ou comer poucos alimentos que contenham carboidratos*. Em todo o texto eu estou falando destas dietas.
Só para exemplificar: dieta da sopa, do abacaxi, da USP, de Atkins, Dukan, da lista do pode e não pode, detox, do tipo sanguíneo, da lua, entre milhares de outras.

Qual dieta funciona mais?
Essa é uma dura verdade que eu trago: nenhuma.
Muitos estudos que comprovam eficácia de dieta, do ponto de vista de perda de peso, em sua maioria são estudos de curto tempo e/ou sob ambientes extremamente controlados. Isso porque eu nem estou citando os estudos que comprovam que elas não funcionam ou as que sequer têm algum estudo científico comprovando alguma coisa.
A título de curiosidade: de cada 100 pessoas que emagrecem fazendo uma dieta, apenas 5 delas conseguem manter o peso em até 2 anos. CINCO!
Antes que você pense “Ah, mas isso é uma questão de determinação/foco/força de vontade”, trago outra verdade: não é. E a indústria por trás das dietas adora que você pense assim, porque isso leva você a uma nova dieta (mesmo que seja a mesma, só que com outro nome).
Se as dietas apenas não funcionassem, tudo bem, afinal, se uma pessoa tentasse uma dieta para emagrecer e não emagrecesse, que mal teria, não é mesmo? Entretanto, o problema é bem maior: elas têm efeitos colaterais e riscos.

O que acontece depois delas?
As dietas ativam um mecanismo que funciona na forma de um ciclo (veja a imagem abaixo).

Nesse ciclo, a pessoa inicia se “sentindo gorda”, considerando isso um problema. Em seguida ela pensa em uma solução para esse problema. Na maioria das vezes, essa solução é uma dieta (às vezes ela não tem nome, mas algo como “nunca mais vou comer doces”, por exemplo). Nessa dieta, como já mostrei para você, ela necessariamente exclui ou limita muito algum alimento ou nutriente. Essa limitação gera automaticamente um desejo pelo proibido. Em algum momento (horas, dias, semanas ou meses) esse desejo irá ser maior que a proibição e a pessoa se revolta contra a dieta. Nesse momento a pessoa irá comer esse alimento, muitas vezes com voracidade ou escondido ou em grande quantidade. A consequência disso é a geração de uma grande sensação de culpa, e essa culpa será direcionada para corpo (“eu estou muito gorda”), que por sua vez irá levar novamente ao pensamento de dieta (“eu nunca mais vou comer isso”).
Além de todo esse sofrimento que passa batido e é encarado como normal, o que acontece é o inverso do desejado: a pessoa ganha mais peso do que tinha inicialmente. Esse vai e vem do peso, chamado de “efeito sanfona” ou “efeito ioiô” é uma das coisas mais danosas para saúde.

O queridinho do momento: o jejum intermitente.
Esse assunto é muito polêmico. Existem pessoas defensoras ferrenhas do jejum intermitente, desde pesquisadores até pessoas que o praticam.
O jejum intermitente é basicamente um método de administração da alimentação baseada em ficar alguns longos períodos em jejum. A justificativa é que isso reduziria o peso e melhoraria indicadores de saúde do corpo.
Porém, a prática pode ter alguns efeitos colaterais: dores de cabeça, irritação, queda do açúcar no sangue, deficiências vitamínicas, cansaço, etc. O mais importante deles é: ganhar o peso perdido novamente, entrando no ciclo acima novamente. Eu não considero o jejum intermitente como um cuidado, mas sim como uma atitude danosa.
Deixo algumas questões para reflexão: Qual a diferença entre fazer esse jejum intermitente e o comportamento de uma pessoa com anorexia nervosa? Por quanto tempo eu planejo fazer essa “dieta”? Como eu vou comer depois que eu parar de fazer? Se eu tivesse um filho de 4 anos, eu deixaria ele fazer essa “dieta”, em nome da sua saúde?
Minha ideia com esse post é apenas alertar você que as dietas podem ser muito tentadoras, mas igualmente perigosas!

*Todas as palavras marcadas com * se referem a nutrientes, ou seja, substâncias que existem nos alimentos, essenciais para o nosso corpo funcionar bem.