Categoria: Autoestima

09.11.17

Toda mulher é real.

Ao ouvirmos falar sobre moda plus size e pessoas de corpos maiores, é muito comum notarmos também a associação com os termos “mulheres reais*” ou “mulheres de verdade”, mas com o tempo, vamos percebendo que ao chamarmos apenas corpos plus size de reais, acabamos dizendo que os outros são irreais e isso chega a ser prejudicial à autoestima de muitas mulheres.


Sei que diversas vezes sentimos essa necessidade, de nos classificarmos como “melhores” que as coleguinhas, afinal, passamos anos sendo excluídas de tudo e podermos ser vistas agora como MULHERES REAIS ou como MULHERES DE VERDADE acaba alimentando nosso ego momentaneamente.
Para piorar ainda mais toda essa questão, que já é bem desnecessária, os tais termos não incluem quase nunca mulheres gordas e têm sempre nas representações de suas fotos mulheres curvilíneas com a pele devidamente alterada em programas de edição.
Daí ficam os questionamentos:
Quem é real, afinal?
Quem é mesmo de verdade?

Estamos no fim de 2017, o mundo todo está falando em empatia e sororidade, no entanto, no mercado plus size, vemos constantemente as marcas reforçando estes termos que excluem mulheres de um tamanho ou de outro, do padrão que julgam ser o das mulheres reais.

Não precisamos ser melhores que outras mulheres, precisamos buscar maior representatividade, acessibilidade e também reconhecimento, sem precisar nos enquadrarmos nesse novo grupo “seleto”.

Estes termos até podem ter impacto como marketing de marcas plus size, mas eu, como consumidora me incomodo e tenho certeza de que não sou a única. Não é crime usar, só que acho que não precisamos mais disso, queremos um mundo igual para todas e sem necessidade de termos para suavizar as referências aos nossos corpos.

*inclusive, se você buscar em posts antigos aqui no blog, vai encontrar o termo “mulheres reais” em vários momentos, pois é o nome de um projeto de SP, que inclui diversos eventos e também por eu já ter feito essa associação no passado.

18.09.17

Gorda de Short – #ProjetoVerãoSemNeuras

Fiquei vários dias ausente aqui do blog, mas o motivo foi mais que justo dessa vez, eu estava curtindo ao vivo em São Paulo pessoas queridas que moram longe de mim. <3

Hoje eu retorno os posts do blog e vou mostrar um look que usei nesses dias de folga. Gordas de shorts ainda é algo um pouco polêmico, e para mim ainda é uma neura, que me esforço para que ela não me paralise.

Já faz uns anos que fiz um post (aqui) contando sobre ter vencido a minha neura e usado um shorts depois de mil anos, desde esse dia eu já usei novamente algumas várias vezes, mas ainda considero algo bem delicado para mulheres gordas com as pernas também gordas.

Nós não temos quase nenhuma referência de fotos de pernas gordas de fora, e é comum que a gente se sinta diferente (de um jeito estranho/negativo) quando usamos peças mais curtas.

Embora o mundo (inclusive o mundo plus size) me ensine todos os dias que as minhas pernas são: Imensas; Gordas demais; Feia e etc…

Eu escolho agradecer por ter pernas saudáveis, que me aguentam maravilhosamente bem.

Com fotos desse look, deixo o meu convite para que vocês também possam se forçarem (forçar na medida do possível, é importante que a gente se permita, mas sem ser obrigação) a se libertarem de suas neuras a cada dia.

gorda de short gorda de short

 

 

Eu estava usando:

Blusa: Candelabro
Short: Miss Masy (GG)
Tênis: Quiz

Imagens: Kelly Hato

O look foi bem básico e total focado no conforto, eu gostei bastante do resultado. E vocês o que acharam?

Seja qual for a neura de vocês (infelizmente quase todas temos alguma), quero lembrá-las que essa neura não pode te impedir de nada, e que a cada dia possamos nos libertar e libertar outras mulheres dos padrões de beleza que são impostos a nós.

05.09.17

Autoengano!

Oieee,
Tudo bem?
Vou te falar uma constatação que sinceramente gostaria que fosse diferente… mas a realidade é, que em algum momento da nossa vida, a gente já se sabotou!
Tentamos nos convencer de algo e fizemos de tudo para enganar a nós mesmas; seja por um motivo sério ou banal. Tentamos acreditar que aquilo que estamos fazendo para nós mesmas é o melhor; mas muitas vezes é fuga, desespero ou punição. Nos enganamos acreditando que vamos minimizar uma dor…


Quem nunca fez isso que atire a primeira pedra!
Podemos entender o autoengano como um elemento de defesa psíquica que atua em socorro toda vez que a realidade é dolorosa.
Vou explicar melhor: Você está passando por um momento difícil na sua vida, estressada e tensa. E para aliviar essa dor, resolver essa situação, você come!
Come muito e compulsivamente porque se engana, achando que aquela comida te trará alivio e vai resolver seu problema. Acredita que o desconforto será sanado em cada mordida; acredita que o stress, a tristeza e a tensão serão digeridos garganta abaixo com mais e mais comida… A comida é uma “falsa” solução para algumas pessoas, há quem busque o alivio em outras coisas tão viciantes quanto o alimento, mas no final o sofrimento será igual ou pior.
É um grande engano, é o autoengano.


O autoengano pode ser minimizado por algo sabiamente criado pela natureza, e esse processo se dá através da tomada de consciência; ou seja, o autoconhecimento.
Assim, o autoengano é reduzido em escala significativa, diminuindo muito através do controle sobre os pensamentos e emoções. Quanto mais nos conhecemos, mais temos a chance de mudar o que é viável e amar o que é só nosso, nossa marca registrada!
Para que possamos ter uma vida plena, feliz e com a paz que merecemos, sem ficarmos encarcerados e reféns de nós mesmos, pois somos capazes de ter domínio das nossas emoções.
O crescimento emocional é um exercício diário de avaliação, percepção e vigília constante da realidade – sempre de forma positiva. Assim, ficamos fortes para enfrentar desafios e todas as emoções que o envolvem, sem que nos deixe cair em armadilhas e sem nos enganarmos.

 

 

 

Quer fazer parte da Lista VIP da Pri Coelho? Clique aqui: www.pricoelho.com.br/lista-vip

 

 

08.08.17

Sem ela você não vai longe…

Hoje quero te falar de uma das coisas que considero mais importantes na vida, a Autoestima.
Na sua adolescência (sabe aquela fase da vida que nos achamos esquisitas? rsrsrsrs) você ouviu alguém, talvez teus pais, te dizendo: “Se você não gostar de você, quem vai gostar? Se você não se achar bonita, quem vai achar”?
Essas falas pareciam meros chavões, mas o tempo passa e vamos descobrindo como são verdadeiras…

O que te move? O que te impulsiona e te faz ir além? Todos os dias temos que acordar para mais um dia com nossa rotina, afazeres e tudo mais. É inevitável você dar uma olhadinha no espelho… e lá está a pessoa responsável pelo seu sucesso, por suas conquistas e pelos melhores momentos da sua vida. VOCÊ!
A capacidade de desenvolver auto confiança e auto respeito é inerente à nossa natureza, pois nosso pensamento divaga e é a fonte da nossa vivência; por isso, podemos e devemos nos vigiar sempre para pensar positivo e ter um olhar de amor por nós mesmos.
É um exercício diário e constante que deve entrar na nossa rotina. No começo não é muito fácil, mas à medida que praticamos começa a ser automático como respirar, espirrar, bocejar, comer….
A consequência boa disso é uma autoestima inabalável e, quanto maior nossa autoestima, mais forte ficamos para lidar com as adversidades. Temos mais chances de ser criativos e confiança para fazer as melhores escolhas!
Procure se conhecer mais a cada dia, sem se criticar e nem levar em consideração a crítica destrutiva das pessoas. Construa sua autoestima entendendo melhor a si mesmo, se conhecendo; esse é o caminho para a maturidade emocional que você leva para a vida toda.
Acredite! O que você tem de diferente é o que você tem de mais bonito!


Viva simples, sonhe grande, seja grato, dê amor, ria muito, prefira o sorriso, faz bem pra você e para quem está ao seu redor. Não adie alegria, seja feliz hoje!
A autoestima é responsável pela serenidade do espírito.
Beijo, e uma vida criativa pra você.

Pri Coelho

 

 

 

 

27.07.17

O seu valor não se mede por medidas e nem por um número na balança!

Então não espere o cabelo perfeito, a roupa impecável, a make de capa de revista, o corpo igual ao da modelo para conquistar o mundo, para conquistar o “seu” mundo.

 

Oieeeee, eu sou Pri Coelho, coach de auto estima e alimentação consciente. Estou muito feliz por contribuir com o Beleza sem Tamanho, um blog com muito conteúdo bacana que trata de forma leve e divertida a beleza e nossa essência sem distinção. Afinal, nosso valor não se mede por medidas e nem por um número na balança, né?
Todas nós sabemos o quanto o universo conspira a nosso favor, esta é uma postura positiva que temos em relação a vida, mas nem todos os dias as coisas acontecem assim. Não é todo dia que o cabelo está maravilhoso, que o caimento da roupa é perfeito ou que acertamos a make de primeira rsrsrs.
Durante todas as tentativas que fazemos com a intenção de acertar às vezes erramos. Nesses dias podemos acionar o botão do pensamento positivo, clarooooo que não vai ser fácil, mas eu garanto a você que se você tentar, tentar de novo e de novo com muito treino e repetição você vai conseguir. O botão do pensamento positivo é poderoso, ele é capaz de fazer você enxergar uma nova possibilidade, uma nova perspectiva para encarar qualquer adversidade de uma forma leve e criativa. Acredite em mim!
Você conhece aquela história do copo com água até a metade, onde para os otimistas o copo está quase cheio e para as pessoas pessimistas o copo está vazio? É a mais pura verdade!
Frustração pela impossibilidade de ter um dia “perfeito”, sem pedrinhas pelo caminho faz com que a gente bloqueie todas as novas possibilidades, inclusive as surpresas positivas que podem vir a acontecer. Procure olhar para o outro lado, o melhor pode estar ali.

Independente dos resultados do seu dia, do seu mês e do seu ano acredito que se você encarar com leveza, humor e positividade a vida estará aproveitando o aqui e o agora de forma fundamental sem postergar a felicidade, sem ser vítima de você mesma. Ninguém quer ser coadjuvante porque nascemos e somos responsáveis por ser protagonistas da nossa história.

Se não você, quem? Se não agora, quando?

Beijo, e uma vida criativa pra você!

Pri Coelho