fbpx

Categoria: Feminismo

19.03.18

Marielle Presente – Não podemos nos esquecer e nem nos calar!

 

Na noite da última quarta-feira (14/03/2018), a vereadora Marielle Franco foi executada com vários tiros e o motorista que estava na linha de fogo também foi baleado e faleceu.
O que ela fez para que isso acontecesse? Foi dona de si e buscou, na vida política e pública, ajudar a quem mais precisava, em suas redes sociais, dias antes do assassinato ela falou sobre a matança que estava ocorrendo em favelas do RJ.

 

Quem a matou (ou mandou matar)? Não sabemos e talvez nunca seja esclarecido, mas a morte de Marielle trouxe para nós, brasileiros, o medo de “experimentar” a ditadura novamente em nosso país.

Este blog não é de cunho político e nem noticiário (até por eu não ser apta para tal), mas essa tragédia é algo que afeta a todos nós, independentemente de sermos ligados ou não a política e considero importantíssimo usar este espaço sólido (em tempos de stories, o registro aqui é “quase eterno”) para falar um pouquinho sobre isso.

Marielle morreu por ser uma mulher negra que ousou tentar defender os seus, ela morreu por não se calar em uma sociedade machista e racista e querer que o povo negro da favela fosse tratado como qualquer outra pessoa. Não é louco que uma pessoa perca a vida por ter dito que tinha jovens morrendo? Infelizmente, ela foi mais uma mulher brasileira executada devido a sua luta e ideais.

 

 

Nós mulheres (eu e a maioria das pessoas que leem o blog), precisamos nos fortalecer cada vez mais diante de situações como essas, é preciso que a gente se posicione e principalmente que a gente não se cale nunca mais.

Que a voz e a luta de Marielle ecoe em todas nós para que possamos (cada uma dentro da sua realidade), ser um pouquinho do que ela foi para tanta gente.

Que sejamos justas, guerreiras, empáticas e dispostas a construir um mundo melhor.  

 

04.04.17

Empreendedoras Gordas

Nós, que somos gordas (os), sabemos claramente que, infelizmente, o mercado de trabalho ainda é super preconceituoso com os nossos corpos, muitas vezes, a saída para se manter trabalhando sendo gorda ou gordo é empreender.

Mas empreender não é só sucesso e nem é só para ricos, é um caminho delicado e cheio de obstáculos, que quem escolhe, precisa ter muito foco para as coisas acontecerem. Com tanta dificuldade, entendo que as Empreendedoras Gordas que brilham com seu trabalho precisam ser muito mais valorizadas e reconhecidas.

Por saber que quando se é mulher e gorda as coisas são mais difíceis, é que vou iniciar aqui no blog uma nova tag onde vou “entrevistar” várias mulheres gordas que estão gerindo seus empreendimentos.
Com os posts de cada uma delas (penso em fazer 3 por mês), tenho como objetivo que todos que acompanham o blog, possam conhecer histórias de mulheres inspiradoras e um pouquinho dos empreendimentos delas. Uma mulher empoderada é capaz de tudo que ela quiser, e quero que todas nós possamos nos inspirar em outras mulheres tão parecidas com a gente.

Acredito e torço para que a história dessas mulheres inspirem muitas outras… Eu não acho que todo mundo necessite EMPREENDER para ter sucesso, mas não há como negar que essa possa ser uma boa opção. Também não dá para acharmos que é possível abrirmos uma empresa e ficarmos logo rycas, mas é possível sim, com pouco dinheiro, iniciar um negócio e em pouco tempo (e muito esforço) se estabilizar no mercado.

Eu já tenho em mente alguns nomes que convidarei para participar destes posts, mas quero mais dicas aqui nos comentários de mulheres gordas que estão empreendendo em qualquer que seja a área.

Vamos juntas valorizar essas mulheres e ajudar outras a se motivarem? Conto com vocês. *_*

 

 

27.06.16

Saiba como denunciar casos de Estupro!

Uma em cada Cinco mulheres no Brasil serão estupradas ao longo da vida! Este percentual é grande demais para deixarmos esse assunto apenas em locais focado nele.
Como o Beleza sem Tamanho é um blog focado totalmente em mulheres, quando tive acesso a este material fiz questão de compartilhar com vocês.
Eu espero muito que ninguém precise passar por isso, mas se passarem que saibam como denunciar casos de estupro.
Assistam ao vídeo agora mesmo.
(Embora ela cite a cidade de Curitiba, as dicas servem para todas as cidades)

como denunciar casos de Estupro

Enquanto tem muita mulher sofrendo violência sexual, tem muita mulher também disposta a ajudar no acolhimento das vítimas. Para facilitar o acesso de quem pode ajudar e quem precisa de ajuda foi criado um site que funciona como Mapa do Acolhimento. Para mais informações é só acessarem:

http://www.mapadoacolhimento.nossascidades.org/

Após fazer os primeiros procedimentos que prezam pela saúde da vítima, chega o momento de denunciar e muitas vezes a pessoa não consegue fazer isso imediatamente.

Imagino o quanto é difícil para quem sofre esse momento, mas é muito importante que os estupradores sejam punidos, para saber mais sobre denúncias acessem esse link (aqui) e confiram que em alguns casos a denúncia pode ser feita muitos anos depois do ocorrido.

Vamos juntas espalhar essas informações?

Conto com a ajuda de vocês para que o máximo de mulheres possível possa saber exatamente o que fazer caso venha a precisar.  Mas espero de <3 que a cada dia menos mulheres precisem dessas dicas, e que os estupradores entendam enfim que nenhum corpo deve ser tocado sem permissão.

31.05.16

“Por Todas Elas” – Unidas para o fim da violência contra a mulher!

Nos últimos dias a internet ficou um alvoroço devido ao caso trágico da menina carioca que foi estuprada, filmada e exposta nas redes sociais. Infelizmente muitas pessoa decidiram culpar a vítima e fechar os olhos para a Cultura do Estupro, em meio ao #mimimi de pessoas que se sentem “donos da verdade” e decidiram julgar essa adolescente, surgiu um grande movimento de mulheres dispostas a lutar para casos como esses não aconteçam mais.

Para trazer um pouco de esperança de dias melhores, nasceu o movimento “Por Todas Elas” que se transformou rapidamente em um ATO que está sendo realizado em diversas cidades do Brasil. <3

 

por todas elas

Nós mulheres estamos cansadas de viver com medo, cansadas de levarmos culpas que não são nossas, e mais cansada ainda de ver outras mulheres serem julgadas o tempo todo.

Nós podemos ser o que quisermos, queremos ser respeitas em todos os lugares e que as pessoas entendam que a nossa vontade precisa ser ouvida.

Para aumentar essa voz os atos acontecem amanhã em várias cidades, busquem os eventos no Facebook (aqui) participem das mobilizações que vão acontecer em várias cidades.

E não se esqueçam no dia a dia vamos juntas apoiar e empoderar outras mulheres. <3

28.05.16

Autoaceitação: um caminho de dor, descoberta e amor

Olá meninas! Tudo bem? Sabe quando dá aquele estalo e você não quer mais ser só o que os outros te impõem? Pois é, comigo foi assim: um belo dia acordei e fiz o que eu sempre fiz de melhor, questionar. Mas desta vez questionei a mim mesma, me perguntei porque eu ainda estava ali naquela posição de coitada, ainda à espera de ouvir um “você é gordinha, mas tem um rosto lindo” e tomar isso como elogio.
A partir de então levantei, bati a poeira e fui à luta. Fácil? Claro que não! No início era bem difícil e ainda hoje, momento que já estou de bem com meu corpo, é bem complicado lidar com certas situações, eu costumo dizer que é uma luta diária, mas o importante é começar. Iniciei procurando, principalmente na internet, pessoas que pensavam como eu, mulheres que também estavam cansadas desse bendito padrão de beleza e resolveram colocar a boca no trombone, e o melhor de tudo é que eu encontrei.
Assim como todas as meninas gordas que vão procurar apoio na internet, de cara eu já tive contato com o Plus Size, conheci blogs, modelos, agências de modelos e isso foi me ajudando a começar meu processo de aceitação e por um tempo foi muito construtivo, até encontrar o próximo obstáculo que é perceber que o mundo Plus Size não é tão cor de rosa como a gente pensa. Descobri que em grande parte dele existe um padrão, sim isso mesmo, tem padrão pra ser gorda, onde se passar do manequim 50 já não tem representatividade, muitas marcas de roupa que se dizem quebradoras de padrão só fabricam roupas até tamanho 50/52 e campanhas publicitárias com modelos com manequim 46, no máximo 48.

genize (2)
Parecia que eu tinha voltado á estaca zero, foi então que conheci a luta antigordofobia, entrei em grupos, fóruns, pesquisei sobre, busquei textos, artigos científicos, conheci pessoas incríveis e voltei a me encontrar em um ambiente onde de fato há diversidade, me fez e faz muito bem. É muito bom saber que você não está sozinha e que existem outras pessoas que passam pelos mesmos dilemas que você, que faz os mesmos questionamentos que você e que está na mesma luta, é um sentimento de acolhimento lindo que recomendo muito. <3
Pode ser que o caminho da minha ‘busca pela felicidade’ tenha sido um tanto comprido, talvez você escolha outro trajeto, ou já chegou lá com menos reviravolta que eu, o importante mesmo é chegar, é se olhar no espelho com amor e ver uma mulher linda, digna, respeitada e dona de um corpo maravilhoso que traz histórias que só você sabe contar!
Ahhh… antes que eu me esqueça, meu nome é Genize (pode chamar de Gê), tenho 25 anos, mulher negra e gorda e que se acha maravilhosa. Essa é a primeira de muitas vezes que nos veremos aqui na casinha da Kalli, então te espero nos próximos dias para papearmos mais um pouquinho, ok?
Beijos, até logo! 😉

 

genize