fbpx
04.08.18

Nosso Voto precisa ser Consciente e útil para nossas causas.

Lembro-me que nas eleições de 2014 convidei a quem me acompanhava que votássemos em mulheres femininistas, eu já tinha essa postura e venho sempre priorizando votar em candidatas que defendem as causas feministas.

Essa minha escolha é por acreditar que precisamos de mais igualdade numérica nas assembleias, isso é uma necessidade real ou seguiremos tendo homens decidindo sobre nossas vidas. 

Mas para essa eleição eu tenho um candidato que é homem e magro (sei que por conta de vivência o ideal seria uma pessoa gorda levantando essa bandeira, mas não dá para desprezar as boas intenções de uma pessoa só por uma questão de tipo físico), que se mostrou muito disposto a lutar pelas nossas dificuldades na Assembléia Legislativa de Minas Gerais.

A falta de acessibilidade para o corpo gordo é uma realidade e já abordei esse tema aqui inúmeras vezes, porém, recentemente, eu convivi de forma mais intensa com essa situação.
E quando a gente é privado de fazer algo, é que tudo fica mais a flor da pele, eu já sabia que só vamos conseguir uma melhoria na questão estrutural através de Leis e para isso, precisávamos de apoio legislativo nessa luta, mas eu nunca fui atrás de um para ver a viabilidade disso, aconteceu que conheci o candidato a Deputado Estadual por MG Claudinho Souza, e ao contar sobre a real e urgente necessidade das pessoas gordas em relação a acessibilidade, ele, na mesma hora, abraçou a causa e disse que vai levantar essa bandeira na Assembleia Legislativa, mesmo conhecendo-o há pouco tempo eu consegui sentir nele algo verdadeiro, que realmente fez sentido pra mim e tenho certeza que fará pra quem também se encontra com dificuldades e sabe que precisamos muito de melhorias no que diz respeito ao nosso direito de ir e vir.
Além das promessas de projetos para quando eleito, ele me disse que independente do resultado, ele coloca o escritório de advocacia dele a disposição para processos referentes à nossa causa (se precisarem, posso fazer a ponte).

Não sei o resultado das eleições e se o candidato que escolhi apoiar publicamente vai se eleger, mas sei que esse contato me fortaleceu e quero muito poder nos organizarmos melhor como militância para buscarmos por vias legais nossos direitos.
Gostaria de pedir a todos que compartilham comigo dessa causa e que também acreditam que é possível conseguirmos melhorias em nosso estado, que estejam ao meu lado nesse momento importante e decisivo, para eleger quem nos representará.
Eu vou votar nele —> Claudinho Souza Dep Estadual 44.125

01.08.18

Moda Plus Size e Representatividade Gorda no Tedx Laçador

É notório que cada vez mais nós pessoas gordas, estamos conquistando mais espaços e ocupando todos os lugares, de um tempo para cá temos tido a oportunidade de “falar” como destaque para outros públicos (não estamos mais restritos a moda e produtos plus size), seja em eventos ou até em peças publicitárias.

Recentemente  a Flávia criadora do Pop Plus,  foi atração de um TEdx. Tivemos pela primeira vez (que eu saiba) a nossa pauta  abordada em um Tedx aqui no Brasil, a Flávia Durante foi convidada a participar do TEDx Laçador em Porto Alegre e falou de moda plus size, autoestima a gordofobia.

Eu gostei muito do resultado, inclusive gostaria MUITO que vocês apertassem o play do vídeo agora mesmo. *_*

Em seu blog a Flávia postou o texto na íntegra (aqui) que ela usou no TEDx Laçador, falou também sobre como foi para ela essa experiência.

O que eu mais curto em vídeos como este (menos de 20 minutos e muita informação) é que podemos espalhar para os amigos e familiares que nunca tiveram nenhum contato com o tema,  para que eles também possam entender um pouquinho da nossa vivência.

Vocês já viram outros TEDx que abordem os temas moda plus size ou gordofobia aqui do Brasil? Se sim é só me indicar que terei prazer em divulgar. <3

17.07.18

OP Grandes Mulheres – Moda Plus Size em Juiz de Fora

Na última semanaeu tive a oportunidade de ir conhecer a loja OP Grandes Mulheres, localizada no Santa Cruz Shopping em Juiz de Fora, a loja trabalha com fabricação própria e veste tamanhos plus size muito antes desta denominação existir. É uma empresa familiar com mais de 20 anos de mercado, que carrega muita tradição e clientes satisfeitas em sua trajetória, a marca  oferece produtos de boa qualidade e preços ótimos e inclusive trabalha com preços ainda mais baixos para atacado e é uma ótima opção para quem revende moda plus size.

Mesmo sendo uma loja mais tradicional com peças básicas eu fiquei muito feliz com o que encontrei por lá, infelizmente ainda existe um estigma com lojas mais antigas e muitas vezes se acredita que nelas só vamos encontrar “roupas de velha”, mas pelo contrário lá eu encontrei estampas super atuais e  aprovei demais a modelagem que não apertou meus braços (algo bem comum de acontecer) e vestiu super bem no meu corpo.

Fiz uma série de stories (inclusive estão salvos nos destaques do @belezasemtamanhocom os casacos da OP Grandes Mulheres que estão em promoção e os preços variam de 69 a 99 reais.

 

Pude escolher algumas peças para mim e duas delas eu já usei, esse casaco está custando 79 reais e blusinha básica é de 29,90.

São peças com bons tecidos, modelagem legal e costuras bem feitas (sim, eu reparo nisso) e por isso me surpreendi muito com os precinhos que as peças estão durante a  promoção, mas sou curiosa e questionei os preços reais das peças e vi que mesmo fora da promoção as peças sempre tem preços bons no varejo e muito competitivos no atacado (alô lojistas!).

 

Acompanhem a OP Grandes Mulheres nas redes sociais e fiquem ligadinhas nas novidades e promoções da loja.

Facebook: https://www.facebook.com/oploja/

Instagram: https://www.instagram.com/opgrandesmulheres/

Endereços:

Juiz de Fora – Santa Cruz Shopping, loja 1.219, Setor Amarelo – Telefone: 32- 3212-9721

Santos Dumont – Galeria Paulo Couri, Loja 12, Centro – Telefone: 32- 3251-4101

 

Quem mora em Juiz de Fora e região precisa ir lá conhecer de perto e aproveitar as promoções. *_*

 


*Post Patrocinado 

05.07.18

Calça de Moleton para Gordos – LOOK PLUS SIZE MASCULINO

O bom e velho moleton voltou a moda com tudo, perdeu o status de roupa de ficar em casa para se tornarem peças desejos das estações mais frias, e isso é maravilhoso por se tratar de peças confortáveis e quentinhas. Mesmo com o auge do mescla eu ainda não tinha visto uma calça de moleton para gordos que vestisse realmente bem, mas a Kallli trouxe para mim do Pop Plus um da marca Rainha Nagô e eu já não o tiro do corpo mais.

Blusa: Kauê
Colete: Era uma Jaqueta da Cambos
Calça: Rainha Nagô – Afro – Style
Tênis: Vans
Imagens: Mateus Castro 

 

No dia que fiz estas fotos eu estava indo almoçar junto com outros amigos influenciadores, fomos em um estabelecimento de Juiz de Fora que estava lançando seu novo cardápio. Para a ocasião eu escolhi usar calça de moleton da Rainha Nagô,  com blusa de gola polo e o meu colete jeans. Falando nisso, o colete é outra peça que nunca encontrei no mercado plus size que me servisse, a minha alternativa foi cortar uma jaqueta jeans que eu já tinha.

Eu curti demais o resultado das três peças juntas, além do conforto máximo que elas proporcionam eu me senti bem usando-as, e isso é sempre o mais importante para mim quando me visto.

Vocês gostam de looks como esse?

Costumam usar moleton no dia a dia, ou ainda consideram eles como peças de ficar em casa na preguiça?

 

 

04.07.18

Projeto “Quem são as pessoas gordas?”

Gordofobia é um conceito que começou a ser discutido há muito pouco tempo, por isso ele ainda causa algumas confusões em quem não o conhece direito (e até em quem o estuda). O fato de essa opressão começar a ter sido discutida na internet aumentou seu alcance, mas também aumentou certos preconceitos em relação a isso. Além das pessoas que duvidam da existência da gordofobia (classificando-a desde pós-modernismo até mimimi), muitas simplesmente fazem piadas com quem luta contra ela.

Um dos conceitos mais errados sobre a gordofobia é aquele em que se fala que todas as pessoas gordas são iguais e, normalmente, isso é colocado de forma pejorativa. Por isso, quis realizar esse projeto, para mostrar o quão falsa é essa afirmação. Assim como qualquer outro grupo, pessoas gordas são diferentes entre si. Elas vêm de diferentes lugares, são de todas as idades, orientações sexuais e classes sociais.

Para realizar esse projeto, entrei em contato com pessoas de dois grupos em que participo – Baleia e Gordofobia Não –  além de anunciar no twitter e no facebook do Voz das Gordas. Quis retratar as peculiaridades de cada uma dessas pessoas. É importante retratar que como os entrevistados vieram desses grupos anti-gordofobia já existe certo perfil entre os entrevistados, mas, na vida real, as diferenças entre as pessoas gordas são ainda mais marcantes.

 

Para mostrar o resultado dessa pesquisa quis focar em pontos nos quais persiste o estereótipo da pessoa gorda: estado civil, exercícios físicos, alimentação, etc. É importante ressaltar que o estereótipo não é algo errado. Não existe o gordo certo e o gordo errado, existem pessoas que tem hábitos e vidas diferentes.

Não existe problema nenhum em ser uma pessoa gorda e estar solteira, o seu status de relacionamento não é da conta de ninguém. Da mesma forma, aqueles que se alimentam bem e fazem exercícios físicos não são melhores ou piores do que os que não fazem. Então, a partir da próxima postagem vamos mostrar, através de fotos e depoimentos, que é impossível nos classificar de uma só forma.