fbpx
01.08.18

Moda Plus Size e Representatividade Gorda no Tedx Laçador

É notório que cada vez mais nós pessoas gordas, estamos conquistando mais espaços e ocupando todos os lugares, de um tempo para cá temos tido a oportunidade de “falar” como destaque para outros públicos (não estamos mais restritos a moda e produtos plus size), seja em eventos ou até em peças publicitárias.

Recentemente  a Flávia criadora do Pop Plus,  foi atração de um TEdx. Tivemos pela primeira vez (que eu saiba) a nossa pauta  abordada em um Tedx aqui no Brasil, a Flávia Durante foi convidada a participar do TEDx Laçador em Porto Alegre e falou de moda plus size, autoestima a gordofobia.

Eu gostei muito do resultado, inclusive gostaria MUITO que vocês apertassem o play do vídeo agora mesmo. *_*

Em seu blog a Flávia postou o texto na íntegra (aqui) que ela usou no TEDx Laçador, falou também sobre como foi para ela essa experiência.

O que eu mais curto em vídeos como este (menos de 20 minutos e muita informação) é que podemos espalhar para os amigos e familiares que nunca tiveram nenhum contato com o tema,  para que eles também possam entender um pouquinho da nossa vivência.

Vocês já viram outros TEDx que abordem os temas moda plus size ou gordofobia aqui do Brasil? Se sim é só me indicar que terei prazer em divulgar. <3

17.07.18

OP Grandes Mulheres – Moda Plus Size em Juiz de Fora

Na última semanaeu tive a oportunidade de ir conhecer a loja OP Grandes Mulheres, localizada no Santa Cruz Shopping em Juiz de Fora, a loja trabalha com fabricação própria e veste tamanhos plus size muito antes desta denominação existir. É uma empresa familiar com mais de 20 anos de mercado, que carrega muita tradição e clientes satisfeitas em sua trajetória, a marca  oferece produtos de boa qualidade e preços ótimos e inclusive trabalha com preços ainda mais baixos para atacado e é uma ótima opção para quem revende moda plus size.

Mesmo sendo uma loja mais tradicional com peças básicas eu fiquei muito feliz com o que encontrei por lá, infelizmente ainda existe um estigma com lojas mais antigas e muitas vezes se acredita que nelas só vamos encontrar “roupas de velha”, mas pelo contrário lá eu encontrei estampas super atuais e  aprovei demais a modelagem que não apertou meus braços (algo bem comum de acontecer) e vestiu super bem no meu corpo.

Fiz uma série de stories (inclusive estão salvos nos destaques do @belezasemtamanhocom os casacos da OP Grandes Mulheres que estão em promoção e os preços variam de 69 a 99 reais.

 

Pude escolher algumas peças para mim e duas delas eu já usei, esse casaco está custando 79 reais e blusinha básica é de 29,90.

São peças com bons tecidos, modelagem legal e costuras bem feitas (sim, eu reparo nisso) e por isso me surpreendi muito com os precinhos que as peças estão durante a  promoção, mas sou curiosa e questionei os preços reais das peças e vi que mesmo fora da promoção as peças sempre tem preços bons no varejo e muito competitivos no atacado (alô lojistas!).

 

Acompanhem a OP Grandes Mulheres nas redes sociais e fiquem ligadinhas nas novidades e promoções da loja.

Facebook: https://www.facebook.com/oploja/

Instagram: https://www.instagram.com/opgrandesmulheres/

Endereços:

Juiz de Fora – Santa Cruz Shopping, loja 1.219, Setor Amarelo – Telefone: 32- 3212-9721

Santos Dumont – Galeria Paulo Couri, Loja 12, Centro – Telefone: 32- 3251-4101

 

Quem mora em Juiz de Fora e região precisa ir lá conhecer de perto e aproveitar as promoções. *_*

 


*Post Patrocinado 

05.07.18

Calça de Moleton para Gordos – LOOK PLUS SIZE MASCULINO

O bom e velho moleton voltou a moda com tudo, perdeu o status de roupa de ficar em casa para se tornarem peças desejos das estações mais frias, e isso é maravilhoso por se tratar de peças confortáveis e quentinhas. Mesmo com o auge do mescla eu ainda não tinha visto uma calça de moleton para gordos que vestisse realmente bem, mas a Kallli trouxe para mim do Pop Plus um da marca Rainha Nagô e eu já não o tiro do corpo mais.

Blusa: Kauê
Colete: Era uma Jaqueta da Cambos
Calça: Rainha Nagô – Afro – Style
Tênis: Vans
Imagens: Mateus Castro 

 

No dia que fiz estas fotos eu estava indo almoçar junto com outros amigos influenciadores, fomos em um estabelecimento de Juiz de Fora que estava lançando seu novo cardápio. Para a ocasião eu escolhi usar calça de moleton da Rainha Nagô,  com blusa de gola polo e o meu colete jeans. Falando nisso, o colete é outra peça que nunca encontrei no mercado plus size que me servisse, a minha alternativa foi cortar uma jaqueta jeans que eu já tinha.

Eu curti demais o resultado das três peças juntas, além do conforto máximo que elas proporcionam eu me senti bem usando-as, e isso é sempre o mais importante para mim quando me visto.

Vocês gostam de looks como esse?

Costumam usar moleton no dia a dia, ou ainda consideram eles como peças de ficar em casa na preguiça?

 

 

04.07.18

Projeto “Quem são as pessoas gordas?”

Gordofobia é um conceito que começou a ser discutido há muito pouco tempo, por isso ele ainda causa algumas confusões em quem não o conhece direito (e até em quem o estuda). O fato de essa opressão começar a ter sido discutida na internet aumentou seu alcance, mas também aumentou certos preconceitos em relação a isso. Além das pessoas que duvidam da existência da gordofobia (classificando-a desde pós-modernismo até mimimi), muitas simplesmente fazem piadas com quem luta contra ela.

Um dos conceitos mais errados sobre a gordofobia é aquele em que se fala que todas as pessoas gordas são iguais e, normalmente, isso é colocado de forma pejorativa. Por isso, quis realizar esse projeto, para mostrar o quão falsa é essa afirmação. Assim como qualquer outro grupo, pessoas gordas são diferentes entre si. Elas vêm de diferentes lugares, são de todas as idades, orientações sexuais e classes sociais.

Para realizar esse projeto, entrei em contato com pessoas de dois grupos em que participo – Baleia e Gordofobia Não –  além de anunciar no twitter e no facebook do Voz das Gordas. Quis retratar as peculiaridades de cada uma dessas pessoas. É importante retratar que como os entrevistados vieram desses grupos anti-gordofobia já existe certo perfil entre os entrevistados, mas, na vida real, as diferenças entre as pessoas gordas são ainda mais marcantes.

 

Para mostrar o resultado dessa pesquisa quis focar em pontos nos quais persiste o estereótipo da pessoa gorda: estado civil, exercícios físicos, alimentação, etc. É importante ressaltar que o estereótipo não é algo errado. Não existe o gordo certo e o gordo errado, existem pessoas que tem hábitos e vidas diferentes.

Não existe problema nenhum em ser uma pessoa gorda e estar solteira, o seu status de relacionamento não é da conta de ninguém. Da mesma forma, aqueles que se alimentam bem e fazem exercícios físicos não são melhores ou piores do que os que não fazem. Então, a partir da próxima postagem vamos mostrar, através de fotos e depoimentos, que é impossível nos classificar de uma só forma.

 

02.07.18

Ensaio fotográfico Templo das Gordas

Em um dos muitos grupos que faço parte no Facebook, eu vi nascer uma iniciativa bem legal e mesmo de longe fiquei acompanhando e torcendo para que fosse algo legal. Eu vi uma fotógrafa se disponibilizar para fotografar todas as meninas que quisessem e dali nasceu a idéia do Ensaio Fotográfico Templo das Gordas, após ela se oferecer chegaram mais pessoas dispostas a ajudar nesse dia (maquiadoras e outra fotógrafa e até uma marca para empréstimos de roupas) e com tanta gente se doando o resultado não poderia ser diferente, as fotos saíram e ficou tudo muito MARAVILHOSO.

Pedi as meninas permissão para compartilhar aqui no blog as fotos e um pouquinho da experiência delas, e hoje estou feliz em trazer para o blog tanto amor (inclusive o próprio) e fotos lindas.

O post vai ser grande, mas eu juro que vale a pena ler e sentir um pouquinho do que foi esse dia para elas. <3

 

Cíntia Lira – @ccolira

As palavras-chave são EMPODERAMENTO e AMOR. Devo confessar que eu estava um pouco preocupada de não conseguirmos nos soltar para interagir e posar para as fotos, mas felizmente esse não foi o caso! É inacreditável como tudo contribuiu para que as coisas corressem perfeitamente. Conseguimos roupas emprestadas da Lollaboo, maquiadoras muito boas, duas fotógrafas… O dia estava muito bonito, e as meninas se entrosaram com bastante facilidade. Eu as vi posando com muita espontaneidade, porque estávamos todas visivelmente contentes com o encontro, com as roupas, com a ideia de sermos modelos num ensaio. Isso gerou auto-confiança. Estavam todas gostosas, e sabiam disso. Muitas pessoas ficaram olhando, afinal, um monte de gorda reunida, de barriga de fora, de saia curtinha, é muito para a cabeça de alguns. Mas todas lidamos com isso da melhor forma. Ignoramos os olhares, erguemos a cabeça e continuamos nos divertindo. Eu, particularmente, estava tão envolvida no que estava acontecendo, que simplesmente senti, não tive muito tempo para pensar, e não tirei uma selfie sequer. Me senti poderosa, andando de saia lápis, top e coturno no meio do MASP, algo impensável até pouco tempo atrás… sabendo que contava com a admiração e respeito das mulheres que estavam ali comigo. Mas o que me deixou muito contente mesmo, é que até quem disse que não iria posar, que só compareceria para observar e conhecer as minas do grupo, se sentiu a vontade para posar, e mandou muito bem. Foi lindo ver todas desabrochando, sorrindo, se sentindo confiantes. Eu vi naquele momento que o grupo estava servindo ao propósito, especialmente porque tivemos diversidade de corpos e tons de pele. Foi a experiência mais única da minha vida. Geralmente eu sou ansiosa e até um pouco calculista, para evitar ser constrangida. Nesse dia, não. Minha guarda estava baixa, eu senti tudo. Fiquei elétrica por dias. Depois ainda fomos a um barzinho juntas, o que também foi muito divertido. Então além do dia do ensaio e das fotos em si, que ficaram lindas, nós estreitamos laços, o que pra mim é muito importante. Há um tempo eu venho me sentindo melhor com a minha aparência, mas três fotos em especial me encheram de um sentimento novo. Em uma, eu me senti literalmente uma deusa. Foi a primeira vez que eu me vi em uma foto e pensei “que mulherão!”, e realmente me achei incrível. Noutra, eu senti o meu coração cheio de amor, porque vi como estávamos entregues ao momento. A terceira, que me mostra sorrindo, gerou um misto de insegurança e contentamento, porque há muitos anos eu não me permitia sorrir em público, sempre me policiando e cobrindo o rosto quando não conseguia evitar. Nesse ensaio eu sorri, esqueci de cobrir o rosto, fui fotografada rindo! Depois do estranhamento, eu percebi que não tem nada de errado com o meu sorriso, ao contrário do que me levaram a crer anos atrás. Esse ensaio me fez muitas coisas, e uma dessas coisas foi que agora eu me permito sorrir, e quero estar com pessoas que provoquem meu riso. Esse ensaio foi uma das coisas que me preparou, espiritualmente, para o ataque gordofóbico que sofri no facebook dias depois, pois me deixou consciente e segura de mim mesma.

 

Jaque Jesus – @ja.quino

Quando a Cíntia propôs o ensaio foi um grande presente. Mesmo com a insegurança de nunca ter sido fotografada dessa forma, eu topei na hora! E que bom que topei! Encontrar essas mulheres incríveis e partilhar esse momento de empoderamento com elas, foi uma experiência extraordinária. Vimos de perto uma após a outra perder a vergonha, abrir os sorrisos e fazer vários carões, foi uma descoberta coletiva bem bonita. Após o ensaio, quando vi nas fotos eu pensei “Noooossa, somos mesmo invencíveis. E eu me vi maravilhosa de uma forma como nunca antes”. A sociedade destrói a auto estima da mulher gorda todos os dias, seja nos olhares de reprovação, nos panfletinhos de dietas, nas catracas do ônibus e principalmente nas falsas preocupações com a nossa saúde. Quando nos reunimos em grupo e enaltecemos como somos lindas, poderosas e sexys, parece que as coisas ficam um pouco mais fáceis. Nos tornamos mais fortes para enfrentar o mundo lá fora.

 

Claudia Baht – @claudia_baht

Minha auto-estima está sendo nutrida pela experiência nesse grupo de gordas.
Posar para as fotos foi uma superação que só aconteceu porque o encontro com as mulheres do Templo das Gordas gerou uma vibe tão incrível, que me senti tão poderosa como todas que estavam lá.
Fui ao encontro resoluta que não ia posar para as fotos e que queria mesmo era conhecê-las pessoalmente e acabei tomando uma lição de como olhar para mim e ver a mesma beleza que vi naquelas mulheres maravilhosas e desde então, estou mergulhando no amor e na dor de enxergar o meu corpo e me posicionar.
O contato com o grupo está me proporcionando uma experiência de crescimento sem volta e realmente engrandecedora.
Enfim, agradeço de coração a todas, t-o-d-a-s, TODAS as mulheres do grupo Templo das Gordas por me proporcionarem isso. 🖤

 

Jéssica – @jessica_mantovani751

Esse ensaio de fotos foi umas das melhores experiências que já vivi. Me senti mais mulher mais linda me senti ainda mais segura. Conheci mulheres lindas e cheias de poder. E a partir desse dia me sinto ainda mais linda e poderosa. Por que sei que sou assim e sou linda com esse MEU PADRÃO.

Aline Carolina – @a.caaarol

Que experiência incrível, nunca tinha feito um ensaio mesmo sempre tendo gostado de tirar fotos. Meu maior medo era os olhares das pessoas ao redor, mas estar com outras mulheres que me inspiram me deu muita força e animação na hora de fazer as poses e carão.
Antes mesmo de ver o resultado já me sentia muito mais linda, poderosa e confiante. Aguardei as fotos muito ansiosa, e foi uma surpresa ver que mesmo com toda vergonha as fotos tinham ficado linda.
Depois desse ensaio me sinto muita mais segura na hora de tirar fotos, principalmente quando estou na presença de outras pessoas.

Ensaio fotográfico Templo das Gordas

Erica (Kika) – @kika_bm

Sou gorda desde que me entendo por gente ou até mesmo antes disso. Já emagreci, engordei incontáveis vezes nessa vida.
Engravidei com 30 e desde então, reencontrar a auto estima tem sido uma labuta. O corpo muda, a cabeça muda. As fotos me ajudaram a consolidar o meu reencontro com a mulher em mim, depois do processo de maternidade. A gente se reinventa, né? E nada melhor do que um olhar cuidadoso pra mostrar o que a gente, muitas vezes, esconde ou não tem tempo pra olhar.
Uma coisa bastante marcante dessas fotos é que recebi elogios da minha própria mãe, uma pessoa que sempre criticou meu corpo.
Outras pessoas que também sempre sugeriram, inclusive, a bariátrica pra mim, vieram falar que as fotos estavam fantásticas.
Acho que falta o olhar do corpo gordo como estético. Não é o status, mas é bonito. As pessoas não estão acostumadas a ver, não sai na mídia.

Para a realização deste dia maravilhoso algumas profissionais doaram seu trabalho e convido todos a curtir/seguir as páginas delas.

Maquiagem: By Caroline & Vannessa  e   Jéssica Gregório MakeUp&Ds  

Fotografia: Aline D’Unhão e  Gabriela Lima

A Lollaboo cedeu looks para quem quisesse usar nas fotos.

Foi um dia mega especial para as participantes e até para mim que acompanhei de longe. O exemplo dela é boa dica para todas nós, que tal unirem em suas cidades e fazer sessões de fotos como essas? *_*