fbpx

Categoria: Preconceito

04.04.18

A vida fitness vai te adoecer

Quantas vezes já te perguntaram se você estava de dieta enquanto comia uma fruta ou almoçava salada? Aposto que todo mundo já passou por isso pelo menos uma vez na vida. Essa situação mostra um pouco do problema que é a relação feita entre saúde e estilo de vida fitness, em que as pessoas colocam hábitos saudáveis como presentes só na rotina daqueles que buscam perder peso. Essa é uma atitude muito nociva, uma vez que o que o discurso fitness incentiva, na prática, é um estilo que está longe de ser saudável. A busca por saúde e hábitos equilibrados é uma necessidade biológica, e quando nós dizemos que para que ambos sejam atingidos é preciso adotar a mentalidade fitness, estamos incentivando que pessoas embarquem nesse mundo nocivo.

Saúde é o estado de bem-estar absoluto, e ser saudável significa ter um organismo equilibrado, dentro dos limites esperados para as diversas variáveis de um corpo (idade, gênero, genética, estilo de vida, local de residência). Esse equilíbrio é imprescindível e leva em conta questões como a adequação entre alimentação, exercícios, responsabilidades familiares, estudo e trabalho, uma vez que uma pessoa saudável também é aquela que conhece as necessidades específicas do seu corpo e da sua vida e mantém um estilo de vida adequado a elas.

Ser fitness é algo bem diferente, pois significa fazer parte de uma comunidade (e portanto, de uma cultura) que tem como objetivo a busca por um corpo ideal – magro e musculoso. Esse corpo é atingido com base em duas coisas: Atividades físicas regulares e dietas alimentares específicas.

Parece normal, né? Só que não é, porque esses exercícios físicos são extremos, incluindo normalmente a dor como parte do treino; e os hábitos alimentares são rígidos e limitados, normalmente fazendo parte de uma dieta insuficiente. As pessoas que optam por tentar um estilo de vida fitness são “engolidas” para dentro de uma rede em que perfis de inspiração fit compõem o cotidiano, com fotos no espelho da academia em todos os momentos do dia, dicas de dietas e pratos restritivos, incentivo a dietas como low carb, jejum intermitente e detox. O uso de lemas que incentivam a pessoa a não desistir e atingir o limite são comuns e conhecidos – “sem dor, sem ganho” é um deles.

Hoje, é praticamente impossível tentar ter uma vida ativa e saudável sem ter contato com essa mentalidade fitness, e isso é um problema principalmente porque ela coloca o corpo ideal como maior objetivo, objetivo esse que deve ser atingido a qualquer custo. Não demora muito para que as horas na academia se multipliquem, as refeições diminuam, o suplemento entre na dieta e as situações sociais que envolvem comida passem a ser evitadas.

É fácil perceber que a ideia de saúde e de mentalidade fitness são absolutamente opostas, uma vez que para ser fitness é preciso abrir mão do equilíbrio que é absolutamente necessário pra ser saudável. A mentalidade hegemônica que a gente tem hoje alia saúde à hábitos fitness, de forma que não se concebe mais que uma pessoa possa estar em busca de saúde sem estar em busca de um corpo magro. Isso gera uma legião de pessoas que saem em busca de hábitos mais benéficos e acabam acreditando que através de uma mentalidade fitness atingirão esse estado de equilíbrio, mas o que acontece é o contrário: As dietas restritivas, os períodos de jejum, o corpo levado ao limite, o desejo por um corpo que é praticamente impossível causa um declínio na saúde mental que é tido como normal para muitos de nós. Hoje, ser uma pessoa contente com seu corpo é quase um insulto, uma aberração, pois estamos sendo moldados para estarmos sempre em busca de um suposto aperfeiçoamento físico que nunca chega e sacrifica muito.

Algumas noções da mentalidade fitness são absolutamente contra intuitivas e, ainda assim, entram na mente de milhares de pessoas: Os prejuízos do pão e do leite, os benefícios de comer apenas 2 ou 3 refeições por dia, ou até mesmo de passar longos períodos em jejum absoluto.  Pessoas que estavam apenas em busca de um colesterol equilibrado e caminhadas mais frequentes passam a conviver com grupos que as fazem acreditar que isso não é suficiente, pois a saúde só vale quanto impressa no seu corpo na forma que os outros acham ser válida. Pouco importa os seus exames e hábitos, se o seu corpo não tem o formato tido como saudável, então não é suficiente.

E assim, cada um de nós tem um biótipo, uma predisposição genética pra ter certo tamanho, certa forma. As musas fitness são pessoas com metabolismos e biótipos muito específicos que, com dieta e exercícios, realmente conseguem adquirir barriga negativa e coxas separadas, mas essa é a realidade de pouquíssimas pessoas. Só que isso não é mencionado no discurso fitness, de forma que se incentiva a ideia de que quem não consegue atingir aquele corpo ideal apenas não tentou o suficiente.

O resultado é uma vida baseada em culpa e insegurança por causa de características que são genéticas, é a busca por um corpo impossível. O resultado são milhares de pessoas psicologicamente doentes, que têm corpos perfeitos e ainda assim de odeiam.

A gente precisa entender que é possível buscar saúde sem buscar o corpo perfeito, é possível ser saudável e não ser magro. É possível buscar um equilíbrio e um corpo único, que tem tudo que precisa, que funciona, que é confortável, e que não é nada parecido com os corpos do Instagram. Não dá pra jogar a saúde mental no lixo buscando um corpo que no fim do dia não vai te felicidade real.

Eu desenvolvi esse tema em um vídeo do meu canal, que você pode assistir aqui:

 


31.10.17

O que é Gordofobia? Assistam e divulguem!

O tema gordofobia ainda gera muitas dúvidas, inclusive entre os gordos, não é fácil mesmo entender algo que ainda é muito pouco falado. Mas eu acredito que os vídeos abaixo podem resolver essa questão. Afinal, o que é gordofobia?

A Rachel Patrício participou de um bate papo do canal Comum no youtube, e abordou o tema de forma tranquila e muito detalhada, convido todos vocês a darem play nos vídeos agora mesmo.

A militância anti-gordofobia ainda é muito fraca (pequena e recente) se comparada a outras causas. Por isso, eu peço a quem curtir esses vídeos que divulguem aos seus amigos, só com a divulgação de bons conteúdos que vamos alcançar outras pessoas para participarem ativamente com a gente.

Aqui no blog temos também um FAQ sobre Gordofobia que merece ser lido e espalhado (clica aqui).

Mas mesmo com tanta informação, eu sei que ainda pode existir alguma dúvida. Quer saber mais alguma coisa? Quer falar algo sobre o tema?

Usem os comentários para tirar todas as dúvidas e fazer observações sobre o tema.

 

05.10.17

Ela foi demitida após as fotos que realizou com seu noivo.

Já imaginou fazer fotos que celebram seu amor e seu corpo e vir a ser demitida por conta disso? Infelizmente isso aconteceu essa semana.

Stephanie e seu noivo, fizeram um ensaio de casal onde ela vestia apenas calcinha, mas também não chegava a expor os seios (é seios ainda é tabu). As fotos acabaram viralizando nas redes sociais, pela mensagem de aceitação corporal, amor e cumplicidade.

 

 

Essas fotos ficaram lindas demais. *___*

O resultado imediato foi muito positivo, e eu pude ver essas fotos no meu feed várias vezes, muita gente se sentindo inspiradas e encantadas com as fotos. Com toda a repercussão, ela acabou sendo demitida do seu emprego. (leia aqui)

Eu não sei vocês, mas eu fico chocada ao saber sobre uma notícia como essa. É inacreditável que alguém perca seu emprego por conta de fotos pessoais.

A demissão por si só já é péssimo, mas nesse caso chama atenção que só a mulher foi punida…

A gente sabe que vive em uma sociedade machista, mas fatos como esse são mais uma constatação dessa situação. Outro ponto é o fato de ser um corpo gordo, eu já vi muitos ensaios com mulheres “padrão” que não tiveram suas carreiras prejudicadas.

Nós vivemos em tempos de LIBERDADE (ainda bem), mas infelizmente o CORPO DA MULHER ainda é visto como algo absurdo que não pode ser mostrado (embora a pornografia seja consumido vorazmente).

Que a liberdade da mulher seja também algo real, não tem muita lógica a gente seguir sendo as únicas punidas com o machismo da sociedade em que vivemos.

 

Vocês já tinham visto essas fotos? Concordam que são lindas?

O que pensam a respeito dessa demissão? Contem-me tudo nos comentários. *_*

 

 

16.08.17

Emagrecimento não deveria ser a maior vitória de ninguém.

No programa Masterchef de ontem, aconteceu uma situação deprimente (do meu ponto de vista), mas infelizmente muito comum de se ver. Levaram os 3 vencedores das edições passadas para o programa, no palco do maior programa de culinária da TV brasileira (assista aqui), cada um deles tiveram um tempinho para contar como está sendo a carreira após terem vencido. Enquanto uma participante contou todas as conquistas e cursos que realizou, outra participante declarou ter perdido 39 kgs e que agora tem uma empresa de quentinha low carb.

Conseguem perceber o quanto isso é absurdo? A mulher foi vencedora de um programa que abre mil portas, mas ela, juntamente com nossa sociedade doente, considera como grande vitória o emagrecimento, diminuindo toda a sua competência e colocando em evidência seu corpo magro.
Izabel sofreu muita pressão sobre seu corpo enquanto esteva no programa, várias ofensas gratuitas aconteceram nas redes sociais e é fácil de entender a decisão dela em emagrecer, afinal emagrecimento é pessoal e não tem o que se questionar, mas o que eu considero tóxico é ver uma mulher jovem, com uma carreira brilhante pela frente se resumindo apenas ao emagrecimento.
Toda essa fixação das pessoas por emagrecimento é fruto da Gordofobia que tenta a todo custo culpar e inviabilizar os corpos gordos.
Corpos são mutáveis, engordam e emagrecem várias vezes durante a vida, então, se apegar a um emagrecimento como grande vitória da vida é, no mínimo, algo muito vazio.

Que em um futuro próximo as pessoas parem de supervalorizar o emagrecimento, e se permitam demonstrar competentes em qualquer função, independente do corpo que esteja.

07.07.17

Kelly Clarckson rebate seguidor que a chamou de Gorda!

Kelly Clarckson estava comemorando o 04 de Julho no Twitter, ao postar sobre a Independência dos EUA seus seguidores começaram a responde-la dentro do tema, mas apareceu um engraçadinho que disse: “Você é gorda” e ela imediatamente o respondeu dizendo: “E continuo sendo muito incrível”.

via GIPHY

Em 2015, Clarkson já havia rebatido críticas de que estaria acima do peso. Principalmente, por ser uma pessoa pública. “Eu sou incrível! Não me incomoda. É um mundo livre. Diga o que quiser(…) Eu não procuro pela aceitação dos outros(…) Você pode amar ou você pode odiar. Há muitos artistas por aí”, ironizou. (daqui)

A gente já sabe que ser GORDA é apenas uma característica física, mas muitas pessoas insistem em usá-la na tentativa de nos ofender. Não tenho dúvidas de toda a pressão que Kelly sofre para emagrecer, inclusive já emagreceu algumas vezes, mas gorda ou magra ela é incrível e eu fico feliz que ela saiba muito bem disso.

Para ilustrar essa afirmação eu trouxe seis looks maravilhosos que ela já usou nos palcos, para a gente admirar e até copiar quando precisar arrasar. *_*

 

 

Todo corpo merece ser respeitado e amado independente da sua forma, nossos corpos são mutáveis e podem hoje estar gordo e meses depois magro, assim como pode acontecer ao contrário. O que importa é sabermos que o tamanho de um corpo é apenas o tamanho de um corpo, e isso não interfere na capacidade dele.

Depois de mais esse exemplo, a gente não pode se esquecer do quão incríveis somos.