Tag: plus size

08.09.15

Você pode estar agindo como Gordofóbico, mesmo sendo gordo!

Incrivelmente sempre que falo com alguém que ele está agindo como gordofóbico, a pessoa nega automaticamente e diz que não tem nada haver com preconceito. Mas se a pessoa em questão for gorda aí querem me matar hahaha, baseando-se no argumento: ”“Sou Gordo, como posso ser gordofóbico?”,
Na verdade ninguém pode, mas muitas pessoas são, algumas nem fazem idéia que estão sendo e apenas reproduzem automaticamente a gordofobia.
Vi uma lista com 67 itens (leiam todos <3) que mostra que não é só os xingamentos que é a gordofobia, vai muito além. Confiram na lista, não se sintam envergonhados por terem usado um ou muitos já, mas pensem e mudem isso em vocês.
Não precisamos que as pessoas sigam reproduzindo discurso de ódio ao corpo gordo, vamos juntos mudar essa realidade.

10733138_1553153108233194_1797518441_o

1. Associa pessoas gordas a comida, especialmente comida gordurosa ou calórica
2. Usa a expressão gordice.
3. Fala que precisa emagrecer ao lado de uma pessoa gorda (a gente sabe que isso é pra você se sentir melhor consigo mesmo).
4. Fica batendo na tecla do quanto está emagrecendo/engordando ao lado de uma pessoa gorda.
5. Dá dicas de dieta ou exercícios sem ser solicitado
6. Usa discurso de saúde (você não tem a ver com a saúde de outra pessoa).
7. Faz associação de pessoas gordas a imagens negativas ou de pessoas burguesas (igual aquelas páginas vegans fazem, colocando uma pessoa gorda comendo carne e uma magra feliz e vegan).
8. Não assume relacionamento com uma pessoa gorda ou sequer conseguiria se imaginar em um.
9. Fala que a pessoa tem um “rosto bonito”, mas deveria emagrecer.
10. Critica roupa e estilo de pessoas gordas.
11. Associa pessoas gordas a sedentarismo
12. Diz (e pensa) que certas coisas não são para gordas (como tatuagem, cabelo curto, etc.).
13. Dá risada ou acha graça de pessoas gordas em lugares públicos.
14. Lança olhares de nojo para pessoas gordas comendo ou fica reparando o que elas vão comer
15. Assume que pessoas gordas não sofrem de transtornos alimentares como anorexia
16. Elogia pessoas que emagreceram por causa de doenças
17. Pensa que uma pessoa gorda será mais “fácil” para chegar ou que ela deve “se esforçar” no sentido sexual para compensar não ter um corpo padrão
18. Espera que a pessoa gorda seja sempre simpática/engraçada, que tenha comportamento estereotipado.
19. Duvida da capacidade de controle e estabilidade emocional de uma pessoa gorda (porque só “dessa maneira” ela teria engordado).
20. Assume a sexualidade ou identidade de gênero de uma pessoa gorda baseado no fato dela ser gorda. (uma mulher cis gorda que não usa vestidos só pode ser sapatão porque sim, assumir que um homem trans é uma mulher por causa do tamanho dos seios e largura dos quadris, por ser gordo).
21. É complacente, ficando quieto ou incentivando, com piadas gordofóbicas.
22. Assume o discurso de fat positive, sendo uma pessoa magra, mas a qualquer grama que você ganha tem ataque de nervos.
23. Subestima intelectual, sexual e/ou fisicamente uma pessoa gorda.
24. Silencia uma pessoa gorda, ou compara seu bullying por ser uma pessoa magra com gordofobia.
25. Nega a existência de privilégio magro (feito todos os recortes, ninguém tá falando que quem passa fome tem privilégio), ou zomba/não aceita a existência da gordofobia.
26. Fala “lipofobia”;
27. Tem medo de “estar” gordo (ser gordo não é um estado emocional).
28. Constrange ou humilha uma pessoa gorda por ela mostrar cansaço ao fazer atividades físicas, ou fome ao seu lado. (até quando você mesmo está sentindo essas coisas).
29. Parabeniza a pessoa por ter emagrecido (inclusive quando ela manteve o peso ou até engordou).
30. Faz chantagem emocional quando a pessoa gorda está comendo ou diz ter fome.
31. Parte do princípio que toda pessoa gorda está doente e/ou tem problemas de saúde.
32. Calcula a quantidade de comida no prato de uma pessoa gorda e a frequência com a qual ela come.
33. Não aceita pessoas gordas na sua empresa.
34. Não representa pessoas gordas na sua marca ou arte por achar “feio”.
35. Se recusa a atender uma pessoa gorda no seu estabelecimento (ou a atende mal).
36. Fala que não quer engravidar para não ficar “deformada”.
37. Não produz roupa em tamanho grande para sua marca.
38. Não disponibiliza carteiras, cadeiras e mesas adequadas para pessoas gordas em seu estabelecimento, escola, universidade, escritório, etc.
39. Fetichiza e objetifica pessoas gordas.
40. Assume que todos os problemas de uma pessoa gorda vão acabar a partir do momento que ela emagrecer.
41. Parte do pressuposto que uma pessoa gorda se odeia, ou quer emagrecer porque ela reclamou de uma atitude gordofóbica
42. Fica o TEMPO TODO elogiando as partes mais gordas (tipo a barriga) de uma pessoa gorda só pra pagar de desconstruído – só tá passando vergonha colega.
43. Esquece que uma pessoa gorda sente tesão em várias partes, alisar a barriga dela NÃO É a única forma de acariciar/seduzir/mostrar afeto. Só faz a pessoa gorda se sentir uma pessoa grávida.
44. Aperta pessoas gordas só porque é “fofo”, apenas faça isso se tiver intimidade e consentimento para tal,
45. Assume que uma pessoa gorda é descuidada com sua aparência.
46. Faz uso de eufemismos para a pessoa gorda: fofinha, gordinha, cheinha, fortinha, etc.
47. Assume que uma pessoa gorda está sozinha ou tem problemas para se relacionar com pessoas.
48. Pensa que uma pessoa gorda só pode ser atraente ou agradável por sua personalidade.
49. Não consegue usar a palavra gordo/gorda/gorde ou só a usa em contexto negativo.
50. Ignora a gordofobia dentro das pautas feministas.
51. Fala que admira a coragem de uma pessoa gorda ao fazer coisas como usar roupa de banho (nota minha: penso que isso não vale para outras pessoas gordas, uma vez que essas estarão admirando e muitas vezes se inspirando a fazer o mesmo).
52. Só chega na pessoa gorda em balada/festa em fim de noite porque não conseguiu nada melhor (a gente sempre sabe).
53. Dá de presente roupas de um tamanho obviamente menor do que o da pessoa, pra não ofender com o número grande e dizer “mas dá pra trocar, viu?”.
54. Fica surpreso quando uma pessoa gorda recusa comida, em qualquer circunstância
55. Diz ” quando você emagrecer…”, assumindo que necessariamente isso faz parte do plano de vida da pessoa.
56. Coloca apelidos como “meu gordinho” ou “meu gordo” pra uma pessoa magra.
57. Acha que gorda tem que ficar com todo homem que der em cima porque “tem que aproveitar as oportunidades.
58. Acha que uma gorda tem que ficar agradecida por ser estuprada ou assediada ou abusada sexualmente.
59. Acha que uma gorda NÃO É ASSEDIADA.
60. Usa o termo magrofobia, ou usa tópicos de gordofobia para falar de sofrimento de pessoas magras.
61. Iguala opressão estética a gordofobia.
62. Usa a expressão gordelícia (NUNCA USE!).
63. Fala que gordofobia não é opressão, pois ser gordo é algo que você “pode mudar”.
64. Ignora que a tristeza da pessoa gorda pode vir de vários outros aspectos da vida dela e não do fato dela ser gorda
65. Se diverte assistindo programas de humilhação e emagrecimento de pessoas gordas na tv.
66. Usa a expressão “peso ideal”, especialmente acompanhada da palavra “acima”. E não comecem com papo de IMC que é algo já cientificamente ultrapassado.
67. Assume como algo ruim, ou detestável, colocar roupas que dêem a impressão que o corpo é maior, ou que acentue partes maiores do corpo (tratar como pior coisa do mundo usar blusa de listra horizontal)”.


(A autoria da lista é desconhecida)

Infelizmente o preconceito está em todos os cantos, cabe a nós gordos não reproduzirmos também a gordofobia e alertar a quem ainda reproduz.
Gostaram da lista? Compartilhem <3  para que todos que ainda agem assim, possam entender que não é nada legal ser preconceituoso.

03.09.15

[Fat Art] Cor de Gorda – Tha Lita

Quando criei a tag Fat Art por aqui foi pensando em postar artes de algumas meninas que conheci recentemente, mas a correria do dia a dia a gente vai sempre adiando. Hoje finalmente apresento para vocês a Cor de Gorda da Tha Lita <3 ela é uma mulher gorda e cheia de atitude, mas além disso ela tem o dom de se expressar através dos desenho e na sua page (aqui) tem maravilhosos desenhos de mulheres gordas e seus corpos. O mais legal que muitas meninas são conhecidas desse mundão virtual, acredito que pode ter também conhecida de vocês lá.

Tha Lita -

“Querido corpo,
Eu prometo te amar. Eu prometo te admirar no espelho, eu prometo sorrir pras suas formas, eu prometo não lamentar suas mudanças. Eu prometo me referir a você com carinho. Eu prometo te tratar com delicadeza. Eu te prometo ser fiel. Eu prometo te tocar no banho, eu prometo te tocar na cama, eu prometo te tocar por fora e por dentro. Eu prometo te deixar ser tocado sem medo, quando nossas vontades nos impulsionarem. Eu prometo te deixar ser livre e te exibir com orgulho. Eu prometo te respeitar na saúde e na doença. Eu prometo, querido corpo, te defender de todas as ameaças. Eu te prometo não ser uma ameaça. Mas se eu fraquejar, se me vencerem em minhas promessas, só aguente firme. Eu ainda estarei aqui e nós vamos continuar juntos. Eu prometo te respeitar todos os dias da minha vida, até que a morte nos separe”

tha lita 1 Tha Lita (2)

 

Além dela se auto retratar lindamente, ela ainda é autora desta declaração de amor ao seu corpo.
Vejam na galeria abaixo os desenhos que trouxe para compartilhar com vocês, mas lá na Cor de Gorda ainda tem muito mais. *__*

 


Como não amar? Não tive como não adorar o trabalho dela e super admirar suas imagens e suas idéias.

E vocês o que acharam? Contem-me nos comentários e me indiquem outros artistas.<3

02.09.15

CCJ SP promove especial Gordofobia!

O Centro de Cidadania Jovem de São Paulo promove no próximo dia 10/09 o Especial Gordofobia, com uma programação bem interessante que busca quebrar preconceitos e empoderar os gordos. <3

Fico extremamente feliz em ver um órgão ligado a Prefeitura de São Paulo público abrindo espaço para essa discussão, é muito importante para nós que os gestores públicos em geral comecem a abraçar a nossa causa e nos ajude nessa luta.

 

especial Gordofobia

Confiram a programação completa abaixo, que foi retirada daqui.

DESFILE MODA CCJ PLUS SIZE
Li Bombom, ativista para a valorização das mulheres, reúne mulheres gordas que não perdem em nada no quesito beleza e elegância para participar do Desfile Moda CCJ Plus Size apresentando mulheres reais. Dessa forma, fazer referência à mulheres discriminadas por não se encaixarem no “Padrão de Beleza” amplamente divulgado nos meios de comunicação. Ao final do desfile haverá o “Passarela Livre” com alguns minutos de passarela para quem desejar desfilar.

Dia 10/09, quinta, 16h. Anfiteatro.

Livre para todos os públicos. Não é necessário retirar ingresso.

RODA DE CONVERSA “0% GORDOFOBIA”
No dia 10 de setembro é celebrado dia do gordo com a pretensão de ser uma data de conscientização e contra piadas ofensivas. A roda de conversa “0% Gordofobia” pretende tratar assuntos recorrentes no cotidiano de gordinhos e gordinhos, como o preconceito mascarado de preocupação com a saúde, e padronização midiática de corpo perfeito e pelo fim das chacotas. Em aspectos de gênero, diferenciar como é ser gorda ou gordo atualmente.

A roda de conversa contará com a presença da Mayara Torres, ex-Jovem Monitora Cultural do CCJ e militante feminista contra a gordofobia, Jéssica Ipólito, blogueira do “Gorda e Sapatão”, Li Bombom modelo e empreendedora e Evelyn Queiróz “Negahamburguer”, grafiteira.

Dia 10/09, quinta, 17h. Área de Convivência.

Livre para todos os públicos.

EXPOSIÇÃO “GRITO CONTRA A GORDOFOBIA”
Dia 10 de setembro é dia do gordo, e convidamos você a dar seu grito contra a gordofobia, mande um desenho, foto e ou frase para participar da exposição que ocorrerá no CCJ em setembro. Essa é a chance de todos e todas combaterem mais este preconceito enraizado na sociedade.

Envie seu desenho, foto e/ou frase de enfrentamento à gordofobia para gordofobia@ccj.art.br. Período de envio das fotos de 25 de agosto a 07 de setembro. Os desenhos, fotos e frases ficarão expostas do dia 10 de setembro até dia 30/09. A seleção das fotos será feita por membros da equipe de Jovens Monitores Culturais do CCJ.

Abertura: dia 10/09, quinta, 17h. Hall de Entrada.

Visitação: de 10 a 30/09, durante o horário de funcionamento do CCJ.

 

Como eu moro longe não poderei estar presente de corpo (de alma já estou), mas já estou convencendo as amigas de SP a irem por mim e me contarem tudinho depois. Quem quiser participar enviando fotos e desenhos é só enviar para o e-mail já disponibilizado acima, eu vou mandar e quem sabe lá quando forem olhar a exposição vocês me encontram nela. *__*

01.09.15

Mulheres Gordas e a dor da invisibilidade.

Nos últimos dias eu tenho acompanhado algumas discussões sobre ser gorda e encontrar dificuldade de relacionamentos, eu acho que o peso não é determinante para isso, mas muitas meninas relataram dificuldades extremas quanto a isso e fiquei bem impressionada com os relatos que li. Eu resolvi trazer o tema para o blog, quem sabe assim nós possamos ajudar todas que ainda sofrem com a inadequação ao padrão. Mulheres Gordas ou não, merecem ser felizes e realizadas, independente de relacionamentos.

Pude perceber que a grande frustração das mulheres gordas quando o assunto são relações afetivas, é o sentimento de serem INVISÍVEIS.
Como assim mulheres gordas são invisíveis?
Ainda hoje final do ano de 2015, é comum que os caras vejam a gorda apenas como amiga e jamais como possível namorada. Além disso, as meninas comentam sobre a situação de balada, onde a Gorda é aquela que nunca é notada e nunca é a escolhida dos caras. E ainda o fator de ser comum terem algum envolvimento com o cara, mas precisar ser sempre algo escondido dos amigos e família dele.

fat1
Aí vocês podem pensar algo como: “Ah esses caras não merecem a frustração”… E eu super concordo, na minha vida tento adotar sempre essa posição. Mas não posso fechar os olhos para o que as meninas relatam, é complicado para qualquer mulher viver frequentemente nessa invisibilidade.

11025102_1599218670293304_2032061315_o

Quem não quer ser admirada por pessoas interessantes? Isso pode ser fruto de uma sociedade machista, mas as maiorias das pessoas querem e merecem se sentir admiradas, independente do peso. Aqui estamos abordando relações afetivas, mas pode ser levado para o trabalho onde muitos gordos não conseguem nem uma colocação no mercado por falta de “boa aparência”.

Mas e o que podemos fazer para deixarmos de ser invisíveis?
Infelizmente ainda não existe fórmula mágica, mas a melhor opção que vejo é aprendermos a sermos completas sozinhas, pois sabemos que mesmo o relacionamento mais perfeito do mundo, nunca vai proporcionar o amor que nós podemos nos dar.
Além disso, a gente pode e deve dar um FODA-SE para todos os caras babacas que cruzarem nosso caminho hahaha.

adele

Eu o tempo todo falei em relação aos caras, mas infelizmente essa situação também acontece em relações homossexuais, eu não tenho conhecimento específico nestes casos, mas já vi também relatos de gordinhas que se sentiram preteridas em relacionamento com outras minas.
Este texto foi criado para expor uma situação comum, mas vocês tem todo o direito de discordarem dele e os comentários estão abertos para todas as opiniões.

Mas quero que cada mulher gorda que se sente invisível possa se sentir abraçada, que todas entendam que não estão sozinhas e que o amor próprio nunca pode deixar de ser cultivado. <3

27.08.15

Estilo não é proporcional ao seu Salto!

Sabe aquela ideia que é preciso usar um salto bem alto para uma produção perfeita? Ela já está ficando fora de moda, hoje em dia existe uma infinidade de sapatilhas fashionistasque fecham perfeitamente bem com muitos looks.

Eu ando numa vibe evitando qualquer fadiga desnecessária, então as sapatilhas correspondem a maior parte dos meus sapatos.  Vale lembrar que até o ano 2012 (se não me falha a memória) eu jamais me imaginaria indo para uma festa/balada sem um salto alto, mesmo eu sendo bem alta eles sempre foram parte dos meus looks.

Como cada vez mais eu opto por sapatilhas eu estava buscando uns looks de inspiração no Pinterest e separei alguns para mostrar para vocês.

Estilo não é proporcional ao seu Salto (1) Estilo não é proporcional ao seu Salto (2)

Depois de ver essas lindas é fácil notar que é possível ficar estilosa de sapatilhas. Concordam?

Já faz uns dias que estou de olho nos lançamentos do mercado e o jeito mais fácil de conferir todos os modelos e buscar os melhores preços é acessando o ShoeLover e filtrando pelo que buscamos.

Na minha wishlist eu preciso de ao menos três sapatilhas novas hahaha, mas tá difícil decidir com tanta coisa linda e colorida que as marcas prepararam. <3

Mas uma coisa é certa, eu só uso salto agora quando  quero, não uso mais por medo do look ficar ruim com sapatilhas.

Aconselho todas vocês a experimentarem viver usando menos salto (na maioria dos casos eles maltratam nossos pés), vale muito a pena o conforto que só uma sapatilha nos fornece.

Campanha Shoelover

beda