Tag: racismo

06.11.16

Show de Preconceitos no Teleton

Ontem a internet ficou um alvoroço após a apresentação do Ballet Plus Size, o motivo da agitação é que o que era para ser muito legal, virou um show de preconceitos no Teleton, o que não faz nenhum sentido, por ser um programa que busca ajuda para inclusão social. Eu tive acesso a pequenos trechos em vídeos pela internet afora e até coloquei um deles no Instagram.

Mas não vi tudo #aindabem,  por isso convidei a Drika Lucena para contar melhor o que aconteceu e ela relata abaixo.

 

“Daí um grupo de gordas lindas é convidado para dançar no Teleton e imagino como tenham ficado felizes em ajudar uma causa tão séria e que de fato muda vidas. Ser uma atração convidada para motivar a doação é uma grande responsabilidade e ao mesmo tempo uma grande honra.

Pela AACD passam milhares de pessoas de todos os tipos, com muita ou pouca limitação, sem pernas, sem braços, cadeirantes, com paralisia parcial ou total, pessoas de todas as cores e classes sociais.

No palco as gordas lindas e radiantes entram e começa o show do comunicador que resolveu prestar um desserviço aos telespectadores enquanto vomitava preconceito e piadas tão imbecis quanto ele. Será que elas tinham que passar por isso? Há quem defenda e justifique as pérolas do senhor por sua idade ou pela fama de sincero.

As meninas ouviram junto a milhares de telespectadores insinuações de que não arrumam namorado, que a cama não aguenta que comem demais, fez questão de saber o peso de cada uma e ainda disse a uma delas que apesar de negra era bonita.

A filha do dono do baú “arrumou” dizendo que elas eram super bonitas e gostosas, porque elas não eram “aquelas obesas”. Pois é, e ainda teve mais. Uma das moças diz que estavam ali para mostrar que toda mulher deveria se amar independente de como ela fosse. Então ele arremata com um… “ahhh tá, aí fica desse tamanho?”.

Eu só peço a reflexão… Como ficaram as milhares de pessoas gordas que estão com depressão, pânico, que são infelizes e vivem isoladas por isso? O que sentiu a menina que sofre por não conseguir emagrecer e é cobrada o tempo todo dentro e fora de casa? O que passou pela cabeça daqueles que ainda não conseguem ver felicidade em ser como são e que se entopem de remédios para emagrecer e quando não conseguem se odeiam ainda mais por isso? Como mudar mentalidades se um cara endeusado fala tudo isso e muitos riem e concordam com ele? Muito triste que uma cena assim seja tratada como algo normal.

Foi lamentável um convite tão lindo se transformar numa piada onde um lado só acha graça. As meninas estavam lindas e a elas vai todo meu respeito, carinho e admiração. Ao Sr. Abravanel vai o troféu Teletonto pelo festival de abobrinha, pela ignorância e pela falta de respeito. Tá jogando dinheiro, mas ainda não rasga né? Tá gagá, só que não.”

show-de-preconceitos-no-teleton

 

Quando busquei imagem para o post, encontrei essa e fiquei chocada, além de tudo que ele disse ele ainda se sentiu no direito de apertar a bunda da menina. É muito ridículo e sigo lamentando que ninguém tenha o mandado parar.

Nada justifica esse tipo de atitude, mas elas servem para nos mostrar que ainda temo muito que lutar, para que um dia toda e qualquer pessoa seja punida por esbravejar preconceitos.

Vocês assistiram? O que acharam?

 

 

28.05.16

Autoaceitação: um caminho de dor, descoberta e amor

Olá meninas! Tudo bem? Sabe quando dá aquele estalo e você não quer mais ser só o que os outros te impõem? Pois é, comigo foi assim: um belo dia acordei e fiz o que eu sempre fiz de melhor, questionar. Mas desta vez questionei a mim mesma, me perguntei porque eu ainda estava ali naquela posição de coitada, ainda à espera de ouvir um “você é gordinha, mas tem um rosto lindo” e tomar isso como elogio.
A partir de então levantei, bati a poeira e fui à luta. Fácil? Claro que não! No início era bem difícil e ainda hoje, momento que já estou de bem com meu corpo, é bem complicado lidar com certas situações, eu costumo dizer que é uma luta diária, mas o importante é começar. Iniciei procurando, principalmente na internet, pessoas que pensavam como eu, mulheres que também estavam cansadas desse bendito padrão de beleza e resolveram colocar a boca no trombone, e o melhor de tudo é que eu encontrei.
Assim como todas as meninas gordas que vão procurar apoio na internet, de cara eu já tive contato com o Plus Size, conheci blogs, modelos, agências de modelos e isso foi me ajudando a começar meu processo de aceitação e por um tempo foi muito construtivo, até encontrar o próximo obstáculo que é perceber que o mundo Plus Size não é tão cor de rosa como a gente pensa. Descobri que em grande parte dele existe um padrão, sim isso mesmo, tem padrão pra ser gorda, onde se passar do manequim 50 já não tem representatividade, muitas marcas de roupa que se dizem quebradoras de padrão só fabricam roupas até tamanho 50/52 e campanhas publicitárias com modelos com manequim 46, no máximo 48.

genize (2)
Parecia que eu tinha voltado á estaca zero, foi então que conheci a luta antigordofobia, entrei em grupos, fóruns, pesquisei sobre, busquei textos, artigos científicos, conheci pessoas incríveis e voltei a me encontrar em um ambiente onde de fato há diversidade, me fez e faz muito bem. É muito bom saber que você não está sozinha e que existem outras pessoas que passam pelos mesmos dilemas que você, que faz os mesmos questionamentos que você e que está na mesma luta, é um sentimento de acolhimento lindo que recomendo muito. <3
Pode ser que o caminho da minha ‘busca pela felicidade’ tenha sido um tanto comprido, talvez você escolha outro trajeto, ou já chegou lá com menos reviravolta que eu, o importante mesmo é chegar, é se olhar no espelho com amor e ver uma mulher linda, digna, respeitada e dona de um corpo maravilhoso que traz histórias que só você sabe contar!
Ahhh… antes que eu me esqueça, meu nome é Genize (pode chamar de Gê), tenho 25 anos, mulher negra e gorda e que se acha maravilhosa. Essa é a primeira de muitas vezes que nos veremos aqui na casinha da Kalli, então te espero nos próximos dias para papearmos mais um pouquinho, ok?
Beijos, até logo! 😉

 

genize

29.11.15

A Força e a Beleza da mulher Negra!

Na semana passada me deparei com um ensaio MARAVILHOSO em meu feed do Facebook, fui vendo as fotos e me encantando com a beleza da moça e todo o cenário das fotos, a forma delicada de se retratar a beleza da mulher negra, mas uma coisa me encantou ainda mais. Todos os envolvidos na realização dele são da minha cidade (e cidade a 10kms). <3
Como todo mundo sabe, eu moro no interiorrrrrr de MG, onde pouca coisa muito legal acontece haha, e é por isso que eu estou totalmente apaixonada em ver algo tão legal feito na Cidade Garbosa. *_*
Como sabemos bem a origem da mulher negra no Brasil é bem trágica, foram muitos anos de escravidão e ainda precisamos lutar dia a dia para que a IGUALDADE seja realmente efetiva. Mas ver uma mulher tão linda como a Cíntia Santos posando como viveu muitas mulheres do passado foi algo muito maravilhoso. Nessas fotos eu vejo a Força e a Beleza da mulher Negras, temos nela a visão que mesmo em meio aos sofrimentos de uma vida de escrava, elas conseguiam ser maravilhosas e até sorrir.
O ensaio foi idealizado pelo fotógrafo Murilo Borges em 2013,  faz parte do seu TCC, foi realizado fotos com  10 modelos negras, a ideia era não modelos profissionais, e através das cores e composição mostrar a beleza da mulher negra. (Para assistir ao vídeo de apresentação do trabalho é só clicar aqui.)

Sei que ficou fantástico e hoje quando eu soube que essas fotos são de 2013, fiquei frustrada, eu queria ter conhecido elas antes e mostrado a todo mundo que acompanha o blog. Mas antes tarde do que nunca, né? Confiram as fotos que fizeram o meu coração sorrir na última semana.

A Força e a Beleza da mulher NegraA Força e a Beleza da mulher Negra12232777_1510116609316191_8491853861284001452_oA Força e a Beleza da mulher Negra

12244819_1510117389316113_441399960459314517_oA Força e a Beleza da mulher Negra

Créditos
Modelo: Cíntia Santos
Produção e Styling: Cristiano e Murilo Borges
Maquiagem: Cíntia Santos
Fotografia: Murilo Borges
Agradecimentos: Joselia Gomes pelo apoio e estímulo e aos  proprietários da Fazenda Araci e cederam o espaço para as fotos.

Conversei com a Cíntia e transcrevo o que esse ensaio significou para ela: “Senti-me valorizada, percebi que existem outras formas de mostrar a beleza, mostrando a minha origem, minha raça. Por um momento me senti poderosa acima de todas as barreiras. O resultado foi surpreendente, e quando as pessoas começaram a me elogiar ai vi que valeu a pena mesmo, são imagens que jamais esquecerei, vou guardar para o resto da vida, e vou me orgulhar cada vez que tiver um elogio, pois levanta a autoestima.”

Descobri hoje que o ensaio dela é apenas uma parte de um trabalho lindo que ressalta a “A Força e a Beleza da mulher Negra”, não tenho dúvidas que cada um deles tenha ficado maravilhoso, estou muito contente em saber que a mulher negra da minha cidade e região foi tão bem valorizada neste trabalho.

A Cíntia assim como eu, e como a maioria de vocês que acompanham o blog, lida com o fato de estar fora do tamanho ideal aceito. Ou seja, ela convive com dois preconceitos diariamente e nada disso tirou a beleza dela.

Espero que essas fotos inspirem muitas outras mulheres negras que usam tamanhos plus size, a se sentirem lindas. <3