Tag: #ÉGordofobia

16.02.16

FAQ sobre Gordofobia – Por Voz das Gordas

No post de hoje eu trago um texto importantíssimo que merece muito ser lido e divulgado por todos nós que sofremos com a gordofobia diariamente.
Conto com todos vocês para ajudarmos a sanar dúvidas em relação a gordofobia.
Os comentários estão abertos para dúvidas e opiniões. *__*


Como administramos uma página anti-gordofobia, vemos que muitas pessoas têm as mesmas dúvidas sobre o assunto. Então nós que somos editoras do “Voz das Gordas” resolvemos responder perguntas que a gente ouve muito sobre o assunto para gente poder avançar no debate e na luta.

12496253_1683388078568584_1781278029703594728_o

Lembrando que as perguntas não foram formuladas por nós. A gente simplesmente fez uma junção de todas as perguntas que mulheres gordas escutam ou de dúvidas que elas têm. Tem perguntas que são gordofóbicas sim, mas tentamos desconstruir isso na resposta.

1 – Existem artigos científicos sobre gordofobia?
Existem, mas ainda não são muitos. Apesar de a opressão existir ha muito tempo, o termo gordofobia ainda é um assunto muito novo, por isso ainda não foi totalmente explorado. Seguem abaixo alguns exemplos de textos acadêmicos. Se alguém tiver mais algum, mande para gente:
http://online.unisc.br/acadnet/anais/index.php/sepedu/article/view/12076/1902
http://tauja.ujaen.es/handle/10953.1/1612
http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8134/tde-13052015-115256/en.php
http://www.uems.br/pgletras/arquivos/2_2014-09-01_19-56-34.pdf

2 – Enquadra-se na categoria de preconceito a gordofobia? Ela pode ser punida pela lei como tal? Existe alguma forma de punir a gordofobia? Existe algum projeto de lei que venha a punir a gordofobia?
Punir a gordofobia por si só, não. Mas se a pessoa se sente ofendida por nomenclaturas ou xingamentos (rolha de poço, bailarina do faustão, gorda, vaca, etc.) pode entrar com uma queixa-crime por injúria (artigo 140 do Código Penal: “Art. 140 – Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro”). O QUE É IMPORTANTE? Apresentar provas. Vídeos, fotos, printscreen da tela do computador ou do celular (porque a ofensa pode ser virtual), testemunhas (sempre pegue nome, telefone e endereço de quem presenciar o ato injurioso e anote), quanto mais provas melhor. É importante transcrever/copiar EXATAMENTE o que a pessoa falou (com palavras de baixo calão e palavrões inclusive). O QUE POSSO ALEGAR? Alegue que foi atingida na sua honra pelas palavras injuriosas, como você se sentiu, que se sentiu péssima, etc. Alegue também que isso fere a sua dignidade (Constituição Brasileira de 1988, artigo 1º,III – a dignidade da pessoa humana). (Também podem ser utilizados os seguintes artigos da Constituição: “Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: (…) IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação. (…) Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no país a inviolabilidade do direito a vida, a liberdade, a igualdade, a segurança e a propriedade, nos termos seguintes: (…) XLI – a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos direitos e liberdades fundamentais”) A QUEM EU DEVO RECORRER? Você deve procurar um(a) advogado(a) O QUANTO ANTES. Se não tiver acesso a um, vá até a Defensoria Pública da sua cidade OU a um escritório modelo de uma Faculdade de Direito (pública ou privada). Você também pode ir direto a delegacia, todavia, eu NÃO recomendo ir à delegacia SEM um advogado. OBS: existem policiais muito bem treinados e que exercem sua função de maneira idônea; mas sabemos que alguns não são assim. Alguns podem querer que você DESISTA de fazer a queixa-crime. Insista. É seu direito (por isso que recomendo a presença e/ou a orientação de um(a) advogado(a). QUANTO TEMPO EU TENHO? 06 meses a contar da data em que você SOUBE QUEM FOI que proferiu as palavras caluniosas. Depois desse tempo, o direito decai, ou seja, você não pode mais fazer esse pedido. Você irá fazer uma queixa-crime (peça inaugural nos crimes de ação penal privada, em que o próprio ofendido, ou quem tiver qualidade para representá-lo, faz uma exposição do fato criminoso com todas as suas circunstâncias). http://www.stf.jus.br/portal/glossario/verVerbete.asp…

3- Lojas de roupas “normais” não terem tamanho 44, 46, e etc, pode ser considerado um tipo de gordofobia?
Com certeza. Qualquer ser humano, independente do seu peso, deveria ter acesso a roupas.

4 – Ser contra gordofobia é ser “contra pessoas magras”?
Não, uma coisa não tem nada a ver com a outra. Ser contra a gordofobia é ser contra a opressão sofrida por pessoas gordas. A única coisa que se fala em relação a pessoas magras é que elas devem desconstruir a gordofobia delas.

5 – Por que não existe magrofobia?
Porque pessoas magras não são oprimidas. É difícil para uma mulher que sofre com o padrão estético ou alguém que sofreu bullying por ser muito magro entender isso, mas é importante saber a diferença. Ninguém perde nenhum direito por ser magro. Mesmo que você só encontre roupa na sessão infantil, você ainda encontra. Tem pessoas gordas que não encontram em lugar nenhum. Vocês nunca vão ser impedidos de tomar posse em um concurso público por serem magros demais, vocês podem pegar ônibus sem ter medo de ficar preso na catraca ou não caber no banco. Não estamos dizendo que ninguém nunca sofreu algum tipo de humilhação ou constrangimento por ser magro, mas isso é bullying não opressão.

6 – Mas eu sou gorda, posso usar cropped/mini saia/roupa colorida, etc.?
Gorda pode usar o que quiser.

7 – Mas vocês acham que pessoas gordas sofrem opressão mesmo, isso não é uma forma de misoginia?
A misoginia vai influenciar na gordofobia, porque ela estabelece um padrão de beleza. Mas gordofobia vai além da estética. É uma questão de perder direitos e de não ter espaço na sociedade.

8 – Mas eu sou magra e também não acho roupa, do que vocês estão reclamando?
Sofrer gordofobia é muito mais do que só não achar roupa. Esse é só um dos pontos que constituem essa opressão.

9 – Vocês não estão se fazendo de vítimas, não?
Não estamos nos fazendo de vítimas, nós somos vítimas. Pessoas merecem respeito independente do seu peso, independente de estarem saudáveis ou não, independente de qualquer coisa. Você pode ter suas opiniões sobre isso, mas humilhar, constranger, intimidar e expôr pessoas gordas é uma grande falta de respeito e invasão do espaço dos mesmos.

10 – Mas obesidade é doença, por que vocês estão fazendo apologia à uma doença?

Essa pergunta em si ja é muito complicada. Vamos lembrar que foi uma sociedade gordofobica que criou o conceito de obesidade e o colocou como doença. Tudo isso é bem questionável. Segundo que ser uma pessoa gorda não quer dizer ser uma pessoa doente. Essa é uma associação gordofobica. Além disso , independente da pessoa ser saudável ou não, ela merece ter espaço na sociedade, roupas do tamanho dela, poder ter acesso a emprego, ser respeitada pela sociedade como um todo.

11 – Como a gente diferencia a gordofobia da pressão por beleza padronizada? O segundo não seria produto do primeiro?
Opressão estética é aquilo que atinge qualquer mulher. Vem da sociedade machista na qual a gente vive. TODA MULHER vai ser cobrada sobre o seu corpo. As pessoas nunca vão estar satisfeitas sobre como ela está fisicamente. Mas exatamente como o nome diz a opressão é ESTÉTICA. Não vai influenciar em outros setores da sua vida. A opressão estética não deixa de ter relação com a gordofobia. Mas gordofobia vai além de estética, é um problema social.

12 – Qual o termo correto para caracterizar a opressão sofrida por pessoas gordas: gordofobia ou lipofobia?

Gordofobia. Lipofobia é o medo de gordura. Uma síndrome sociocultural, um medo absurdo e irra-cional da gordura imaginária que vai beirando ao terror! A beleza se desvincula do biótipo e princi-palmente da saúde. Gordofobia é puro preconceito e opressão.

13 – Não querer engordar é gordofobia? ! Lutar para perder peso é gordofobia? É errado a pessoa falar em querer perder peso mesmo lutando contra a gordofobia?
Não, todo mundo deveria ter o direito de ser como quiser. Emagrecer não é gordofóbico. Mas se você pretende emagrecer ou não quer engordar, você deve fazer isso de uma forma que não seja gordofóbica.

14 – Eu amo fotos de gordas, vejo beleza nelas, mas me acho horrível por ser gorda. Isso é gordofobia?
Gordofobia contra você mesmo, ainda é gordofobia. Mas isso não é simplesmente algo que você possa mudar de um dia para o outro, mas é algo que você deve trabalhar para mudar, porque isso só vai te fazer mal. Não é deixar de se ver gorda, é pensar que você é sim gorda e linda.

15 – Gostaria de saber se é gordofobia uma pessoa gorda que emagreceu bastante, postar uma foto antes e depois?
Sim. Porque é como se você colocasse que o antes é ruim e o depois é algo incrível que você alcançou com muito esforço porque simplesmente não queria ser gorda. Isso pode ser bem nocivo para outras mulheres gordas e muita falta de empatia.

16 – É possível ser saudável sendo gordo? Há um limite para isso?
Sim, é totalmente possível. A maioria dos problemas associados ao peso são relacionados ao sedentarismo. Nem todo gordo é sedentário, e nem todo sedentário é gordo. Têm gordos que se exercitam, que comem bem, mas que por alguma outra questão (questão genéticas, hormonais, de estrutura) são gordas.

17 – Vocês querem obrigar homens/mulheres a ficar com mulheres gordas?
Não, ninguém é obrigado a ter um relacionamento com ninguém. Mas, em primeiro lugar, gosto é uma questão construída pela sociedade. É sempre importante lembrar isso. Quando você diz “não gosto de gordas” isso tem muita relação com o que a sociedade diz que é “feio” e “bonito’. Mas, se mesmo entendo isso, você não quer ficar com gordas é direito seu. Mas você não deve humilhá-las nem constrangê-las só porque não quer ficar com elas. E ficar com mulheres gordas em segredo, sem querer mostrar para amigos e famílias é bem gordofóbico.

18 – Gordas que são lésbicas ficaram assim porque os homens não as queriam?
Isso além de ser gordofóbico, é lesbofóbico. A orientação sexual de uma mulher nada tem a ver com seu peso.

 

A intenção dessa postagem era ser bem didática mesmo, espero que a gente tenha conseguido sanar todas as dúvidas. Quem ainda tiver mais alguma pode falar com a gente através da página Voz das Gordas ou pelo e-mail vozdasgordas@gmail.com

Contribuíram para esse texto: Renata Grota, Danieli Mennitti, Natalie Zimbarg e Ana Carolina Aguiar.


 

29.01.16

O Tatuador do RS e a Gordofobia Naturalizada

Ontem eu tive acesso a uma postagem muito gordofóbica e sem ética vinda de um tatuador do RS. Mas o que mais me chocou não é o preconceito dele, mas como as pessoas julgam normal debochar de gordas, é triste nos darmos conta de como a gordofobia é naturalizada em nossa sociedade.

Djonatan da Silva é tatuador na cidade Canoas, Rio Grande do Sul, na quinta 28/01 ele fez uma publicação gordofóbica em sua página do Facebook e a reproduzo no print abaixo.

Gordofobia Naturalizada (2)

Teve 142 curtidas e 28 comentários até a hora que eu fiz este print, apenas uma mulhero recriminou pelo comentário, ele que até então estava agindo com gordofobia foi bem machista ao responder ao comentário dela.

Gordofobia Naturalizada (1)

Eu fiquei bem assustada com a falta de ética deste profissional, mas o que mais me deixou chocada é ver várias pessoas rindo e achando o máximo a publicação dele até os comentários que ele fez direcionados a Jéssica.

Acredito que pessoas ignorantes sempre vão existir, mas a presença do discurso de gordofobia não deveria ser algo natural e muito menos engraçado, mais pessoas precisavam ter contestado a publicação dele (mesmo sendo amigos).

Para nossa sorte em um mundo ainda com muita gente preconceituosa, temos a chance em meio a situações assim de conhecermos pessoas do bem. E depois de bater boca com o cara, Jéssica Tatuadora da Praia Grande virou a nossa Musa Absoluta. E nada mais digno que ilustrarmos esse post com uma foto dela nua e toda tatuada.  <3

Gordofobia Naturalizada

“Entreguei meu corpo a arte , senti o gosto amargo do preconceito e tenho o prazer de ser diferente.

Me orgulho do meu corpo e do meu caráter!”  (Foto e texto retirados de seu perfil no Facebook)

Desejo que o Djonatan possa entender a proporção do preconceito dele e que mude sua postura, como os prints mostram a atual é bem desnecessária ao mundo. Ele já precisou sair do Face e espero que ele use o tempo para pensar, afinal ainda é de graça. :p

Mas o que eu realmente desejo é que a cada dia mais gordas se fortaleçam e sejam donas de seus corpos e suas vontades, nunca permitam que o preconceito alheio paralise vocês.

07.01.16

Farm dá show de Gordofobia e Desrespeito!

A Farm é uma das marcas mais trends do mercado, todas as meninas que cabem nas peças sonham com algo e usam quando podem. Eu sempre soube que a marca não era para mim, eles trabalham com tamanhos “padrão” diminuídos e isso faz com que gente magra vista o G.
Entendo que este seja o nicho de mercado deles e não os culpo por se negarem a produzir para corpos maiores, afinal quem perde com isso é só eles ao ignorar a diversidade de corpos.

#ExplicaFarm
Só que não produzir é direito deles, mas desrespeitar uma pessoa gorda não é! Ontem encontrei esse print no facebook e uma explicação básica do caso que transcrevo abaixo.

Farm Gordofobia e Desrespeito

“GORDOFOBIA NA adoro FARM
“Mãe, quando eu entro nessas lojas, eu nem olho pras vendedoras, porque já espero isso delas.”
Foi o que a minha irmã disse sobre o assunto.
Uma agressão ostensiva e pública, hostilização descarada, que ela sofre sistematicamente só por ser gorda.
Contei a história pra uma amiga e ela disse que quando foi lá o G não coube e a vendedora disse “ah, é que a Farm é do Rio, e lá todas as meninas são magrinhas”. E aposto que vai ter muita amiga com mais podre pra contar.
Pois é. A Farm não economiza na fofura na comunicação, mas na hora do vamo ver, na hora de receber uma cliente com o mínimo de decência, a gente se depara com essa indigência.
Já ligaram pra minha mãe com o famoso “pedindo mais detalhes”, mas o comentário foi ocultado.
Será que a Farm vai ter alguma coisa pra dizer sobre o assunto ou será que vai continuar deixando vendedoras despreparadas escolherem quem pode e quem não pode frequentar a loja sem ser hostilizado?” Print e texto retirado daqui. 

Triste ver isso acontecendo pleno 2016, além de vendedoras que ignoram a presença de pessoas gordas, eles ainda acham válido ocultar a reclamação da pessoa que vivenciou um caso de Gordofobia.
Imediatamente quando soube do caso fui à page deles pedir uma resposta, para minha surpresa eu e todos que clamavam por respostas também foram ocultados.

Farm Gordofobia e Desrespeito (2)Farm Gordofobia e Desrespeito (1)

Como vocês podem ver nos prints que quando abro as 6 respostas eu só visualizo a deles e da Vanessa que é minha amiga. Quando ocultado somente amigos de facebook e a pessoa consegue visualizar os comentários. E assim eles nos calam, para que menos pessoas tenham acesso ao descaso da empresa.

O que mais me deixa indignada é que se fosse um episódio de racismo ou homofobia eles já teriam se explicado, por ser crime. Mas Gordofobia ainda não é um crime muito divulgado e as pessoas tendem a acreditar que não vai dar nada e é melhor calar quem reclama que se explicar.
Querida Farm, Gordofobia e Desrespeito já não são tão aceitos como vocês imaginam. #AindaBem

Peço que compartilhem o texto para que mais pessoas tenham acesso ao tipo de tratamento que a marca oferece na loja e nas redes sociais para as pessoas gordas.

E fica aqui uma meta de 2016: Marcas gordofóbicas não passarão!

09.12.15

#ÉGordofobia – Hastag de conscientização

A internet depois deste ano nunca mais será a mesma, ainda bem! Após a repercussão das hastags #PrimeiroAssédio, #MeuAmigoSecreto e #SeráQueÉRacismo chegou a vez de ver gordos unidos denunciando a Gordofobia. <3

Todas essas hastags conseguem mobilizar pessoas que sofrem ou sofreram algo relacionado, juntas elas mostram para a sociedade uma realidade que muitas vezes passa despercebida aos olhares de quem não sofre com a opressão.
No caso da Gordofobia em especial, a hastag #ÉGordofobia  se torna importante por apontar comentários infelizes que nós pessoas gordas recebemos a todo o momento, comentários estes que muita gente se quer se dá conta do que está sendo dito.
#ÉGordofobia

Deixo abaixo alguns relatos da galera que já está usando.

#égordofobia quando a minha amiga magra passa o almoço inteiro se lamentando dos 3 quilinhos que ganhou nas férias.

Posted by Tatiana Vieira on Segunda, 7 de dezembro de 2015

#égordofobia dizer que QUALQUER problema de saúde teu é por causa do teu peso.Pressão alta? Culpa do pesoProblema na…

Posted by Pauline Mespaque on Segunda, 7 de dezembro de 2015

#égordofobia utilizar o termo gordice, em qualquer contexto. Fica a dica, principalmente, pros amiguinhos do instagram.

Posted by Aline Xavier on Segunda, 7 de dezembro de 2015

#Égordofobia sim quando a pessoa te diz que você seria se linda se emagrecesse.

Posted by Marjory Dezen on Segunda, 7 de dezembro de 2015

#égordofobia impedir uma pessoa de saúde perfeita assumir um cargo público porque o IMC dela está alto.

Posted by Voz das Gordas on Terça, 8 de dezembro de 2015

#Égordofobia quando passa em concurso público e não poder assumir o cargo por conta do peso.

Posted by Bruna Leite on Segunda, 7 de dezembro de 2015

#Égordofobia sim quando o cara disse que só estava ficando contigo por conveniência e que ninguém em sã consciência namoraria com “um gordo ridículo como você”.

Posted by Bruno Gomes on Segunda, 7 de dezembro de 2015

#égordofobia quando você vai a uma loja e a vendedora já anuncia que não tem tamanho para você sem sequer saber o que você queria

Posted by Gordas Empoderadas on Segunda, 7 de dezembro de 2015

 

Convido todas vocês a aderirem a este movimento, vamos mostrar as pessoas que ainda desconhecem o que é a gordofobia o quanto ela é inconveniente. Torço para que essa campanha ajude as pessoas a entenderem que gordofobia não tem graça. *_*