Tag: autoestima

02.09.16

Modelos Plus Size propagam Gordofobia no Facebook

Uma modelo plus size de Porto Alegre postou em seu facebook pessoal fotos de algumas mulheres gordas vestindo lingeries e com ar de deboche, criticou a sensualidade das mesmas.

preconceito (2)

O que já estava ruim ficou ainda pior, pois nos comentários, outras modelos que também trabalham com grandes marcas do mercado plus size continuaram a tirar sarro das imagens daquelas mulheres. Confiram os comentários nos prints abaixo.

preconceito (1)preconceito (7)preconceito (6)Modelos Plus Size propagam Gordofobia (1)Modelos Plus Size propagam Gordofobia (3)Modelos Plus Size propagam Gordofobia (2)

Não tem graça nenhuma debochar de pessoas em qualquer situação, atacar outras pessoas por conta de seus corpos gordos é Gordofobia, fazer isso sendo modelo plus size e recebendo de marcas que vivem do dinheiro de pessoas gordas é no mínimo hipocrisia.

Infelizmente, vi que várias mulheres que eu admirava comentaram na postagem, e foi uma grande decepção pessoal ver tantas gordas do meu facebook criticando outras gordas.

Nenhuma delas é mais uma adolescente, e é bem triste ver atitudes como essas que tiveram, espero que elas melhorem e possam trazer mais coisas legais para o mundo ao invés de propagar preconceitos. Não desejo que elas percam trabalhos nem nada do tipo, eu desejo apenas que elas repensem o que estão fazendo, pois não está nada positivo nem para a imagem delas nem para a imagem das marcas que as mesmas representam.

Nós mulheres, precisamos apoiar umas as outras, fazer críticas construtivas quando necessário, mas não precisamos expor umas as outras com deboches. Isso não traz nada de produtivo, nem para quem foi exposto, nem para quem está expondo.

Espero por dias melhores, dias em que as mulheres se protejam por semelhanças e não as exponham a julgamentos.

tumblr_mvy7t0pfib1rw9bp3o1_1280

15.08.16

Pare de Odiar seu Corpo!

Dia desses, eu estava conversando com uma amiga sobre como uma menina era linda, ela me disse: “Fico com raiva, devia ter me gostado antes, agora estou ficando velha haha”. Naquele momento, eu que também analisava sobre o quanto aquela menina era linda e parecia novinha, pensei comigo mesma que seria lindo se todas se amassem ainda jovem, como ela demonstra se amar.
Mas, infelizmente, nós somos, desde pequeninas, ensinadas a odiar nossos corpos, essa cobrança e ódio existe em qualquer manequim, mas é claro que, quando maior o número do jeans que usamos maior é o incentivo do mundo para que a gente se odeie.

pare de odiar seu corpo
Como quase tudo na vida, aqui também cabe  aquele ditado: “Antes tarde do que nunca”.

Embora eu deseje de coração que chegue logo o dia em que as mulheres deixem de ser ensinadas a se odiarem, sei que a nossa realidade não é essa e que tem muita mulher maravilhosa que ainda odeia seu próprio corpo e é com vocês que quero papear nesse post. <3

Se HOJE você ainda não consegue amar seu corpo do jeitinho que ele é, tente ao menos não o odiá-lo mais, nosso corpo merece ser amado e respeitado todos os dias.

Façam um acordo consigo mesmas, se esforcem para não se autodepreciarem e não emitir sinais de ódio ao próprio corpo. Em paralelo ao mesmo tempo comece a descobrir pedacinhos do seu corpo que você admira os exalte sempre para si. Aos poucos você vai perceber que quanto mais partes você consegue amar do seu corpo, menos importância terá o ódio que um dia você alimentou por ele.
Não importa a sua idade hoje, ou o tempo que você já perdeu se odiando, o que realmente importa realmente é que você deixe o ódio de si mesma fazer parte do passado e comece a se amar hoje mesmo.  <3

Você já se amou hoje? *_*

21.06.16

Gordas (os) vivem no “aperto”.

Sempre que vamos debater Gordofobia como uma opressão estrutural é comum que muita gente (menores) insista em dizer que toda pessoa gorda sofre igual e isso sempre vira uma grande discussão. Mas como sofrimento não paga conta, eu não vejo vantagem nenhuma em ganhar estrelinha por sofrer mais ou menos que alguém, eu quero mesmo é um mundo em que esses sofrimentos sejam parte do passado.

Gordas vivem no “aperto”

Ao olhar essa foto é notório que as cadeiras são pequenas, algumas delas cabem menos pior que as outras nas cadeiras. Mas de forma geral podemos ver ilustrado nessa imagem que gordas vivem no aperto, em vários lugares nós não cabemos.

Hoje me deparei com um vídeo maravilhoso que conta um pouco sobre os desafios/apertos do dia a dia de uma mulher gorda. Apertem o play e assistam, por favor. <3

 

A luta anti- gordofobia precisa focar nessa questão estrutural, precisamos de ambientes que nos caibam de verdade, queremos e merecemos os mesmos direitos de todas as pessoas. Quero ir ao cinema e fica do lado de quem está comigo, e não no cantinho isolada.
Para a mudança acontecer precisamos nos unir cada vez mais, é preciso um trabalho constante de estar sempre reclamando nos ambientes que frequentamos, mostrando no dia a dia que precisamos de ampliação dos espaços.

Lembrem-se sempre: Nosso corpo não é errado, errada é uma sociedade que limita medidas e nos excluem! Não precisamos emagrecer para caber no mundo, precisamos lutar por espaços que nos caibam como merecemos.

E vocês passam por apertos/desafios no dia a dia? Contem-me aqui nos comentários, vamos conversar e mostrar ao mundo que estamos aqui e queremos caber nessa sociedade.


16.06.16

Projeto Cada Uma – Empoderando as Gordas!

Eu adoro projetos fotográficos e acredito que eles são uma grande arma de empoderamento para mulheres, mas se o projeto é com fotos mais naturais vira caso de amor, eu amo ver representatividade real em fotos. Quando conheci o Projeto Cada Uma gamei de cara, mas a cada ensaio eu vou me apaixonando mais e mais e por isso hoje trago para compartilha com vocês. <3

Conversei com a fotógrafa Jessica Chamma (uma das idealizadoras do projeto, ao de seu noivo que também é fotógrafo) que me relatou que o projeto surgiu quando eles sentiram a necessidade de se especializarem  e optaram pelo nu e sensual que já era algo que gostavam muito, na busca de conhecer o mercado se deram conta que não existia nenhum projeto que realçassem a sensualidade de corpos que não atendem ao padrão midiático, e decidiram dar uma ênfase em mulheres gordas (gordinhas, plus size, acima do peso ou como vocês quiserem chamar). 

No meu ponto de vista o Projeto Cada Uma conseguiu unir beleza e sensualidade e naturalidade brilhantemente em suas fotos.  O resultado maravilhoso vocês podem conferir abaixo.

 

projeto cada uma_150203_0156 projeto cada uma_150206_0403 projeto cada uma_151019_0167 projeto cada uma_151217_8235 projeto cada uma_151217_8259 projeto cada uma_160311_9996 ©2016 Felipe Mariano

 

“Cada uma com sua essência.

Cada uma com sua personalidade.

Cada uma em paz com o seu – e somente seu – corpo.”

Não são lindas? Abaixo temos uma galeria com mais fotos maravilhosas, em algumas contém nudez (peitos) então só abram se tiver mais de 18 anos e não tiver problemas em visualizar peitos femininos.

Quer ver mais?  Então cliquem aqui e confiram todos os ensaios no site do Projeto Cada Uma.  E acompanhem também eles no no Facebook facebook.com/projetocadauma para receberem as novidades.

O que acharam das fotos? Contem-me tudo nos comentários. 

 

28.05.16

Autoaceitação: um caminho de dor, descoberta e amor

Olá meninas! Tudo bem? Sabe quando dá aquele estalo e você não quer mais ser só o que os outros te impõem? Pois é, comigo foi assim: um belo dia acordei e fiz o que eu sempre fiz de melhor, questionar. Mas desta vez questionei a mim mesma, me perguntei porque eu ainda estava ali naquela posição de coitada, ainda à espera de ouvir um “você é gordinha, mas tem um rosto lindo” e tomar isso como elogio.
A partir de então levantei, bati a poeira e fui à luta. Fácil? Claro que não! No início era bem difícil e ainda hoje, momento que já estou de bem com meu corpo, é bem complicado lidar com certas situações, eu costumo dizer que é uma luta diária, mas o importante é começar. Iniciei procurando, principalmente na internet, pessoas que pensavam como eu, mulheres que também estavam cansadas desse bendito padrão de beleza e resolveram colocar a boca no trombone, e o melhor de tudo é que eu encontrei.
Assim como todas as meninas gordas que vão procurar apoio na internet, de cara eu já tive contato com o Plus Size, conheci blogs, modelos, agências de modelos e isso foi me ajudando a começar meu processo de aceitação e por um tempo foi muito construtivo, até encontrar o próximo obstáculo que é perceber que o mundo Plus Size não é tão cor de rosa como a gente pensa. Descobri que em grande parte dele existe um padrão, sim isso mesmo, tem padrão pra ser gorda, onde se passar do manequim 50 já não tem representatividade, muitas marcas de roupa que se dizem quebradoras de padrão só fabricam roupas até tamanho 50/52 e campanhas publicitárias com modelos com manequim 46, no máximo 48.

genize (2)
Parecia que eu tinha voltado á estaca zero, foi então que conheci a luta antigordofobia, entrei em grupos, fóruns, pesquisei sobre, busquei textos, artigos científicos, conheci pessoas incríveis e voltei a me encontrar em um ambiente onde de fato há diversidade, me fez e faz muito bem. É muito bom saber que você não está sozinha e que existem outras pessoas que passam pelos mesmos dilemas que você, que faz os mesmos questionamentos que você e que está na mesma luta, é um sentimento de acolhimento lindo que recomendo muito. <3
Pode ser que o caminho da minha ‘busca pela felicidade’ tenha sido um tanto comprido, talvez você escolha outro trajeto, ou já chegou lá com menos reviravolta que eu, o importante mesmo é chegar, é se olhar no espelho com amor e ver uma mulher linda, digna, respeitada e dona de um corpo maravilhoso que traz histórias que só você sabe contar!
Ahhh… antes que eu me esqueça, meu nome é Genize (pode chamar de Gê), tenho 25 anos, mulher negra e gorda e que se acha maravilhosa. Essa é a primeira de muitas vezes que nos veremos aqui na casinha da Kalli, então te espero nos próximos dias para papearmos mais um pouquinho, ok?
Beijos, até logo! 😉

 

genize