fbpx
04.01.10

V Magazine – Novamente nos Valorizando

Fotos sensuais de modelos tamanho GG para a revista V Magazine

Na próxima edição da revista V Magazine, vamos poder conferir um ensaio com fotos

sensuais e provocantes de modelos tamanho GG.


As modelos Kasia P., Marquita Pring, Candice ,Huffine, Michelle Olson e Tara Lynn,
foram clicadas pelo fotógrafo Solve Sundsbo.

Confira também esse vídeo com partes dessa magnifica sessão de fotos:

Elas são ainda mais Belas em movimento.

Em uns posts atrás eu disse que 2.010 seria nosso ANO não é mesmo?
Já começou cheio de novidades desta vez as modelos da V Magazine já são bem mais fofinhas vocês concordam ?

Agradeço a dica do nosso Leitor Antônio Donizeti, que me avisou deste lindo ensaio antes de eu ver.
Se você viu algo que combina com o blog avisa para a gente vamos adorar a dica.

03.01.10

Fora Dos Padões

Por mais que se criem leis, regras e normas de convivência, a maioria dos seres humanos parece não entender que o seu semelhante, por mais “diferente” que seja a seus olhos e a seu coração, continua sendo seu semelhante. Criou-se, com o passar do tempo, padrões de sociedade onde o diferente parece ridículo, a moda é ser igual, imitar, copiar, plagiar… Tudo tem que seguir um paradigma… Por quê?… E o livre arbítrio?… E o respeito?… E o amor ao próximo?… Onde ficam?

Estou escrevendo este texto num domingo a noite, acabo se assistir a uma matéria do Fantástico falando das “gordinhas”… Criaram um calendário só com modelos acima do peso para 2010.. Aliás, acima do peso na concepção de quem?… Quem criou estes padrões?… Quem inventou que a saúde depende do número que aparece na balança? Em alguns aspectos até tem lógica, mas se a pessoa está com suas funções vitais normais, pratica atividades físicas periodicamente, ou seja, tem uma vida saudável e mesmo assim continua pesando mais do que aquilo que manda os padrões criados por não sei quem, não existe razão convincente para se estressar com o peso…

E o pior é que, na matéria em questão, entrevistaram uma consultora de moda que deu alguns macetes para disfarçar o peso e a imagem fora dos padrões, o que me leva a crer que o esteriótipo de beleza continua, ou seja, se ainda existe algum tipo de padronização, existe discriminação e preconceito… Se uma pessoa se expõe em rede nacional para dizer que se aceita e está bem resolvida com seu corpo, por que então se submete aos conselhos de uma consultora que a orienta a disfarçar a sua imagem?… E o que dizer do fotógrafo das “fofinhas” do calendário que diz usar alguns recursos e truques para esconder suas curvas?… Qual a razão de se usar recursos gráficos para disfarçar aquilo que é declaradamente aceitável pelas modelos?…

Meu cérebro inconformado não consegue processar estas informações de forma coerente, por isso concluo, mais uma vez, que são muito bonitas as ações contra o preconceito e a discriminação, porém continuam existindo os conceitos discriminatórios de beleza que fazem a maioria da população sentir-se excluída de alguma forma, pois não passam no controle de qualidade dos seres desumanos, que por coincidência são seus semelhantes…

Por fim, não sossegarei sem expor duas indagações que minha mente inconformada e irriquieta obriga meus dedos a digitarem:

Por que razão os seres humanos, inegavelmente semelhantes, julgam-se diferentes o suficiente a ponto de uma minoria criar padrões que excluem a maioria?… Qual motivo leva uma pessoa a esconder algumas de suas características, mesmo dizendo aceitá-las?

Tudo isso se resume em uma palavra, cujo exagero é o causador de todos estes paradoxos: VAIDADE…
Márcio Roberto Goes
http://www.marciogoes.com.br/

Passeando na WEB me deparei com esse texto e amei o ponto de vista do autor e por isso trouxe para compartilhar com vocês.
bom restinho de feriadão para todos vocês
bjs kalli

02.01.10

Dicas

MSN Group
Venha conversar com a gente no MSN fiz um Group especialmente para esse blog group827387@groupsim.com adcionem.

Brechó Delas
Lembram aquelas roupas que comprei em petrópolis e fiz um post aqui sobre os preços?
Algumas coisas sobraram [sou exagerada e trouxe para a família toda], estou vendendo elas por preços de custo então reavivei o meu brechó no Orkut, quem tiver interesse em ver as peças só dar uma olhada aqui
http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=2567669942823017819

01.01.10

Obesa Mórbida, eu?

Obesidade Mórbida
A obesidade torna-se “mórbida” quando atinge o ponto de aumentar, significativamente, o risco de uma ou mais condições ou doenças graves relacionadas à obesidade (também conhecidas como co-morbidades), que resultam em deficiência física significativa ou até morte.

Usando aquele calculo conhecido de IMC eu sou Obesa Mórbida, e posso morrer por conta da minha obesidade considerando que meu IMC é 42.
Eu não me vejo a beira da morte como deveria me ver, afinal meu IMC diz que eu posso morrer por ser gorda.
Eu me vejo Bela e saudável tenho taxas de Glicose, Colesterol ,Triglicérides normais, iguais ou até melhores que os de uma pessoa não obesa.
No entanto o método de ROTULAR as pessoas com base no IMC ta caindo no desuso, com a chegada de estudos que ao menos para mim aparentam maiores chances na hora de classificar realmente quem tem riscos de doenças com relação à obesidade.
Foi publicado na revista The Lancet que a relação cintura-quadril é melhor que o índice de massa corporal (IMC) para prognóstico de risco de ataques cardíacos para vários grupos étnicos. Se a obesidade for redefinida segundo a relação cintura-quadril ao invés do uso do IMC, a proporção de pessoas com risco de um ataque cardíaco triplica, segundo dados do estudo Interheart.

Baseado no peso e na altura, o IMC não leva em consideração a localização da gordura do corpo, nem quanto de musculatura a pessoa possui, diz Arya Sharma, professor de medicina na McMaster University e co-autor do estudo. Um atleta e um sedentário poderiam apresentar IMC semelhantes.
O estudo diz que os mecanismos de proteção ainda não estão claros. Os autores especulam que fatores hormonais possam influenciar na circunferência da cintura e do quadril, podendo apresentar diferenças importantes na composição de gordura nessas duas áreas. Quadris largos podem ser resultado de massa muscular. Se a dieta leva à perda de massa muscular, pode agir contra os benefícios da perda de peso, dizem os autores.
O Interheart mostrou que o risco da população atribuível à relação cintura-quadril é maior que o risco atribuível ao índice de massa corporal. Os resultados sugerem que as estimativas prévias sobre o efeito da obesidade como fator de risco cardiovascular foram demasiadamente baixas.

A relação cintura-quadril é calculada dividindo-se a medida da circunferência da cintura em centímetros pela medida da circunferência do quadril em centímetros. O índice de corte para risco cardiovascular é menor que 0,85 para mulheres e 0,90 para homens. Um número mais alto demonstra maior risco.

Realizando meu calculo minha taxa é 0,72 incrivelmente a mesma da minha irma que pesa a metade de mim, eu reconheço que posso emagrecer e que o meu peso pode vir a me prejudicar sim, mas por favor, OBESA MÓRBIDA eu sou somente na classificação de um calculo sem muita base fora isso sou uma OBESA VIVA e bem VIVA.

30.12.09

Para este Ano novinho que chega

Desejamos que:

Faça pedidos realistas para 2010 e realizem todos!Não peça milagres, faça milagres.
Não tenha apenas sorte, mas prepare o terreno para a Boa Sorte poder brotar.
Não apenas encontre, mas viva um grande amor e se AME antes, de tudo!
Que a saúde habite seus pensamentos positivos todos os dias, e esteja presente em teu corpo e em tua alma!
Que não tenhas apenas muito dinheiro no bolso, mas muitas oportunidades honestas de ganhá-lo.
Que o ano todo não seja apenas um ano de esperança, mas também um ano de iniciativas para a ação.

Que seus pensamentos não sejam apenas positivos, mas que te levem a ações positivas.
Enfim, que no próximo ano, você tenha exatamente tudo aquilo que desejar, e fizer por merecer.

Beijos e muito sucesso !!!

Com carinho dos colaboradores do blog Beleza sem Tamanho