fbpx
04.05.15

Gordos Não Tem Obrigação de Engolir Preconceito!

Sabe uma coisa que desde pequena eu nunca entendi? O fato de as pessoas associarem gordo a coisas ruins. Desde cedo aprendi que o mundo tinha raiva dos gordos e eu simplesmente me perguntava sozinha no meu quarto que importância tinha se eu era gorda ou magra, se minha essência é que deveria importar. Em casa sempre ouvi, alarga a blusa que tá marcando a barriga, até que um dia eu gritei de raiva: E U  S O U  G O R D A ! ! Mesmo se eu vestir um barril, vou continuar sendo gorda. vou continuar tendo barriga e não me importa se você gostou ou não da minha roupa ou de como ela veste o meu corpo! Pára de fazer comentários assim! Sou gorda não importa o que eu vista que vou continuar gorda. E tem um monte de magro na rua que a blusa marca também a barriga! Me deixa! – E saí pro lugar aonde estava indo.

Gordos Não Tem Obrigação de Engolir Preconceito

E do nada lembrei disso e fiquei pensando no quanto a intolerância é cultivada e aceita como algo normal pela sociedade. Os intolerantes de hoje muitas vezes foram condicionados por seus pais direta ou indiretamente a serem intolerantes, preconceituosos, dentre outras coisas. Para a maioria da sociedade é certo criticar e se intrometer na vida do gordo, ditar regras de vestimenta, nutrição, comportamento, etc… E o que me dá muita vontade de rir é que o discurso deles é sempre o mesmo: Ah! Eu estou falando isso por causa da sua saúde e blá blá blá.

Mas ainda que isso fosse verdade, não deveria ser levado em consideração a saúde mental, psicológica do gordo? Nisso ninguém pensa ao nos falar um monte de asneiras! E me faz rir também o discurso da sociedade, “ai obesidade é doença”, tá… se vocês adoram falar que todo gordo é doente, onde está a empatia por alguém que tem uma doença crônica? Se somos doentes crônicos, não seria muita crueldade atacar um doente?

O que me deixa mais estupefata é encontrar gordos que ao verem uma denúncia de gordofobia, acham graça, minimizam o efeito que aquilo ali pode ter para outrxs gordinhxs. Para lutar por espaço e respeito nesta sociedade precisamos parar um pouco e refletir como nós mesmos muitas vezes enfraquecemos a luta pelo fim da gordofobia. E repensar a maneira como nossos comentários podem atingir pessoas que não possuem a mesma estrutura psicológica, emocional, mental de absorver o preconceito e não se abater por causa dele. O que para umas é bobeira, não faz nem cócegas, para outras é motivo de depressão, síndrome do pânico, e vergonha extrema que as impedem de levar uma rotina normal, sair de casa. Fora os distúrbios alimentares que matam. Uma palavra nossa, um comentário pode  disparar o gatilho pro desmoronamento de alguém. Algumas pessoas acham que o trabalho de blogueiras novas como eu de estimular pessoas a se amarem se resume apenas a dizer: ” se ame” “se ame”. Mas vai muito, muito, muito além disso! Eu posso não ter muita experiência como blogueira mas tenho mais de 20 anos de experiência na luta e sobrevivência ao preconceito que gordos sofrem. E sei o quanto a pessoa que está nesta situação precisar verificar com especialistas os 3 aspectos de sua saúde: física, mental e psicológica. Já sofri de distúrbios alimentares por conta da cobrança excessiva que recebia sobre o meu corpo, arranjei várias lesões por ter exagerado na carga horária de exercícios físicos que fazia, em média 8 horas por dia, durante 9 meses. Sei muito bem que a questão de desconstruir o preconceito que temos com relação a nós mesmos não pode, nem deve ser subestimado. É preciso buscar a origem dos problemas, buscar auxílio para as questões internas com profissionais da área de saúde(física, mental, psicológica)

É muito fácil você criticar outros gordos quando julga e não procura saber o que aquela pessoa enfrentou até ali. Vejo muitas pessoas que pesam 2 dígitos tratando com desprezo e preconceito quem pesa 3 dígitos, e o que vou falar agora poderá chocar algumas dessas pessoas que por ventura estejam lendo isto: para sociedade não existe gordinhozinho, gordinho, gordo, gordão. Pra sociedade são todos simplesmente gordos! Você que pesa 2 dígitos não gosta de ser tratado de modo desagradável por causa do seu peso, certo? Então por quê fazer isto com pessoas que pesam mais que você? Se você sofre com gordofobia por quê agir de modo preconceituoso com outros gordos? Isso é incoerente, não faz o menor sentido!

Então gordinhxs vamos ser mais solidários, desenvolver empatia e reavaliar o preconceito que temos com outros gordos e com nós mesmos! E parar com esse papo que nós é que devemos ser fortes e continuarmos de braços cruzados enquanto muitos sofrem e não conseguem aguentar tanto ódio gratuito e preconceito!

“O maior preconceito que devemos vencer, é o nosso em relação a nós mesmos” Claudia Rocha GorDivah

 

 

Beijos Queen Size,

Claudia GorDivah

5 Comentários // Deixe o seu!

  • Me identifiquei muito no primeiro parágrafo, porque quando falamos em gordofobia lembramos da época em que somos desprezados e ofendidos na escola, mas o que muitos não sabem é que isso também acontecem em casa, com seus pais, seus tios e aquelas primas lindas e magras. Com 18 anos de idade e vestindo 40 pensei que isso tinha acabado, que minha família tinha desencanado, mas eu me enganei, porque deixo passar muitas vezes em que minha vó tenta me ensinar a fazer regime. Semana passada comprei uma camisa de botões para o trabalho, tamanho 42, dois números acima do meu, chegando em casa pensei que minha mãe e avó iam amar e achar linda, mas ficaram dizendo que deveria ser maior ou que eu deveria emagrecer, e isso foi um baque para mim. Juro que não imaginava que iria me sentir tão mau por uma “besteirinha” mas chorei muito e fiquei muito fragilizada. Fui lá e troquei por um número 46 depois de pensar muito, ma magoada, por achar que eu estava livre desse preconceito e ser atingida assim de uma forma tão inesperada, espero que a mensagem que vocês tentam transmitir aqui no blog possam se disseminar e chegar até a mente e o coração das pessoas para que elas pensem duas vezes antes de falar sem pensar nas consequências e saberem acolher aqueles que ama da forma que ele são.

    • Tomara que essa mensagem vá longe mesmo e conscientize muitas pessoas. Entendo como você se sentiu Bárbara, mas não fique assim viu. Você é linda como é ♡♡♡

  • bruno cosme says:

    Eu senpre gostei de mulher gordinha eu nao mr dou com mulher magra .

  • junior says:

    Eu sou gordo e mim sinto bem com a vida pois e melhor um gordo que faz gostoso do que um bombado brocha…

  • Ninguém achou estranho ler que uma pessoa fazia exercícios por OITO horas diárias? E isso durante um período de NOVE meses. Um bodybuider, (aqueles caras que vivem de musculação) treina normalmente CINCO horas por dia, e isso durante o período que antecede as competições… Sei não.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *