15.04.15

Gorda e Linda!? – GorDivah No Ar

Quem costuma acompanhar minhas postagens aqui no BST  já deve ter percebido que sou body positive e procuro sempre manter uma relação próxima com meus leitores. Adoro conversar com pessoas diferentes e aprendo muito com minhas leitoras e curtidoras. E devido à essa proximidade eu recebo desabafos, relatos, depoimentos, perguntas das pessoas que costumam me acompanhar. E esse trabalho com o vlog tem por objetivo me aproximar mais ainda de vocês, como se estivéssemos num bate papo ao vivo, numa cafeteria, trocando ideias. Acho que esse contato ainda que virtual, ao mostrar um rosto, uma voz, pode facilitar muitos a refletirem melhor sobre o preconceito que possuem em relação a si mesmos desde que se entendem por gente.

Fico super feliz toda vez que vejo um comentário nas páginas informando que a pessoa começou a pensar diferente depois de ver os vídeos, passou a se enxergar de outro modo. Eu realmente faço esse trabalho por amor e com muito carinho e dedicação porque sei o que é sofrer preconceito, ter depressão, desenvolver transtornos alimentares por causa da cobrança das pessoas à minha volta, dentre outras coisas. Eu não tinha condições financeiras para fazer terapia ou ir ao psicólogo e superar tudo isso na época em que era esmagada por aquele festival de gordofobia e não tinha ninguém que me entendesse ou me ajudasse a enxergar minha beleza. Por isso eu tenho muita empatia por pessoas que enfrentam diariamente o preconceito e nem sempre conseguem segurar a onda. Não penso que nós é que temos a obrigação de sermos fortes, eu penso que nós independente de sermos fortes ou não devemos nos apoiar, ajudar  e não subestimar a luta interna dos outros. Acredito que precisamos ser mais tolerantes, empáticos e nos unir na luta contra o preconceito e não engoli-lo e aceitá-lo como algo inerente a todo ser humano.

Se você não se abate com a gordofobia, ótimo! Mas não pense que todos são ou deveriam ser como você. Não menospreze a batalha interna dos outros, nem todos tem estrutura psicológica para suportar a gordofobia. Não julgue, apoie o movimento contra o preconceito, sendo tolerante com aqueles que infelizmente não o superaram ainda, como você!

 

Beijos Queen Size,

Claudia Rocha GorDivah

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *