23.04.15

#EmpowerALLBodies este deve ser o nosso alvo!

Faz uns dias contei neste post aqui, para vocês sobre a campanha da Lane Bryant com diversidade de corpos em resposta a uma campanha que se referia a um determinado tipo como sendo o perfeito. Embora eu ameeee ver diversidade de corpos em campanhas e tenha aplaudido as fotos, eu senti falta e até comentei que faltava corpos maiores, mas mesmo assim eu achei válido comemorar a beleza da campanhas. Baker uma militante da autoestima em todos os tamanhos criou então o que podemos chamar #IamNoAngel – Empoderador, que é uma versão do primeiro melhorada hahaha, que contempla corpos esquecidos até pelo mercado plus size para a representatividade.

#EmpowerAllBodies (1)

A matéria original sobre o #EmpowerAllBodies vocês encontram aqui em inglês, mas contei com a ajuda da Letícia, para traduzir os motivos que levaram Baker a realizar este ensaio e alguns pontos eu ressalto para vocês abaixo dessas fotos divinamente lindas. *_*

 

#EmpowerAllBodies (2) #EmpowerAllBodies (3) #EmpowerAllBodies (1) #EmpowerAllBodies (4) #EmpowerAllBodies (5) #EmpowerAllBodies (6)

 

“Na minha opinião, eu questiono como que aprovar essas imagens pode ser para “todas as mulhres”. #ImNoAngel mostra apenas UMA forma que define a mulher plus size sexy; aquela corpo é a uma forma tradicional de ampulheta: um corpo com a cintura sendo consideravelmente menor do que o qualdril e o busto. Isso é quase sempre (e é, nesse caso) acompanhado por uma barriga lisa/chapada. Essa forma é onipresente na modelagem plus size e de alguns dizem que aparecer um tipo de corpo não é problema (apesar de tudo, pelo menos sendo plus size e estando pra jogo/podendo transar/F train, né?), mas eu discordo e gostaria de compartilhar com vocês um pouco sobre a diversidade e porque isso é mais importante do que você pensa.

Quando nós, como sociedade, falhamos em incluir diversos corpos em nossa mídia, a mensagem chega clara para os excluídos: você não tem mérito para ocupar esse espaço. É uma mensagem muito poderosa que se acomoda/instala no meio de quem não foi representado. #ImNoAngel tenta, aparentemente, transmitir empoderamento para as mulheres plus size, mas ao invés disso, continua perpetuando exatamente a mesma mensagem. Desta vez, porém, adicionando especialmente para os corpos não retratados: não só indigno de tomar espaço, mas também não é bem-vinda ao se sentir sexy.

Tendo em vista que a maioria das suas clientes não se sintam representadas em #ImNoAngel (e as mulhres plu size em geral), esta campanha parece ter tido um empoderamento “tiro pela culatra”.

Quando uma pessoa é constantemente bombardeada por imagens de um corpo “ideal” (sendo ele plus size ou não) causa danos em sua psique.
A exposição contínua treina eles mentalmente para acreditar que apenas UM corpo é digno e esse condicionamento social infeliz é um dos maiores contribuintes para a baixa auto-estima, dismorfia corporal, transtornos alimentares, outras questões relacionadas com a grave imagem corporal – todas as que afetam a vida diária. Diversidade visível é uma solução para estes problemas, e pedir por isso não é nada egoísta. É absolutamente necessário.

Eu gostaria de enfatizar também que as imagens de exclusão causa mais do que sofrimento pessoal. Também causa reações negativas de outras pessoas que podem se transformar em assédio, byllying e ódio em geral. Porque não temos dado um conjunto positivo de princípios para processar corpo plus size “alternativo” quando se é apresentado modelos de formas variadas se sentindo sexy e coisa e tal o publico é quase sempre negativa. Sem dúvida este post vai receber boa parte de observações horríveis essa reação está diretamente ligada ao fato de que fomos condicionados a acreditar que apenas um tipo de corpo merece ser vista como sexy. Qualquer um que quebrar essa regra é reconhecido/tratado com hostilidade.

Esta reação pode eventualmente desaparecer se empresas como a Lane Bryant saísse de sua zona de conforto e fizer algo radical como: incorporar a diversidade corporal.”

#EmpowerAllBodies (1)

 

Quando abri a matéria eu só pensei: Baker lacrandooo!

E sim a gata mais uma vez arrasou, foi e fez uma versão fantástica das fotos permitindo um empoderamento muito mais amplo.
Espero que os blogs plus size e sites brasileiros forneçam o mesmo destaque para essas fotos, não quero ser exceção de ter achado as outras lindas e essas lindas também.

Contem-nos aqui nos comentários o que vocês acharam das fotos e da campanha #EmpowerALLBodies. a opinião de vocês é sempre super bem vinda.

4 Comentários // Deixe o seu!

  • Deise Garay says:

    É bom ver um corpo similar ao nosso! Embora tenha faltado alguns formatos de bonitas na foto, ainda é válido. Apesar de eu ser branca e de cabelo vermelho, me identifiquei com a moça negra, e me senti em paz com meu corpo, nosso corpo!
    Beijos

    • Kalli Fonseca says:

      Deise ficou demais né?
      Depois da sua análise fui ver qual corpo parece mais com o meu hhahaha, acho que a da perna tatuada é a que se aproxima mais e é mara essa identificação. <3

      Bjmm

  • Lindissimo parabéns meninas belo trabalho.

  • Nolan Leve says:

    Vocês,a quem prefiro chamar de fofinhas,são extremamente sensuais.Fico revoltado com pessoas cuja postura é magoar mulheres,por causa do corpo.Invejo os parceiros de cada uma de vocês. Levantem a cabeça.Vocês são lindas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *