fbpx
23.11.15

Empoderamento – Ensaio Natureza Mãe

Existem várias formas de se empoderar mulheres, e a fotografia é sem dúvidas uma delas. Neste fim de semana tive o prazer de ver uma manchete sobre o Ensaio Natureza Mãe, o que para mim foi ainda mais interessante foi saber que o mesmo foi realizado por uma fotógrafa de Juiz de Fora. <3

Ser mulher no ano de 2015 no Brasil é ainda muito difícil e cheio de “Não Pode”, mas ser mulher no interior de Minas Gerais um estado conservador é ainda mais complicado. Conheço muito bem as mazelas de se viver em uma região em que se podam expressões até dos homens (já dizia o Alexandre Pires que mineirinho come quieto), vocês conseguem imaginar o quanto uma mulher que se sobressai com algo fora do senso comum é julgada por aqui? Acredito que quem também mora no interior ou vive em uma família muito conservadora, entende bem o que eu estou falando. 

Ainda bem que em meio a todas essas barreiras culturais, algumas mulheres conseguem deixar o talento e principalmente a vontade de colaborar para um mundo melhor se sobressair.  Este é o caso da Malu Machado é mulher, mãe, fotógrafa e jornalista, atendeu ao chamado de Kalu Brum (criadora do projeto Natureza Mãe), que convidava outras fotógrafas para realizar ensaios em outras regiões do país.

“No cenário mágico da Estação Andorinhas, caminho para Ibitipoca, nos encontramos. Nove mulheres, mães, com seus filhos pequenos, eu e mais três amigas, anjos que nos cercaram de carinho e cuidado. Ficamos ali imersas no tempo e no espaço vivendo uma experiência única de entrega e comunhão.”

O resultado foram fotos lindamente naturais dessas mulheres com seus filhos. <3

Ensaio Natureza Mãe (2) Ensaio Natureza Mãe (3) Ensaio Natureza Mãe (4) Ensaio Natureza Mãe (1)

“Despir-se de tudo para se reencontrar. O tempo parado. Por algumas horas o mundo pareceu perfeito. Nenhuma criança chorou, tamanho o equilíbrio emocional que conseguimos neste lugar. Ali, na cachoeira, a força do feminino crescia. Do lado de fora, a força do masculino acolhia, no apoio dos companheiros e amigos que nos ajudaram a chegar até o local. O que foi mais um aprendizado, de que é possível a convivência do feminino e masculino, sem que para um brilhar, seja preciso ofuscar o outro.”

No site da Malu Machado, tem mais fotos deste ensaio e um depoimento de cada participante, o post é lindo e merece ser lido admirado, é só clicar aqui.

Achei o ensaio lindo, achei a proposta maravilhosa. <3
Mas foi a diversidade de biótipos que realmente me conquistou, é muito gratificante ver mulheres de todos os tamanhos, raças e tipos de cabelos, retratadas em uma mesma foto. *__*

Desejo que mais ensaios aconteçam, para que mais mulheres reconheçam a sua beleza em fotos como essas, e que essas fotos possam inspirar outras muitas mulheres que se sentirem representadas nelas.

Para quem é de Juiz de Fora e região, essas fotos terão uma exposição virtual nesta quarta-feira, 25.

Dia de Combate à violência contra a mulher, na sede da OAB JF, podendo ser vista das 15h às 19h.

 

Vocês gostam de ensaios como este? Acreditam que a fotografia é uma “arma” de empoderamento? A opinião de vocês é sempre importante aqui no blog. *_* 

4 Comentários // Deixe o seu!

  • Sou uma das mulheres q estão no ensaio. Gostei muito de sua fala é desse seu espaço.
    Me identifiquei com o “Beleza sem Tamanho”. Sou gorda e esse seria um “entrave social” até para o meu desejo de participar do ensaio. Mas foi uma das MINHAS MOTIVAÇÕES. Precisamos nos despir cada vez mais: despir das roupagens sociais que querem nos obrigar a vestir! Dos padrões ditos belos.
    Sou linda!

    • Kalli Fonseca says:

      Oie Mara!
      Que lindo seu coment <3
      Vc foi sem dúvida o motivo de eu ter amado o ensaio, essa representação é muito importante. 🙂

      Seja bem vinda ao Beleza sem Tamanho!

      Bjm

  • Cláudia Zanella says:

    Eu já vi muitas reportagens mas nunca me emocionei tanto como nesta ; só mesmo mãe pode expressar tantas emoções essa especificamente marca faz com que repensamos nossas atitudes ,só mesmo quem já passou por preconceitos assim pode entender o valor dessa reportagem.Parabéns pelo trabalho emocionante.

  • Cláudia Zanella says:

    Essa reportagem foi brilhante ,e as fotografias conseguiram tocar a alma,eu adorei que venham ouras assim. A fotografia é sim uma “arma”uma forma de reivindicar ,cobrar nossos direitos de mãe.Parabéns.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *