Categoria: plus Size

11.09.13

Bazar POP Plus Size em Sampa 14/09

Neste sábado tem mais uma edição do Bazar POP Plus Size no Espaço Zebra. Somente no sábado, do meio-dia às 19 horas. Fica ali na Rua Major Diogo, 237, bem pertinho da Rua Augusta e da Av. Nove de Julho.

Quem for de Sampa, não deixemde comparecer e aproveitar para conhecer os melhores doces do mundo que só a Delícias da Rack tem <3.

4bazarpopplus_flyerweb14setembro2013Neste sábado tem mais uma edição do Bazar POP Plus Size no Espaço Zebra. Somente no sábado, do meio-dia às 19 horas. Fica ali na Rua Major Diogo, 237, bem pertinho da Rua Augusta e da Av. Nove de Julho.

Esta edição está imperdível! Estarão presentes stands das seguintes marcas:

Chica Bolacha (grife gaúcha de moda feminina) // Tata Store (grife catarinense de moda feminina) // Monka (acessórios e presentes) // Es.love.nia (leggings descoladas) // Diva Spa Shop (beleza e acessórios) // Curve à Porter Moda Plus (grife paulista de moda feminina) // Phedras (aromatizadores de ambiente) // Amor em Lata (presentes em artesanato) // Delícias da Rack (doces e chocolates) // Espaço Zeta (grife de T-Shirts femininas e masculinas) // Giovanna Moretto (grife paulista de moda feminina) // Cheiro de Fulô (cosméticos artesanais) // Erzulie Freda (acessórios femininos artesanais) // Espaço Íntimo (lingerie) // Cintos Exclusivos (acessórios em couro)

O Espaço Zebra tem um bistrô com comidinhas e bebidinhas deliciosas, além de galeria de arte, brechó e sebo. Venha passar uma tarde gostosa com a gente!

Mais informações no Tumblr http://bazarpopplussize.tumblr.com e em nossa fanpage https://www.facebook.com/bazarpopplussize

09.09.13

Guest Post: Medida Certa ou Incerta?

Na semana passada vários blogs e sites abordaram sobre a presença das Divas Plus Size no programa Medida Certa, embora eu tenha uma opinião a respeito delas estarem no programa, eu não quis trazer para o blog o #mimimi se elas eram vilãs ou mocinhas. Como eu tenho as leitoras mais lindas, eu convidei o Cezar Vicente Jr, que é Nutricionista para falar um pouco sobe os efeitos do Medida Certa em quem participa e também na sociedade como um todo. O texto é longo, mas extremamente esclarecedor, espero que vocês curtam tanto quanto eu. <3

Os reality shows sempre fazem sucesso, em especial aqueles que se focam sobre o peso, como o americano The Biggest Loser (que teve uma versão brasileira, mas que não vingou) e o Medida Certa (e sua versão infantil, Medidinha Certa). Existem muitos pontos que me incomodam nesses programas, em especial no Medida Certa, e vou tentar resumir alguns. O primeiro ponto pra mim é sem dúvida o fato de ser focado no peso. Quando se foca no peso assume-se que o objetivo da mudança é o peso, no caso, a perda de peso. E isso me leva a algumas questões:

Questão ‘A’: Alguém consegue mudar diretamente o peso?

Questão ‘B’: Existem apenas formas saudáveis de perder peso?

 Questão ‘C’: Todo mundo que tenta perder peso, consegue?

Medida certa

Considerações sobre as questões.

A) Não, o peso não é um comportamento, portanto não consegue ser mudado diretamente. Conseguimos atuar diretamente sobre os nossos comportamentos, por exemplo, escovar os dentes após as refeições, tomar mais água, etc.

B) Existem muitas formas utilizadas popularmente para se perder peso (não estou me referindo à efetividade) e, diga-se de passagem, as mais perigosas são as mais usadas: cortar grupos alimentares, usar medicações para queimar gordura, fazer jejuns, fazer dietas restritivas, fumar, usar shakes substitutos de refeições, vomitar, usar laxantes, usar diuréticos, chás emagrecedores, etc. A lista é longa!

C) Esse é o grande ‘X’ da questão. É considerada uma perda de peso efetiva quem perde peso e consegue manter por até 5 anos esse peso. Estudos mostram que é mais possível se curar de alguns tipos de câncer do que “fica na medida certa” quando já se tem um peso elevado. E isso não é culpa da pessoa! Com o grande foco no peso, algumas das indústrias mais poderosas do mundo – farmacêutica e alimentícia – viram um grande potencial e investimento: o emagrecimento. Oras, imagine que vc compra um produto para um determinado fim, mas que não funciona, ou funciona por um curto prazo, e que no rótulo vem escrito que se não funcionar a culpa é sua! Ou você não usou direito, ou foi o tempo que usou que foi curto, ou não teve força de vontade de usar o produto. E se, por acaso, você achar que esse produto não presta, em breve surgirá outro com uma embalagem diferente, mas ainda dizendo que a culpa é sua se der certo. Você compra porque todo mundo diz que você precisa alcançar aquele determinado fim e que só você não conseguiu. Além de um mercado inesgotável e altamente rentável (afinal, quem hoje não quer perder alguns quilinhos?) ele ajuda a colocar a culpa na própria pessoa o que ajuda a fortalecer algo chamado ‘estigma do peso’ (ou ‘estigma da obesidade’) onde diversas características são associadas, erroneamente e quase que automaticamente, às pessoas com maior peso. Alguns exemplos são: preguiça falta de força de vontade, gula, descuido, etc. Esse é um dos principais motivos para que as pessoas procurem desesperadamente ‘transformar’ seus corpos.

Como se não bastasse isso, todos os profissionais da saúde aprenderam que grande maioria dos problemas de saúde são causados por excesso de peso (em muitos casos independente do peso da pessoa). “Esses dias fui ao médico dizer que estava com uma dor no pescoço e eu nem havia terminado de falar e ele me mandou emagrecer (…) depois estava com uma dor na barriga e fui a outro médico que me disse a mesma coisa… Sabe, sinto como se eu não fosse mais uma pessoa, mas como se eu fosse apenas um peso, um número… Lembro-me daquela história que gordo não tem nome. Ao invés de as outras pessoas se referirem aos gordos pelo nome, elas o chamam ‘gordo’.” – relato de uma paciente em conversa com nutricionista. Vamos refletir: as pessoas que tem dificuldades com o seu peso vão procurar o profissional da saúde que sempre dá uma orientação inovadora: emagreça (algumas vezes essa etapa é pulada). Ouvem diariamente que deveriam ter força de vontade, fechar a boca, deixarem de ser preguiçosas… Com isso elas se tornam alvo fácil da indústria do emagrecimento. Consequentemente elas não perdem, voltam a ganham peso em algum tempo. A pessoa se sente culpada por isso. Como é difícil para as pessoas que não estão ‘na medida certa’ viverem nesse planeta! Por isso acho necessário deixar alguns pontos esclarecidos: O nosso corpo não é uma massinha de modelar, portanto não podemos deixar ele do jeito que quisermos. O nosso corpo não é uma peça de madeira que precisa ser esculpida para ficar melhor. O nosso corpo não é o que nós somos, ele é apenas uma parte do que nós temos – somos muito mais do que o nosso corpo. O nosso corpo não precisa ser consertado para melhorar a nossa auto-estima. O nosso corpo não deve ser maltratado, mas sim cuidado! O nosso corpo não precisa estar dentro de padrões para nos gostarmos! A forma do nosso corpo não é o resumo do nosso estado de saúde! A palavra mais citada quando o assunto é peso é ‘alimentação’. Graças à grande mídia e alguns fatos históricos, todas as pessoas do universo automaticamente pensam em peso quando se fala em alimentação. Dentro desse pensamento a alimentação tem apenas 2 funções específicas: engordar e emagrecer.

tumblr_m945oi25FM1rzc0p3o1_500

E nessa visão simplista a saúde é “controlar o peso”. A comida não é uma modeladora corporal também. Sim, ela é muito importante e não há como viver longe dela! Ela é importante para manter nossas funções biológicas do corpo adequadas, para podermos comer um delicioso bolo recheado em uma festa de aniversário, para podermos fazer aquela receita da vó e achar que vai sair igual (mesmo sem nunca sair), para podermos tomar um chá quentinho quando estamos gripados, para convidar aquela pessoa amada para um jantar romântico, para reunir amigos em casa e querer tentar fazer com as próprias mãos um quitute gostoso para todos… A comida é incrível e imprescindível! Internacionalmente alguns movimentos trabalham na mesma direção destas críticas. Um dos meus favoritos é chamado de Healthy At Every Size® (algo como “Saudável em Todos os Tamanhos”). HAES® é um tipo de abordagem para promoção da saúde baseada em 3 pilares: auto-aceitação corporal, comer normal, e atividades físicas prazerosas. Ou seja, que é possível cuidar da saúde de uma maneira não-militar e que entende que existem pessoas de todos os tamanhos e formas.

Pra finalizar, apenas uma reflexão: se existe a uma “medida certa” automaticamente existe uma “medida errada”, quer dizer que se eu não estou nessa tal medida correta o meu corpo está errado. Sinceramente, não acho que existam corpos certos e errados, acredito em DIVERSIDADE, alguns corpos não devem entrar em extinção.

Cezar Vicente Jr

15.08.13

Os bastidores da humilhação

30abr2013---fabiana-karla-chega-para-o-lancamento-da-novela-amor-a-vida-no-projac-no-rio-de-janeiro-na-trama-ela-sera-persefone-uma-enfermeira-virgem-que-quer-arranjar-um-1367412029100_956x500

Quem me conhece sabe que eu sou atriz e nos últimos tempos a pergunta que mais me fazem é: Por que a Fabiana Karla aceita fazer um personagem tão humilhante como a Perséfone, a enfermeira virgem, tarada e péssima profissional?

A resposta está diante de todos nós, é necessários apenas ligar a televisão e ver quantos personagens existem em novelas, séries e filmes que são gordinhas.

Em vinte anos conheci os bastidores da televisão e do teatro e entendo a situação de Fabiana, se eu estivesse no lugar dela talvez fizesse o mesmo, esperaria a poeira abaixar antes de sair brigando com o autor e fechando as portas.

O que poucos sabem é que televisão não trabalha com atores, trabalha com o que eles chamam de “perfil”. O autor escreve o texto, determina o tipo físico do ator que procura, então o diretor e produtor passam essa informação a uma agência de atores, que manda gente para os testes. E isso corresponde a menos de 1% de um elenco de novela, em geral os atores são escolhidos na mesma emissora, então rara vez procuram gente de fora, mas quando acontece as agências são as responsáveis.

No caso de comerciais os atores são escolhidos em diferentes agências, mas todos sempre são chamados de acordo ao tipo físico exigido.

Tenho uma amiga que tem a mesma idade do que eu e somos parecidas fisicamente, mas ela é magra. O tipo físico dela é o preferido, ela tem testes quase todos os dias e encaixa em muitos, pode ser a dona de casa, executiva, atleta, moderninha, mãe, filha, neta, pode ser tudo.

Mas eu não, porque não sou magra. É terrível dizer isso, mas um tipo físico gordinho serve apenas para duas coisas, tanto em novela como em publicidade, para ser humilhado por alguém ou ser engraçado.

Se eu tivesse que contar todas as histórias que já passei em testes, precisaria de uns duzentos posts.

E sou sincera, não tenho reclamações das agências, sempre fui bem tratada, eles apenas fazem seu trabalho. E nos testes também nunca sofri nenhuma humilhação por parte da equipe técnica, pelo contrário, sempre me ajudaram e vi ajudarem a todos, até em situações bizarras e vi nos olhos de muitos o constrangimento pelo o que pediam para as atrizes fazerem.

Um deles era para um comercial de carros. Uma mulher linda chega em casa e pega seu marido na cama com outra, mas a amante é gordinha. Então entrava uma frase no comercial na base de “Não troque tal máquina por uma carcaça”, uma coisa assim. O rapaz no comercial convence a mulher que jamais transaria com uma gordinha.

Eu vi o diretor explicando a cena para as atrizes, inclusive eu e percebi o constrangimento dele, da equipe, até porque tinha uma cena que o rapaz arrancava o lençol e mostrava que a amante era gordinha, como se fosse uma leprosa.

Esse dia inclusive eu recuperei um pouco de fé na humanidade, porque as pessoas da equipe corriam pra ajudar a atriz que fazia a amante, evitando que ela ficasse em roupas íntima na frente dos outros.

Tive uma sorte enorme com o ator que fiz o teste, porque ele foi um cavalheiro, mas saí de lá com uma sensação péssima.

Depois fiz outro teste para uma marca de cerveja, o rapaz vai ao oculista e no exame não vê os números, vê uma mulher. Se ele tivesse bebido a cerveja, via uma mulher linda, perfeita, sem a cerveja ela via uma gorda.

E assim foram muitos, até que eu senti que aquilo tinha atravessado todas minhas fronteiras e resolvi sair dos testes.

Voltei ao teatro, onde existem atores, não “perfis”. Mas entendo Fabiana.

Ela é uma funcionária, de uma empresa conhecida por ser justa com seus funcionários e obedecer todas as regras da lei. Fabiana tem família e pelo seu tipo físico está limitada na televisão. Uma atriz que contracena com ela, faz sua melhor amiga Patrícia (Maria Casadevall) é magra e já está sendo disputada para duas novelas. E Fabiana não.

Ah, mas ela podia reagir! Sim poderia, então o autor cortaria ela da novela e como fica? Não fica, papéis de gordinha não existem, são tão poucos que ninguém percebe que quase não existem.

E eu nem contei sobre os bastidores do figurino, precisaria de outros mil posts para contar o que acontece ali, já que figurinistas odeiam atrizes gordas, pela dificuldade em achar roupas.

Mas mesmo criticando o sistema, a televisão, as agências e tudo que envolve, nós como público temos nossa parcela de culpa, assistimos tudo sem reclamar, passivas. Neste país mais da metade das mulheres está acima do seu peso, mas todas assistem televisão sem dizer nada, ninguém reclama de que a novela tem 30 personagens femininos e apenas uma gordinha, como se essa conta existisse na vida real.

E o que pode ser feito? Muito, a televisão só mostra o que aceitamos assistir, quem não gosta muda de canal, liga para a emissora para reclamar ou manda e-mail.

Tudo isso pode parecer uma grande bobagem, mas funciona. De tantas reclamações hoje as novelas não se atrevem mais a colocar empregados negros, porque podem ser acusados de racismo. Mas isso só aconteceu porque os negros se mexeram e foram atrás dos seus direitos, aqueles que os gordos acham que não têm.

Televisão depende de nós para existir e se aceitamos quietos que humilhem os gordos nas novelas e propagandas, então a culpa é de todos.

Iara
Iara De DuPont
http://sindromemm.blogspot.com.br/

13.08.13

Há coisas que nunca são ditas para garotas gordas. Então eu vou dizer:

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Todo mundo tem dobrinhas quando se curva. Todo mundo. Vamos deixar isso claro logo de cara. Nos últimos meses, mais de trinta mulheres, das mais magricelas até as mais gordinhas, se deitaram nuas na minha cama. Eu geralmente pedia que elas abraçassem seus joelhos, e vocês não vão acreditar: todas tinham dobrinhas na barriga.

Nenhuma saiu ilesa. Até uma modelo, medindo 1,80 de altura, tinha dobrinhas na barriga. As fotos que mostravam a barriga das fotografadas se tornaram minhas preferidas de todo o projeto… Então pare de achar que as dobrinhas na barriga são uma coisa ruim, e tente aceitar (ou até mesmo amar) as suas.

Quando as pessoas disserem “você é linda”, acredite. Eu costumo não acreditar, e isso é uma vergonha.
Quando as pessoas te fazem um elogio genuíno, é porque é isso que elas veem. Tente não achar que elas estão erradas. Elas veem você como um todo; nós vemos nossos defeitos. Acredite nelas.
“Braços que balançam são uma vergonha”. Não são, não, vá se f*der. Não, não você. As pessoas que nos dizem isso.
“Você não é deslumbrante apesar do seu corpo. Você é deslumbrante por causa do seu corpo”. Há uma grande diferença aí. Eu cresci numa cultura que classifica mulheres pouco atraentes como “espíritos especiais”. Essa é uma categorização degradante, que implica que a única coisa de valor é o interior das mulheres. Claro que nós todas somos muito mais que nossos corpos, mas nossos corpos também são uma parte bonita do que nós somos. A beleza vem de dentro e de fora. Eu acredito firmemente na ideia de que toda e qualquer pessoa é bonita e, portanto, o interior é a parte mais reveladora quando se trata da verdadeira “beleza”.
Você não precisa malhar todos os dias para se sentir bem consigo mesma. Muita gente acredita que pessoas gordas precisam se exercitar o máximo possível para provar que estão decididas a se tornar menos gordas. Como se aceitar nosso corpo como ele é fosse um pecado mortal. Claro que o exercício físico tem diversos benefícios para o corpo e para a mente, mas você não precisa se esforçar para mudar seu corpo a menos que essa seja a sua vontade. Você não precisa mudar o seu corpo para se sentir bem. E ponto final.

adipositivity
Você pode se apaixonar por si mesma. Essa vai ser a coisa mais assustadora que você irá fazer, mas tudo bem. Porque essa também será a mais fantástica experiência que você terá na vida (mesmo que gradual). Isso não é ser narcisista ou convencida. É simplesmente libertador.
Tudo bem também se você não se amar todos os dias. Nós passamos nossa vida inteira internalizando mensagens de que ser gorda não é legal.
Sofremos a vida inteira uma lavagem cerebral que nos faz odiar ser quem somos. Demora pra gente conseguir pensar de outra maneira; não vai acontecer de um dia para o outro. Se dê o direito de chorar, soluçar, gritar, atirar coisas. Mas então se levante e siga em frente, porque você é uma guerreira.

Todo mundo tem um peito maior que o outro. Se você tiver um peito grande, eles serão ainda mais diferentes entre si. Não se preocupe, isso é completamente normal.
Há pessoas que preferem mulheres gordas. Antes eu achava que o melhor que eu podia fazer seria encontrar alguém que aceitasse o fato de eu ser gorda. Mas então descobri que não somente existem pessoas que adoram mulheres gordas, mas que existem MUITAS pessoas que preferem as gordas. Não se conforme com um parceirx que meramente aceite seu corpo. Você tem o direito (e milhares de oportunidades) de achar alguém que se apaixone pelo seu corpo. Você merece ser idolatrada, moça!

tumblr_m2kk9mJAc61r3lw6qo1_500

Mulheres gordas transam com caras gostosos o tempo todo. Eu sei que “gostoso” é um termo relativo, mas vamos falar aqui daquele tipo universal de homem gostoso. Sabe, aquele que “as gordas não merecem?” Infelizmente vocês sabem do que eu estou falando. O fato de mulheres gordas transarem com caras gostosos foi uma das maiores descobertas que eu já fiz. Antigamente eu achava que o número de pessoas que me achariam atraente seria muito pequeno, então eu me contentaria com qualquer um que me achasse atraente. Afinal, por que um cara convencionalmente bonito iria gostar de uma garota gorda?
Acontece que por meio da internet, de festas e eventos, eu acabei descobrindo centenas de homens que brigariam para transar comigo. De repente, eu é quem estava escolhendo com que eu queria transar. A ideia de que pessoas com corpos “atípicos” não podem se juntar com aquelas “tipicamente atraentes” é falsa. As pessoas precisam saber que todos os tipos de corpos podem ficar juntos. (Neste ponto do texto eu acho que vale ressaltar que: existem homens Gordos, Gostosos, Lindos assim como existe as Gordas,  acredito que sim as gordas podem e devem transar com quem quiser, sem desmerecer ou enaltecer um só padrão para assim conseguir se sentir mais valorizada.)
Ficar por cima na hora do sexo não vai machucar o cara. Confie em mim, esse medo é totalmente falso.
Vestir o que você quiser é um ato político. Participe da revolução. Jogue todas as regras de estilo pela janela. Use roupas justas, listras horizontais, calças skinny, leggings, blusas transparentes, biquínis… use aquilo que te faz feliz.

1199800414_large

Você é linda! Eu sei que você não se sente a criatura mais bonita desse mundo. Eu sei que isso é difícil. Eu sei que essa é uma batalha diária. Mas que se f*da o padrão fascista que foi estabelecido. Assim que você parar de olhar para as modelos absurdamente magras e passar a olhar para VOCÊ, você passará a gostar de si mesma como você é. Pare de procurar defeitos em você. Você é perfeita. Você é mais do que suficiente. Você é a melhor coisa que já te aconteceu. Você é linda.

Texto traduzido por Ligia, postado originalmente no blog Escreva Lola Escreva.

Fotos retiradas do Projeto Adiposivity

Este texto já rodou bastante a internet, mas resolvi repostar mesmo assim, aproveitei para deixar em negrito as cosias que sempre falo e uso em minha vida, além de fazer uma ressalva que considero importante. 

Sei que apenas 10% dos meus leitores são meninos e destes acredito que somente uns 5% são Gordos, mas eu quero dizer a vocês que vocês assim como nós  meninas gordas, vocês também são Lindos e devem se valorizar e se amarem a cada dia. <3

Vocês já tinham lido? Espero que gostem e possam lembrar sempre o quanto somos LINDAS e PERFEITAS, mesmo que o mundo queira nos fazer acreditar que não somos. *___*

07.08.13

Moda que Usamos: Calça clara? Sim senhora <3

Em nosso dia a dia percebemos o quando a moda plus size está evoluindo, mas uma coisa parece que nunca vai mudar é a eterna mania das pessoas de julgarem o que podemos ou não usar.

Desde que comecei essa coluna com looks no blog,  eu sempre insisti que devemos usar tudo que acharmos que fica bem em nós e não ligarmos para as opiniões do povo da moda.  Mas preciso confessar que embora eu seja super resolvida com meus muitos quilos a mais, algumas regras de moda ainda me travam e eu me vejo sem saber se posso mesmo usar aquilo ou se estou exagerando.

É o caso da peça que vou mostrar a vocês o look de hoje, ganhei da Lunender uma calça clara e estampada no tamanho 54, serviu bem como de costume, mas bateu medinho de usar e ficar estranha. Como eu tenho uma irmã que é sócia das minhas roupas, ela resolveu usar ela antes mesmo de mim e eu pude perceber que eu estava com neuras sem sentido.

Aproveitamos a visita da Kelly Hato na minha cidade, para fotografarmos esse look que embora a primeira vista eu tenha tido receio de usar, logo eu vi o quanto eu estava sendo boba em desvalorizar a peça só por ser clara demais.

Sou suspeita para falar qualquer coisa sobre essa blusa, sem dúvida foi a peça que mais amei da coleção da Lunender do Inverno, gostei muito das duas peças juntas. E vocês gostaram?

 

1068829_10151763745713979_1057906413_n 1078177_10151763745738979_1762846442_n

 

Neste look foi usado:

Blusa com franjas: Lunender/ Calça: Lunender

Sapato: Esdra/ Pulseira: Sanvi`s/ Colar: Saara-RJ

Foto: Kelly Hato

 

Agora quero saber se vocês costumam usar calça em cores claras? Acham que o efeito “engorda” de uma peça assim consegue desmanchar a produção?

Eu adorei as duas peças juntas, mas ainda não as levei para passear no meu corpitcho, assim que eu usar prometo postar no Instagram para vocês.