Categoria: #LoveYourBody

06.11.15

Transtorno Alimentar e Superação <3

Muita gente talvez não faça idéia, mas o Beleza sem Tamanho é um blog que tem um número considerável de leitoras que estão vivendo ou já viveram algum transtorno alimentar, e não falo só de compulsão alimentar (as pessoas tendem a acreditar que todo gordo é compulsivo) , falo aqui também de Anorexia e Bulimia.

Embora exista memes toscos que relacionam ser gordo como ter vencido a anorexia, na realidade as coisas não funcionam desta forma, tem mulheres gordas sim vivendo transtornos alimentares e se punindo por comer. Mas além dessas gordas com TA, tem também as magras que sofrem com a doença e não conseguem amar seus corpos e acompanham o blog, embora o grande medo delas seja engordar (devido a doença) muitas conseguem aqui no blog inspiração para continuar lutando contra a doença. E eu tenho maior orgulho delas a cada superação. <3

Pensando nessas lindas e em todas as mulheres que ainda não lidam bem com a própria imagem, hoje eu quero mostrar para vocês a Megan Jayne.
Transtorno Alimentar e Superação

Megan tem 22 anos, ela começou a ter problemas com a imagem ainda criança e na adolescência ela vivenciou a Anorexia e chegou a pesar 28kgs, com risco de vida foi internada e começou tratamentos para sua recuperação.
Hoje recuperada ela tem orgulho do seu corpo e mostra isso em muitas fotos no seu Instagram, através das fotos ela incentiva mulheres a aceitarem seus corpos como eles são. *-*

“Se uma foto que mostra minhas gordurinhas ou celulites de forma escancarada pode mostrar a alguém que se seu corpo vale ser amado, então eu vou postar as fotos mais fantásticas da minha barriga, dos meus coxões e celulite.

Quando eu me olho no espelho, eu vejo barriguinha, celulite e um milhão de falhas que antes me levaram para uma espiral de ódio. Mas ao mesmo tempo, vejo felicidade. Vejo beleza e vejo que vale a pena, e isso vai muito além do físico.

Conforme eu postava mais sobre o meu distúrbio alimentar e mostrava meu corpo, minha página crescia e eu recebia mensagens dizendo que eu estava ajudando e até salvando suas vidas”, afirma Megan ao jornal Daily Mail.”

One day you’ll see. The moments of your life that you’ve missed. The memories that were made to light up your mind with smiles in vivid colour. But instead, they are dull. They were dulled. By a mind that could never truly live in that moment, too consumed by the ever present mirror forcing your reflection to the forefront of your thoughts. You cannot truly live with that mirror, looming over all that you do, and all that you are. One day you’ll see, that it was inside you all along – the power to smash the mirror into pieces too small to ever pierce through your self esteem again. One day you’ll see, that you could have lived unburdened by lies about your worth residing in your reflection. That you could have laughed with your whole body shaking. That you could have devoured every bite without shame. That you could have lived every moment, for yourself. One day, you will see. And I can’t think of a better day than the one you’re living right now. ?????

Uma foto publicada por Megan ? (@bodyposipanda) em

The UNSTOPPABLE force of body positivity @franhayden has done something amazing! The #iamhereproject is giving us a space to stand up, define ourselves and be proud of who we are! To some people, ‘free’ might not sound like a personal attribute, but for me it is. Because I have fought to get to this state of mind – to be free. Free from my eating disorder, free from self hatred, free from toxic diet culture and the body image demons that tried to steal my life from me. Now, I am free enough to see my body with love, and without comparison to the unattainable ‘ideals’ that none of us asked to be put up against. I am free enough to wear what I want, eat what I want, and be who I want without the constant fear that my appearance makes me undeserving of those things. I am free enough to have the confidence to try to show you all every day, that you are so wonderful, and so worthy, just as you are. I would love if you all would join us in this fantastic project, and show the world that we are ALL here, in all of our unique glory. ????? Uma foto publicada por Megan ? (@bodyposipanda) em

I gave my old scales a well deserved makeover. They’ve been lying to me for years about my health, my beauty and my worth as a person, time to set the record straight. HEALTH. Did you know that the obesity crisis is entirely fabricated by greedy diet companies paying for sensationalist headlines? Did you know that countless studies have shown fitness to be the key to good health, regardless of weight? And countless others that the highest rates of longevity fall within the ‘overweight’ BMI category? Did you know that BMI was invented by a mathematician and never intended as an indicator of health? Or furthermore that the cut off points for the categories were arbitrarily decided upon by the International Obesity Task Force (advising the World Health Organization), whose two biggest funders at the time were pharmaceutical companies selling the only diet pills on the market? Actually not so arbitrary. Actually entirely crafted to make money from people with overweight or obese BMIs tricked into believing their BMIs reflected negatively on their health. Interesting, huh? BEAUTY. We are programmed, brainwashed into believing in only one type of beauty. And that if we try hard enough we can achieve it. This lie takes our money, time, and self esteem and leaves us in a perpetual state of self hatred. It blinds us to the diverse beauty around us and within ourselves. Recognise the lie, take the blindfold off. WORTH. We are all worth so much more than what our bodies look like. We are not ornaments made to look nice for other people. We are multi-dimensional, magical beings, our worth cannot be reduced to any number. We are more than that. I highly recommend all of you giving your scales a makeover, you won’t miss them. I promise, they will never tell you anything valuable about yourself. You are far too fabulous for them. ????? Uma foto publicada por Megan ? (@bodyposipanda) em

 

Ela é linda e empoderada, usa sua vivência com o transtorno alimentar, sem temer as retaliações (ela recebe muitas críticas) para ajudar outras mulheres a se amarem.

Amar o próprio corpo e se orgulhar dele, não é uma questão de peso e sim de fazer as pazes com o seu espelho.

É importante que nós mulheres possamos nos fortalecer a cada dia mais e mais, só isso as crianças de hoje em dia poderão ter uma adolescência mais livre de padrões estéticos.
Para quem ainda se encontra na luta com um TA, eu desejo muita força e que nunca desistam de vocês.

01.04.15

Quando a gente se vê bonita, o mundo fica mais bonito!

Faz uns dias que me perguntaram quando foi que eu me descobri bonita, fiquei pensando nisto e resolvi trazer essa discussão para o blog e também aproveitar para batermos um papo sobre autoestima.

ser bonita é uma escolha

Vamos por partes: sou a quarta filha (de seis) eu sempre fui a mais obesa, existe uma tendência grande na família, mas eu sempre fui a maior. Assim como muitas de vocês eu também enfrentei piadinhas, preconceitos e restrições alimentares em casa, tudo com a desculpa que era para o “meu bem”. Aos 12 anos em minha segunda dieta no médico eu já tinha 98,800 e desde então eu nunca mais vi os tais dois dígitos na balança e nem anseio por eles.

Embora o mundo ao meu redor me falasse o tempo todo para emagrecer, em casa, na escola e até na igreja… Eu mesmo sabendo que eu era diferente da maioria, eu não conseguia odiar minha imagem, quando eu tinha uns 14/15 anos eu comecei a sair à noite e no meio boêmio alguns carinhas começaram a me chamar de linda, estranho, pois eles diziam o contrário de todo mundo. Confesso que os dois primeiros eu duvidei, mas depois pensei melhor e aprendi aceitar os elogios, e elogiar o bom gosto deles hahaha.

Já nessa época eu era leitora assídua da revista hoje extinta Carícia e para minha surpresa, a capa de uma edição tinha uma gordinha linda com dois carinhas, na matéria dizia que era possível ser feliz e amada sendo gordinha, foi sem dúvida um marco para mim, foi a primeira vez que eu tive contato com uma matéria que dizia o que eu já sentia e nunca tinha ninguém concordado comigo até então.

Não consigo mensurar uma data exata, ou um momento certeiro que comecei a me achar bonita, mas tenho certeza que ler aquela revista fez grande diferença na minha autoestima de adolescente, com ela eu tinha uma comprovação em mãos que eu não estava sozinha, que existia no mundo mais meninas gordinhas felizes e bonitas. Se eu precisar definir o marco do meu descobrimento de que a Beleza é Sem Tamanho, seria este quando eu tive pela primeira vez a sensação de representatividade, acho que antes desse momento por mais que eu gostasse do que o meu espelho me mostrava, eu não tinha forças nem argumentos para dizer isso a ninguém. Mas mesmo assim, foram muitas dietas ainda depois disso, mas eu não tenho em mente um momento que eu tenha odiado meu corpo, odiava o fato de nada me servir e ter que usar roupas feitas por costureira que não combinavam com a minha idade.

Muitas vezes eu credito o meu amor próprio também a minha rebeldia hahaha, todos diziam que eu não podia isso ou aquilo, que eu era feia e deformada. E eu me sentia desafiada a mostrar que eu podia sim, na verdade até hoje, pois incrivelmente eu ainda esbarro em preconceitos e em julgamentos. Só que quando a gente se ama e se sente maravilhosa o mundo também fica mais bonito com a gente, e quando aparece alguém inconveniente uma resposta cheia de autoestima o espanta.
Eu poderia ter escolhido acreditar no que o mundo ao meu redor me via, mas ser bonita é uma escolha que qualquer uma de nós deve ter e não me arrependo disso. <3

Hoje sei que meu blog, já foi para muita gente o que aquela revista foi para mim, e isso é sem dúvida a coisa mais gratificante da minha vida.

Mas quero convidar todas vocês para este mesmo exercício de memória que eu fiz, vocês sabem dizer quando foi que se descobriram bonitas? 

10.03.15

“A beleza está nos olhos de quem vê”

 

espelhoerosaIsso é uma verdade, mas infelizmente não podemos esquecer que muitas vezes nossa cabeça acaba sendo programada para só aceitar um tipo de beleza. De tanto ver mulheres magras, altas, de pele branca, levemente bronzeada, olhos claros, cabelos lisos e loiros, feições finas, seios grandes, quadris estreitos e barriga reta, sempre sendo tidas como as mais belas, as mocinhas nos filmes, as princesas dos desenhos, as bonecas que compramos (na minha infância lembro de não existir boneca negra, minha mãe penou para achar uma pois minha irmã insistia que queria negra) em toda capa de revista estava lá, uma modelo padronizada, apresentadora infantil? Padronizada!
Como crescer aceitando que o que foge aquele padrão é belo?
O mundo parece querer nos provar que isso é o certo, e que se algo parece ser bonito e foge aquele padrão, é chamado de beleza exótica, não pode ser simplesmente belo.
Quantas gordinhas não ouvem: – Como você tem um rosto bonito! (como se a frase ficasse no ar, sem o complemento: – pena que está neste corpo)
A sociedade não permite que sejamos bonitas por inteiro, mas sabem qual o maior problema? Muitas de nós não nos permitimos também.
A verdade é que a maioria dos seres humanos, de fato, jamais se enquadraram em um padrão tão definido, tão bem delimitado de beleza. Não falo isso pelas gordinhas, falo pelo todo. Pois é inatingível, não é viável e muito menos saudável.
Me chateia muito quando vejo que hoje todas as mulheres usam cabelo liso, não tem espaço para diversidade, é a escravidão da chapinha.
Me pergunto o motivo disso, e infelizmente só existe uma resposta: fomos ensinados a sermos infelizes.
Aprendemos que temos que ser feliz acima de tudo! E logo começa, para ser feliz você precisa: ser bonita, ganhar dinheiro, espelhocasar, ser uma profissional de sucesso, ter filhos, ser boa esposa, ser boa mãe, continuar bonita, ter roupas que estão na moda, ter casa própria, ter faculdade, ter pós graduação, falar outras línguas, conhecer outros países ….
De fato, se repararmos tudo leva ao consumo, e um consumo desenfreado, pois sempre precisamos de mais alguma coisa, nunca somos bons o bastante.
O grande lance e nos depararmos com nosso espelho e refletirmos, não apenas nossa aparência, mas todos os velhos conceitos, todas essas coisas que foram enfurnadas em nossa cabeça sem que tenhamos nem se quer tempo de decidir se queríamos ter escutado, refletir os valores que recebemos, as coisas que a mídia nos passou, nossos ideais infantis e concluirmos que crescemos.
Sim, nós crescemos e estamos livres para redesenhar da nossa maneira, passando uma borracha em tudo, o que para você de fato importa? O que de fato é bonito? O que você tem de bonito? O que você acha que precisa melhorar? O que de fato te faz sorrir? O que de fato te faz feliz?
E assim teremos pessoas lindas, pessoas autenticas, que se amam e que resistem as duras criticas do mundo.


Cleide é uma terapeuta louca por animais, que adora se maquiar, embora tenha preguiça

É uma hippie chique que ama tanto o mato como a moda.

Noiva nos preparativos do “grande dia”.

22.02.15

Ser chamada de Gorda te ofende?

Você se ofende quando te chamam de gordinha? Acha que gordo é um termo pejorativo? Por quê isso te ofende? Sei que tudo depende da entonação e contexto, mas, eu não acho que deveria ser considerado pejorativo. Esta palavrinha não nos define, não determina nosso valor. Chega de dar poder aos outros para te abater, oprimir, se liberte do peso dessa palavra tão pequena! Seu tamanho não te desmerece em nada! Você é muito mais que dígitos em uma balança, seu peso é apenas uma das suas características físicas, como cor da pele, cabelo, etc…

A palavra gordo se refere ao seu tamanho e não há nada de errado em ser maior fisicamente que outras pessoas. Não se deixe mais ferir ou magoar por conta desta palavra tão pequena!

 

 

Beijos Queen Size,

28.01.15

Gordinhas que odeiam gordinhas

Ser alvo de preconceito é sempre desagradável, agora quando quem te discrimina é igual a você, dói mais. Ver gordinhas odiando e atacando gordas me deixa bem triste e intrigada. Eu não entendo porque alguém que sofre com o preconceito vai atacar outra pessoa que também sofre o mesmo preconceito. Não é porque você não se aceita que nenhuma gordinha se aceite de verdade. Se você não se aceita e não quer ajuda, por favor, não ataque outras gordas ou obesas ou pessoa de qualquer porte. Não despeje sobre os outros suas questões mal resolvidas.

Agora se você é gordinha e não se aceita ainda, mas quer ajuda, conte conosco e não desmereça outras gordinhas que já estão bem resolvidas consigo mesmas. desconstruir o preconceito, construir o amor próprio e resgatar a autoestima requer esforço e não acontece do dia pra noite.

Definitivamente gordas gordofóbicas não me descem pois não ajudam ninguém espalhando tanto ódio!

Beijos Queen Size,