Categoria: Gorda

07.04.17

Guest Post: Impacto das “mulheres comuns” na moda plus size

Tenho observado no decorrer dos últimos meses uma fator interessante, que vou definir por: Foto de Modelo Plus Size X Foto de Mulher Comuns (Gordas) – Ambas na divulgação de roupas plus size.

Aqui no Rio de Janeiro o segmento plus size necessita de uma reformulação quanto ao que entendem por “modelo”. Ao realizar a divulgação para o #HashTagBazar percebi uma grande mudança da relação da consumidora em relação à mercadoria oferecida.

Os editoriais e fotos com modelos profissionais são lindas, bem trabalhadas na edição (photoshop/lightroom) e propõe uma divulgação que segue o “padrão” de mercado. Mas a receptividade das consumidoras em relação a estes fotos e editoriais é reduzida, por não haver identificação. Pode parecer mentira, mas percebo isso a cada dia.

O padrão profissional/comercial de modelos plus size agradam aos produtores de moda, mas não conseguem vender o produto que elas querem apresentar no varejo.

Algumas consumidoras tem sua atenção desviada da peça de roupa anunciada, para a pessoa da modelo. Elas ao verem o editorial prendem sua atenção subjetivamente à vontade de estarem no lugar da modelo e não na roupa que está sendo anunciada. Uma foto de uma modelo profissional anunciada por alguma marca gera um efeito emocional positivo, em que muitas mulheres gordas desejarem estar ali. Pois ser modelo seria como uma representação de autoestima, beleza, fama, ser desejada, dinheiro, sucesso e etc. MAS isso ocorre com um percentual pequeno de mulheres.

Mas na maioria das vezes ocorre a não-identificação da consumidora com o conjunto roupa+modelo. Sabendo que o segmento plus size possui sim padrões estéticos corporais, a maioria das consumidoras têm uma reação de indiferença e de dúvida em relação a modelo que está apresentando uma roupa a ser comercializada. A primeira pergunta que vem a mente é: “SERÁ QUE TEM MEU TAMANHO?” ou “SERÁ QUE A ROUPA FICARÁ BEM NO MEU CORPO?”. A maioria das mulheres gordas não se sentem representadas pelas modelos plus sizes e vibram e consomem ao ver mulheres comuns nas imagens.

Como percebi isso? Ao divulgar algumas fotos de clientes do #HashTagBazar usando alguma roupa comprada no evento tive inúmeras surpresas. As fotos tiveram um alcance muito maior que as das modelos profissionais. Proporcionaram para a marca uma divulgação 2X a 3X maior.

mulheres comuns gordas

Fotos com mulheres comuns que tiveram uma ótima repercussão nas páginas de divulgação do HashTagBazar.

A interatividade das consumidoras para com a foto perguntando valor é muito maior também. Ao perguntar as proprietárias da marca constatei que houve uma venda muito maior a partir da foto da cliente, do que da modelo. Quando uma foto de uma mulher gorda, em que ela se apresenta como ela é (barriguda, com papada, com braço grande, com tudo aquilo que os editoriais de moda não mostram) causam a identificação: consumidora – roupa – pessoa. E o resultado é perceptível no volume de vendas.
Disseram-me uma vez que fotos de “gordas tronchas” não servem para catálogos. Disseram-me que era necessário selecionar castings para mostrar a beleza da mulher gorda e para isso era necessário estabelecer padrões de modelos plus size.

E hoje percebo que não é bem assim. Quero a pessoa que uma vez me disse que “gorda troncha” não serve para modelar, me explique como o percentual de venda e de visibilidade comercial que ela é no mínimo 2X maior que a da modelo padrãozinho? Como explicar que a foto de uma modelo e uma consumidora, simultaneamente, postadas com a mesma peça de roupa em uma página de evento consegue ter diferença de alcance muito maior. A foto da cliente com a roupa tem em média 70% maior de curtidas que a da modelo? Como justificar que a foto da cliente possui numero maior de comentários perguntando sobre o valor e como adquirir a peça que a da modelo?
O mercado mudou. E se manter ligada a padrões pode significar prejuízos ou vendas menores.

Franz Wasielewski

Fotógrafo e assistente de produção do #HashTagBazar

04.04.17

Empreendedoras Gordas

Nós, que somos gordas (os), sabemos claramente que, infelizmente, o mercado de trabalho ainda é super preconceituoso com os nossos corpos, muitas vezes, a saída para se manter trabalhando sendo gorda ou gordo é empreender.

Mas empreender não é só sucesso e nem é só para ricos, é um caminho delicado e cheio de obstáculos, que quem escolhe, precisa ter muito foco para as coisas acontecerem. Com tanta dificuldade, entendo que as Empreendedoras Gordas que brilham com seu trabalho precisam ser muito mais valorizadas e reconhecidas.

Por saber que quando se é mulher e gorda as coisas são mais difíceis, é que vou iniciar aqui no blog uma nova tag onde vou “entrevistar” várias mulheres gordas que estão gerindo seus empreendimentos.
Com os posts de cada uma delas (penso em fazer 3 por mês), tenho como objetivo que todos que acompanham o blog, possam conhecer histórias de mulheres inspiradoras e um pouquinho dos empreendimentos delas. Uma mulher empoderada é capaz de tudo que ela quiser, e quero que todas nós possamos nos inspirar em outras mulheres tão parecidas com a gente.

Acredito e torço para que a história dessas mulheres inspirem muitas outras… Eu não acho que todo mundo necessite EMPREENDER para ter sucesso, mas não há como negar que essa possa ser uma boa opção. Também não dá para acharmos que é possível abrirmos uma empresa e ficarmos logo rycas, mas é possível sim, com pouco dinheiro, iniciar um negócio e em pouco tempo (e muito esforço) se estabilizar no mercado.

Eu já tenho em mente alguns nomes que convidarei para participar destes posts, mas quero mais dicas aqui nos comentários de mulheres gordas que estão empreendendo em qualquer que seja a área.

Vamos juntas valorizar essas mulheres e ajudar outras a se motivarem? Conto com vocês. *_*

 

 

02.04.17

Meu Vestido de Festa Plus Size

Nos últimos meses eu estava focada em busca do meu vestido de festa plus size, queria algo lindo e que não me deixasse endividada por um ano hahaha,  foi muitoooo mais difícil do que parecia e hoje venho contar e mostrar para vocês essa minha “luta”.

O dia da formatura estava se aproximando e nada de  eu definir o vestido, por fim eu consegui escolher o modelo, parti então para a segunda parte da missão. Era o momento de achar aquele vestido que eu queria com o melhor preço, depois de clicar em muitos sites e fazer contatos com algumas lojas de festa (a grande maioria atende pro whtasapp ou direct e não possuem sites).

Até que entrei em uma página no Facebook com um nome que era o que eu buscava Vestidos Plus Size, vi que eles tinham peças no estilo que eu queria e fui sondar se eles tinham o modelo exato e na numeração que eu precisava. Para a minha felicidade eles não só tinham o que eu buscava, mas ainda tinha o menor preço que eu encontrei (650,00 com frete grátis) na mesma hora eu já decidi que era ali que eu compraria o meu vestido.

E o meu escolhido foi este. <3

Quando relatei a minha busca e mencionei que contaria aqui no blog sobre o meu vestido, eu ganhei um descontinho que foi super bem vindo e me deixou ainda mais feliz hahaha, mas agora chega de papo, venham ver com o vestido ficou em mim e o quanto ele é maravilhoso. *_*

Imagens: William Rocha

Eu achei o vestido perfeito  e com um custo benefício maravilhoso, para quem busca moda festa plus size eu super indico a Roxy Moda Festa para compras online, vocês podem buscar mais informações nos links abaixo:

Roxy Moda Festa – Instagram (aqui)  e Facebook (aqui

Vestidos Plus Size – página da Roxy focada nos modelos plus size (aqui)

WhatsApp:  31 99871-8706  – Telefone: 31 3327-3951

E para quem é de BH a empresa trabalha também com aluguel de vestidos e acessórios de festa, o que torna tudo ainda melhor, por ter um custo ainda mais baixo.

Algo muito importante que preciso citar é que hoje eles possuem numeração até 56, mas a Roxane (proprietária) está focada em ampliar a grade e em breve vai atender tamanhos maiores.

Eu já disse que amei, mas e vocês o que acharam do meu vestido? Contem tudo aqui nos comentários. *_*

01.04.17

Super Descontos na FAT

A FAT – For All Types está com uma promoção tão maravilhosa que parece até pegadinha do dia da mentira hahaha, a Bee Reis proprietária da marca decidiu queimar todo seu estoque com 50% de desconto. #TodasPiram.

A marca disponibiliza soutiens/biquínis plus size com o sistema inteligente de tamanhos, isso significa que ninguém precisa ter bojo sobrando ou faltando e nem costas que não são o nosso tamanho, na For All Types é possível comprar a peça no seu tamanho exato nas duas medidas. Dessa forma a gente garante muito mais conforto e uma sustentação perfeita.

 

A maioria das peças em promoção são biquínis, mas é importante lembrar que os biquínis da marca são a mesma modelagem dos soutiens (fechos e reguladores) o que permite que se use com conforto como soutien ou como biquíni.

No site as peças seguem com os preços originais, mas é só colocar no carrinho e conferir o descontão de 50% em todos os itens. Tem muita coisa linda e útil por um preço super baixo na FAT.

Acessem agora mesmo https://www.foralltypes.com.br, e aproveitem os descontos para garantir peças que vestem no seu tamanho exato. <3

 


*Post Patrocinado

30.03.17

Efeito aveludado: sugestões para o dia e para a noite

Sinônimo de elegância, as peças com efeito aveludado voltaram com tudo neste Outono/Inverno 2017. E não estamos falando necessariamente do sofisticado veludo! Elas podem aparecer também nas suas variações, como o plush. Com uma textura macia e fios mais grossos que os tradicionais, esta trend irá esquentar os looks e deixá-los repletos de atitude.

Já é possível perceber que o veludo (e suas variáveis) vieram com força total para a moda plus size também, mas  aproveito um release da Posthaus para mostrar mais sobre a tendência.

A equipe de estilo Posthaus conta que nesta temporada as peças aveludadas não serão mais associadas apenas aos looks noturnos e irão invadir as ruas em qualquer proposta de produção.

Embora o efeito aveludado tenha uma inclinação a “roubar a cena”, a dica para variar o look é prestar atenção às composições. Para facilitar quem quer aderir a esta tendência, a equipe Posthaus selecionou três peças-chave:

Vestido Slip Dress (aqui)

Slip Dress: peça que promete ser ícone deste Inverno 2017, o “vestido camisola” surge também na versão com efeito aveludado. Com alças finas, modelagem soltinha e detalhes delicados, como a renda. Se utilizado sozinho, combinado com sandálias de salto e acessórios poderosos, pode ganhar um status ousado. Mas se a ideia é variar, o que você acha de levar esta peça para o cotidiano? Vale apostar num estilo mais confortável, com as flatforms ou até mesmo, mesclando com a tendência da sobreposição do vestido + t-shirt.

 Sobretudo preto (aqui) – Sobretudo caramelo (aqui)

Sobretudo: Tão tradicional das estações mais frias do ano, este modelo promete ser trend ao reaparecer em versões de veludo. Com corte alongado e marcado na cintura, é ideal para compor um look alinhado, mesmo naqueles dias mais frios, quando tudo que queremos é ficar debaixo das cobertas. Se quiser dar um toque ainda mais fashionista, experimente misturar texturas e combinar a peça com uma calça com efeito molhado ou um vestido animal print. Esse mix é sucesso garantido!

Saia preta (aqui) – Saia caramelo (aqui)

Saias: ultra femininas, elas prometem ser destaque no Inverno 2017. Os modelos que irão aparecer com o efeito aveludado serão o rodado ou o trompete, aquele mais ajustado no quadril e que abre na barra. Por aqui, deixamos a sugestão de peças em plush. Aproveitamos este post para mostrar também opções para o dia a dia, combinando uma t-shirt levinha e tênis confortável. Afinal, o aveludado não precisa ser adotado só nos eventos noturnos ou somado a uma meia calça, não é?

Eu já estou namorando várias peças com efeito aveludado, o plush em especial eu sempre usei e amei para o dia a dia adorei ver ele em looks mais elaborados.

E vocês curtem peças com este efeito? Já garantiram algum item das novas coleções? Contem-me tudo aqui nos comentários.

 


* Este post não é publieditorial, mas recebo uma comissão sobre o valor das vendas realizadas através dele.