Categoria: Gastroplastia

29.09.10

Gastroplastia: Não comprem essa Ilusão!

Quem me conhece sabe bem meu posicionamento quanto a Gastroplastia, acredito que existe sim um número imenso de pessoas que precisem recorrer a cirurgia para permanecer vivo e ter uma maior qualidade de vida, porém o que presencio são pessoas saudáveis buscando se enquadrar no estereótipo exigido por nossa sociedade.

Essa matéria aqui saiu já faz uns dias, mas me faltou tempo para comentar, após complicação, britânico que perdeu 75 kg diz preferir obesidade leia mais aqui.

Igual a este caso existem vários de pessoas que nem sobreviveram para contar que preferiam ser obesos.

A mídia e os médicos que mais parecem comerciantes, vendem o sonho de ser magro  aos obesos diariamente, e muitas vezes não mencionam todos os riscos, nem preparam os futuros magros para sua nova vida.

E ai chegam os problemas, as pessoas compram a ilusão, só que  nem sempre ocorre tudo bem ou elas não estão dispostas/preparadas para se adaptar a nova vida.
A Cirurgia deveria ser vista como uma alternativa a morte,assim como acontece com cirurgias de apêndice por exemplo, e não como a solução para se vestir 38.

Infelizmente são raros os casos de complicação que chegam na mídia, com isso fica a falsa idéia que é só operar e viver feliz para sempre.

Sei que alguns leitores são operados e outros pretendem se operar, e o meu post é um alerta para esses que estão caminhando para a cirurgia pesquisem muitoooo,  tenha consciência dos riscos para não arrependerem amanhã.

Se você é GORDO e não se sente bem dentro de seu corpo, lembre-se sempre que a Reeducação Alimentar é a melhor alternativa a única 100% segura.

Não compre a ilusão de um corpo magro de forma fácil, ou você também pode acabar insatisfeito como esse britânico e  tantos outros que já estiveram na mídia.

05.07.10

Cirurgia? Eu? Não, sim, jamais, talvez…

Tópico em alta nos dias atuais, esse tema leva várias pessoas a se questionar se faria ou não a tal, estranha e falada gastroplastia.

Você conhece alguém que fez?

A maioria responderá que sim, que a pessoa esta magra e que “ficou bem legal”.

Poxa, bacana. Pergunta seguinte: “Ela esta feliz?”

Resposta: “Acho que sim”.

Sim, você que vê de fora pode achar qualquer coisa, pode entender da maneira que bem quiser e tirar todas as conclusões possíveis, talvez você já tenha escutado muitas histórias terríveis sobre esse tipo de cirurgia, pessoas mortas, pessoas desgostosas com a vida, etc, ou talvez não, talvez o que você encontre realmente sejam pessoas que mudaram de vida após a cirurgia. Sim, mudaram de vida.

A questão principal é: se você é feliz, está feliz e está em busca da tal felicidade.

Sim, estamos em busca da felicidade todo o sempre, e isso faz parte, mas a que ponto a felicidade está estereotipada em um corpo, em uma moda ou no que os outros nos dizem?

Os grandes outros denominam como somos e como devemos ser. Quando você se olha no espelho pela primeira vez (quando bebê), quem diz que aquela pessoa é você, é sua mãe, seu pai ou qualquer figura importante na sua vida e a partir desse reflexo você passa a refletir de como você é com os olhos de quem te vê.

E onde fica o pequeno outro? Onde fica os olhos que você vê? Onde fica a figura que você realmente vê? Será que você esta enxergando o mesmo que os outros?

Sim, a cirurgia bariátrica ou gastroplastia, enfim qualquer técnica para emagrecimento, parte desse princípio: Como nos vemos. Se você for a favor ou contra não importa, o que importa é a saúde. Sim saúde em primeiro lugar, são o que todos dizem.

Perguntas importantes antes de fazer a cirurgia ou não: você tem problemas de saúde? Você tem dores na coluna, nas pernas, “obesidade mórbida” etc. E a saúde mental, alguém lembrou disso?

“Claro que sim, no fundinho é por isso que eu vou fazer a cirurgia. É porque quero que os outros gostem de mim”, diz o famoso ID. “Nem que eu precise engordar mais um pouquinho para fazer, mas eu vou fazer.”

Pura confiança. Que confiança é essa que necessita de desconfiança? Sim, desconfiança em si mesmo, desconfiança de que é ou não é capaz, se é capaz de engordar mais um pouquinho porque não é capaz de emagrecer um pouquinho.

“Ah, é fácil falar, só quem sente na pele é quem sabe”. Sim, isso é fato, ninguém vai sentir a dor que o outro sente, nem mesmo em uma situação parecida.

Passando pelo psicólogo, várias questões vão surgir, como a relação que você tem com a comida, se você apresenta algum distúrbio alimentar, etc, etc, etc.

Sim, se esse for seu caso, não irá adiantar. A famosa compulsão alimentar, é um mecanismo de defesa como outro qualquer. E sim, não adianta fazer cirurgia nesses casos, pois ou a compulsão vai piorar seu quadro para uma enfermidade maior ou você irá transferir essa compulsão por outra. É um quadro psicopatológico e precisa sim de tratamento psicológico.

Mas se o caso é para a cirurgia, ótimo, vai fazer consciente de todos os processos e isso não vai significar a sua felicidade. Pois a sua felicidade não está somente no corpo que você tem e sim no que você é, sua essência, a magnitude intra e interpessoal.
O desejo de desejar sempre, faz com que estejamos nessa eterna busca, busca pela implacavél, destemida e temida felicidade. Felicidade que não chega nunca? Talvez sim, talvez não, jamais ou simplesmente talvez.

Você quer ser feliz? Como? A que custo? Responda essas perguntas sozinho, sem interferência de nada e chegará a um pensamento seu puro e simples.

Texto de Renata Menezes
15.06.10

Alerta: Cirurgia que reduz estômago(Gastroplastia) é ligada a falhas neurológicas

A cirurgia que reduz o volume do estômago pode levar a distúrbios neurológicos semelhantes aos encontrados em pessoas desnutridas.
Em 2009, 30 mil cirurgias bariátricas foram feitas no país. Em três anos, esse número aumentou 10%.
Segundo um estudo do departamento de neurologia da Universidade de Ohio, até 16% das pessoas que fazem a cirurgia têm alguma complicação neurológica.
A principal causa é a falha na absorção de nutrientes essenciais ao funcionamento dos neurônios. A falta pode causar de incômodos reversíveis a lesões permanentes.
A maioria dessas complicações não é grave, diz o neurologista Eduardo Mutarelli, professor da Faculdade de Medicina da USP. “Podem ocorrer falta de sensibilidade, formigamentos, dor no pé. Demência e amnésia são os quadros graves e raros.”
Algumas doenças aparecem semanas após a operação. É o caso da encefalopatia de Wernicke que, sem tratamento, pode evoluir para a síndrome de Korsakoff.
É uma lesão do encéfalo que causa amnésia e psicose. No início, é reversível com reposição de vitamina B1.
Outros problemas demoram anos para surgir, como degenerações de medula. Os sinais são fraqueza, perda de sensibilidade, mudança de humor. O tratamento é com ácido fólico, cobre e B12.
“Às vezes, é preciso até reverter a cirurgia, porque os problemas superam as vantagens”, afirmou o médico.
O psiquiatra Adriano Segal, direto da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), conta que a maioria dos casos que já tratou só atingiram o sistema nervoso periférico.
Mas uma paciente sua ficou com limitações para andar. “É muito raro. Só tive três casos de síndrome de Korsakoff. Se o risco fosse alto, a cirurgia seria um crime.”
A prevenção é simples: a pessoa operada tem que tomar suplementos e ser acompanhada pelo resto da vida.
A equipe responsável pela cirurgia também precisa orientar o paciente e a família. “Devem saber reconhecer os sinais, porque é preciso diagnosticar e tratar imediatamente”, diz o psiquiatra.
Para o neurologista Eduardo Mutarelli, é preciso esclarecer o público sobre esses riscos. “Há pessoas que até engordam mais para poder se candidatar à cirurgia. Vamos ver cada vez mais essas complicações neurológicas.”
( Folha.com)

Além de tudo que já conhecemos que pode ocorrer com a pessoa gastroplastizada, saiu mais essa matéria constando algo que até então eu não sabia. Não falo muito da Gastroplastia aqui no blog, pois sou bastante contra o procedimento.
Mais essa “novidade” achei importante compartilhar sei que tenho leitoras operadas e fica o alerta para estarem se cuidando na área neurológica também.

Lembrem-se sempre que a Gastroplastia é coisa séria e ficar magro pode não significar a melhor coisa do mundo, o melhor é ser saudável independente do seu manequim.

05.05.10

Desbafo da Leitora – Sua Experiência com a Gastroplastia

Olá meninas do blog Beleza sem Tamanho, venho contar para vocês uma história bem fora do comum, que infelizmente faz parte da experiência com a Gastroplastia de uma leitora.

Tenho 32 anos podem me chamar de Tati e estou desde os 24 com o Gui, foram 3 anos de namoro e mais um de noivado até que nos casamos na certeza de sermos felizes para sempre.
Quando nos conhecemos eu tinha 92 quilos em 1,65 mesmo bem gordinha ele sempre me amou totalmente. Antes de casar fiz uma dieta com remédios e cheguei a pesar 75kg o Gui brincava que eu era mais linda quando mais gordinha, mas ele entendia que para mim era importante ser uma Noiva mais magra.

O tempo foi passando eu fui engordando e logo engravidei após o nascimento do meu filho fiquei com 120 quilos nessa época (15meses atrás) o Gui sempre me dizia que eu era a mulher mais linda do mundo que me amava imensamente com esse corpão e dizia também que ele era um homem de sorte em ter a sua BBW, mesmo com tanto amor e desejo da parte do meu marido eu cedi ao que minhas amigas diziam e acabei me operando realizei minha gastroplastia no dia 03/03/2009 hoje peso 68 quilos e sou totalmente infeliz sentimentalmente, amo demais meu marido e sofro de ver que ele não faz amor comigo com o mesmo desejo de outras épocas. Sei que ele também me ama e que está sofrendo de não sentir mais o Tesão que tinha por mim.

Estou fazendo terapia e me preparando para o pior, infelizmente eu deveria ter ouvido mais o homem da minha vida e não aos outros que falavam do meu peso.
Hoje sou magra, com peles e faz um bom tempo que não sou amada com total desejo.
Venho contar minha historia, pois muitas vezes nos iludimos com uma Vida nova que nos vendem, mas muitas vezes a nossa Vida era bem melhor.