Categoria: Comportamento

29.12.10

O que é ser uma Plus Size?

Recebi um e-mail hoje com a seguinte pergunta:
Como ser uma plus size?


Essa pergunta me fez pensar o que é ser Plus Size?
Para mim ser plus size na verdade não é nada é apenas a referência da moda para definir por alto o tamanho da minha pessoa.
Plus Size na tradução é o básico e muito meu conhecido Tamanho Grande.

Se eu fizer referência Plus Size as Modelos, eu estou fora pois sou gorda demais para o padrão modelo plus size… ueh mais eu não sou tamanho grande? Sim eu sou mais para ser modelo plus size não basta ser fofa tem padrões e eu me encontro fora.
Então é o fim do mundo eu sou mais gorda que o permitido para uma modelo plus size?
Não é o fim do mundo não meu benhê a gente pode se realizar em inúmerasssssss profissões não temos motivo para idealizarmos que só é possível ser Gorda e Feliz, se você for Modelo Plus Size.

A vida é bem mais que isso.
Acho que a mania de querer estar em um padrão é eterno de acordo com o que vejo, mais eu preciso desabafar:
Eu sou Gorda visto roupas de marcas Plus Size mais eu não sou uma Plus Size até porque não acredito que ninguem no mundo seja somente uma PLUS SIZE uma simples definição.
Sou muito mais que uma definição de momento, e posso garantir que ser EU é maravilhoso aconselho a todas vocês a serem Vocês e não focarem em modismos.

E para vocês o que é ser uma Plus Size?

08.12.10

A Tecnologia do Abraço – Desvendada por um Mineiro

Abraço dos meus sobrinhos ontem
melhor ilustração para o texto.

O matuto falava tão calmamente, que parecia medir, analisar e meditar sobre cada palavra que dizia… 

– É… das invenção dos hómi, a que mais tem sintido é o abraço. 
O abraço num tem jeito dum só apruveitá! Tudo quanto é gente, no abraço, participa duma beradinha… 

O abraço é mió qui quarqué raiz ou ramo qui o Raizêro possa cunhecê… 

– Quandu ocê tá danado de sordade, o abraço de arguém ti alivia… 
– Quandu ocê tá danado de reiva, vem um, te abraça e ocê fica até sem graça de continuá cum reiva… 
– Si ocê tá filiz e abraça arguém, esse arguém pega um poquim de sua alegria… 
– Si arguém tá duente, quandu ocê abraça ele, ele começa a miorá… I ocê miora junto tamém… 

Muita gente importante e letrado já tentô dá um jeito de sabê pruquê quié qui o abraço tem tanta tequilonogia… Mas ninguém inda discubriu… 
Mas, iêu sei… Foi um isprito bão de Deus qui mi contô… 
Iêu vinha andano… pensano na vida, quandirrepênti, vi um tamanduá pertim do mato… Vi ele cum esses meus zói qui a terra um dia há de cumê… I ele falô cumigo… 
Falô com a fala quié a merma fala qui ocês cunhece iquiêu tô falano proceis agora. Iêu vô conta proceis uqui foi qui ele mi falô: 
O abraço é bão prucausa do Coração… 
Quandu ocê abraça arguém, fais massage no coração!… I o coração do ôtro é massagiado tamém! Mas num é só isso, não… 
Aqui tá a chave do maior segredo de tudo: 

É qui, quandu abraçamo arguém, nóis fiquemo tudo é com dois coração no peito!… 

(Autor desconhecido)




Recebi por e-mail esse texto em slide e senti necessidade de contar essa descoberta a cada um de vocês 🙂
Um abraço é o que desejo a quem por aqui passa sempre 😀



22.11.10

AUTOESTIMA PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES

 Maria Fernanda produzida por mim para ir à uma festinha com as amiguinhas.

O mundo hoje em dia é cada vez mais exigente, especialmente com relação ás mulheres, que são cobradas a atenderem um padrão que para muitas é quase impossível.
Quando se é adulto, é mais fácil impor respeito ás pessoas que carregadas de preconceito, nos julgam incapazes por não ter o peso ideal.
Mas e as crianças, com sua personalidade em formação, como lidam com a crueldade alheia?
Eu convivo diariamente com esse drama, que para mim, se tornou um tanto pessoal.
Meu pai é obeso desde criança, embora nunca sofreu nenhuma consequência disso. Minha mãe ganhou sobrepeso com o tempo. Ambos tem uma grande preocupação, há muito tempo, com o peso, já que são pais de três filhos gordinhos. Há oito anos, adotaram uma criança, Dennis, que é muito magra.
Dennis morre de medo de engordar. Ás vezes, deixa de comer, prefere ter dor de estômago do que ser gordo. Coincidência ou não, sempre foi elogiado pelos pais por ser magro, todas suas habilidades se resumem ao seu físico.
Márcia, minha irmã mais velha, tem problemas com o peso desde criança, assim como meu pai. Sua filha Maria Fernanda [menina da foto] também é gordinha e já foi vítima de bullying. Inúmeras vezes, Márcia precisou ir na escola reclamar. Mudou sua filha de escola e parece que melhorou um pouco, no entanto, a desvalorização continua em casa.
Maria já foi alvo de várias piadas de Dennis. O pai de Maria a agride verbalmente, como se seu peso fosse a fonte de todos os erros da menina, que fica muito ansiosa e acaba comendo desesperadamente.
Eu entendo que toda família é disfuncional. Infelizmente, vivemos em uma era de pressão e acabamos sem querer desabando nas horas em que deveríamos ser fortes, os alicerces, principalmente para os filhos.
Também sofri essa pressão, e para falar a verdade, tinha apenas um leve sobrepeso. Isso abalou extremamente minha auto-estima a ponto de eu me descuidar totalmente, de achar falso todo elogio [até hoje tenho dificuldade para aceita-los], de acreditar que não tinha nada de bom em mim.
Felizmente através de amigos, livros e blogs como esse, pude me libertar e hoje posso ajudar a Maria Fernanda a se valorizar, embora acredito muito que isso não basta, que ela precisa de ajuda profissional e claro, seus pais não pensam assim.
Tento explicar para o Dennis que as pessoas são muito além de seu peso e cor, [Ele anda ouvindo ofensas dos coleguinhas por ser negro] mas claro, sou apenas uma voz no meio de tantas falando o contrário.
Esse foi o motivo pelo qual escrevi esse texto. Para que os leitores me ajudem a reforçar esse coro, prestem atenção nessas ‘pessoinhas’ em formação e as liderem para o bem delas e de todos com quem convivem.
Acredito que só assim poderemos construir uma sociedade livre de preconceitos.

30.08.10


Oi gurias
Vou contar pra vcs o que aconteceu comigo esta semana.
Faz tempo que isso não acontecia.
Achei que as coisas estavam mudando.

Estava no centro com uma amiga e entrei em uma  loja.
Vi os modelos, gostei e resolvi experimentar.
A  balconista que me atendeu, disse aquela frase que nós já conhecemos:
“Desculpa mas não trabalhamos com o teu TAMANHO.”
Respirei fundo (nós gordinhas temos q estar preparadas para estas saias justas).
“Há sim! Mas esta calça eu acho que é meu numero.Veja.”
“Desculpa. Mas duvido!” Disse ela com toda sua prepotência.

“Pois eu gostaria de experimentar. ” Me fiz de louca .
Eu gostei muito da calça e serviu …detalhe , ficou linda…
Puxei a cortina do provador e fiquei me admirando (adoro isso).
Tudo ia muito bem. 
Até aquela guria abrir a boca e com ar de desdém disse “Mas que erro na confecção.!!!!”
ERRO NA CONFECÇÃO!!!!!!
Erro é quando nós fofinhas não encontramos peças do nosso gosto em uma loja…
Eu sei,  parece desabafo, né?
Mas ainda vamos ter que conviver com estas situações porque o preconceito é uma condição humana.
Eu não precisei mudar o meu jeito de ser…sou assim desde pequena…

Me gosto, pronto…


Claro que se eu estiver colocando minha vida em risco …imediatamente vou procurar ajuda…minha nutricionista…meu médico…tiro tempo não sei da onde pra caminhar.


Mas ter que ouvir isso é demais..
Claro que não levei a calça…reclamei com a gerente.
Que no fim me disse uma coisa mais absurda…
Que a balconista,  era uma ex-gordinha…
Dá pra acreditar…

Gurias nós somos guerreiras pra enfrentar esse mundo distorcido…
Quem diz que ser gordinha é um erro? 
Além disso ainda aceitam prepotência como uma coisa normal?
Bah! Só nós mesmo…


Gurias até a próxima…e espero que não seja uma história desagradável como esta…
Um conjuntinho de Beijinho e Abraço…
Smack!!!!
Gisele Veleda.
02.08.10

A FAT RANT 3

Muitas gordinhas e gordinhas já ficaram chateados com certos comentários irônicos de pessoas sem o mínimo de educação. Neste terceiro vídeo de Joy Nash, ela ensina como driblar isso com classe e um certo atrevimento. No final, ela sempre lembra que temos uma vida pela frente, e devemos vive-la com alegria.
Foi traduzido pela Papu Morgado, do blog Curveliciously Me e legendado por mim. Tenho certeza que vocês vão curtir muito!