fbpx

Categoria: Autoestima

12.06.10

Prioridades.






Oi gurias…
Priorizar o que realmente importa faz a diferença.
Nesse ultimo mês tinha me programado para alguns trabalhos, mas que seriam confirmados mais próximos dos eventos.
Fiquei muito estressada, ou melhor, alimentei um estresse sem necessidade.
Silêncio total…
Nenhuma mensagem! Nenhum celular toca! Nenhuma confirmação! Bah!
As datas dos eventos se aproximando e eu estava ficando aborrecida… estava ligada na tomada.
Fazia tudo correndo para poder estar livre para o que “eu” achava importante…
Estava comendo um boi pela pata. (Afinal qual é o vício de uma gordinha? Comida!)
Bobeira total.
Pára tudo!
Meu marido e meus filhos, com uma paciência invejável, me alertaram que eu tinha passado a última semana mau-humorada…
Claro!! A TPM pegou, mas o maior motivo foram as expectativas “a mais” que eu alimentei em relação a estes eventos .
Então resolvi organizar a bagunça.
Crise de mau humor controlada?…OK!
Deliguei da tomada?…OK!
Alimentação normal?…OK!
Dia-dia normal?…OK!
Ai… após uns dias…”Gisele Total Relax”…abro meu MSN e a seguinte mensagem “ligar para agência fulano de tal urgente”…
Pronto!
Respirei fundo…
E pensei: – Não alimenta a ansiedade. É você que controla ela.
É assim meninas.
Quando você coloca limites, a ansiedade é controlada e as coisas funcionam.
Tudo deu certo, e até acima das expectativas!
Como uma típica mulher que chegou aos 32 anos, eu tenho responsabilidades.
Filhos, Marido, Família, Gato, Profissão e ainda por cima eu resolvi ser Modelo Plus Size.
Maluca né?!

Para não deixar nada de lado eu fiz uma lista de prioridades:
1º. Filhos amados e assistidos, adultos felizes.
2º. Maridão. Além de um super parceiro, ele me protege e me embala quando preciso.
3º. Família. Porque ela é a minha raiz. Foi através dela que aprendi meus valores.
4º. Profissão. Que eu adoro e à duras penas eu estou me aperfeiçoando mais.
5º. Modelo Plus Size. Porque se o resto não funciona, o meu rosto transparece, a minha voz não é a mesma eu fico sem cor, sem graça e assim não existe a verdadeira beleza.

Bom agora chega de trabalho vou namorar… 
Até a próxima gurias…
Um conjuntinho de beijinho e Abraço!
E não esqueçam a palavra de hoje é PRIORIDADE.




Gisele Veleda
Modelo Plus Size

09.06.10

Seu “peso” influencia a sua Felicidade?

Com qual frequência vocês que assim como eu estão fora do padrão da mídia se pesam?
Quando o peso abaixa você comemora?
Quando aumenta você se frustra?
Quando lhe perguntam seu peso você fala o real ou sempre pensa que pode ter emagrecido um pouco e desconta 2 quilinhos?



Nunca entendi bem qual a importância de quanto eu estou pesando, mas mesmo assim me peso sempre, só não entendo bem o porquê de muitas vezes deixarmos os números em uma balança decidir a nossa felicidade.
Eu sou leitora assídua de vários blogs light, frequentemente fico sem entender como alguém pode estar se odiando e se deprimindo, por ter engordado um pouco.
Sei bem que essas emoções não são apenas nas meninas de dietas, que muitas de nós, Gordinhas bem resolvidas vira e mexe nos prendemos a isso também.


Eu particularmente não tenho problemas em dizer meu peso a quem for que seja, se a pessoa for do tipo indiscreta e perguntar, eu gosto bem de responder. [uma parada meio sádica hahaha adoro ver o susto das pessoas e a cara de sem graça em dizer NOSSAAAA tudo isso e sempre vem acompanhado de um NÃO PARECE]
Quem me conhece melhor sabe que pretendo eliminar uns 15 quilos, mas que não me deprimo ou deixo de sair de casa enquanto esse dia não chega. [até porque eu não estou fazendo nada de muito efetivo para alcançar esse “desejo”]
O que realmente me importa é se as minhas calças jeans me servem. [vocês sabem o quanto é difícil a Saga do Jeans hahaha]
A fofa aqui para quem não sabe está quase virando atleta, [exageradaaaa huahua] tenho andado 4km/ 4 vezes por semana no mínimo e a balança as vezes aumenta, para minha sorte não condiciono minha Felicidade à ela, mas estou sempre vigilante, não pretendo engordar.



Tudo isso que eu disse até agora é para dar um simples toque a todas as leitoras:
Não se prendam a números sejam sempre o melhor de vocês independente do que a balança marca para você.
Não se deprimam achando que só é possível ser feliz até o peso X, e que passou disso somente emagrecendo ou você será infeliz, conheço muitas meninas que pensam assim, e meu toque é de coração revejam seus conceitos quanto ao seu próprio peso são apenas números.


Afinal no inverno todo mundo engorda uns quilinhos, e não vale passar o inverno chorando por isso não é mesmo?
03.06.10

Carnudas, Gostosas e Sensuais

A preferência pelas gordinhas, dizem os psicanalistas, reside na sensualidade natural que possuem, ao contrário das magras, cada vez mais masculinas.


Teorias e opiniões que tentam explicar o poder de sedução das gordinhas sobre alguns homens não faltam. Para o psicanalista Paulo Sauberman, todo esse apelo pode ter na origem o fato de essas mulheres serem extremamente sensuais e femininas, ao contrário das magras, que ficam cada vez mais masculinas ao tentarem se adequar aos padrões de beleza mais modernos.


“As gordinhas possuem curvas bem femininas e pele macia. Já as mulheres mais magras estão perdendo a cintura, fazendo musculação e trabalhando o abdômen. Alguns homens podem estar rejeitando esse novo padrão estético feminino, extremamente masculino (e em alguns casos assexuado) e se interessando pelas mulheres que ainda conservam sua feminilidade. Nesse caso, as gordinhas certamente estão em vantagem”, conta.


OBRAS DE ARTE – Sauberman diz ainda que o fato de que, em outros períodos históricos, como a Renascença, o padrão de beleza feminina ter sido baseado nas gordurinhas em excesso mostra que o fascínio por esse tipo de corpo não é novo. “A gordura, durante muitos anos, foi sinônimo de beleza e sensualidade. Grandes obras de arte retratam isso. A preferência de alguns homens de hoje por esse padrão pode mostrar também que nem tudo mudou com o tempo. O corpo magro pode até ser o símbolo atual, mas o importante é que há espaço para todos os gostos”.


Já para a psicanalista Ana Lúcia Melgaço, os homens que procuram as mulheres mais gordas podem estar procurando na verdade uma relação de aconchego e de proteção.
“As mulheres mais gordas inspiram o colo, o conforto e a figura materna. Algumas esculturas populares, inclusive, transformam mulheres mais gordas no encosto de um sofá, o que indica a tendência. Isso não significa, no entanto, que esses homens estejam procurando uma mãe para suas relações, mas a sensação de proteção que as gordinhas proporcionam pode ser um elemento de sedução”, diz.


Segundo Ana, outro possível desejo dos homens baseado nas mulheres mais gordas é o da fartura. “Neste caso, os seios grandes e fartos são o símbolo maior. As gordinhas inspiram abundância e isso pode ser extremamente atraente”.
Homens declaram seu amor pelas cheinhas e ressaltam: a silhueta fina de top model não tem nada de sensual.
A empresária Elizabeth Gomes, de 1,56m de altura e 88kg, ficou curiosa quando uma de suas amigas disse que tinha um irmão que adorava namorar mulheres gordinhas. Como ela também tem gordurinhas em excesso e estava sozinha, resolveu marcar um encontro para conhecê-lo. O resultado não poderia ser melhor: um namoro que já dura quatro meses.

“Foi paixão total à primeira vista. Ele é tudo que eu sonhei. Outro dia, apareceu com uma torta de chocolate para mim. Eu logo recusei, dizendo que estava de regime. Sabe o que ele fez? Disse que tinha trazido a torta porque eu precisava manter o meu corpinho! Agora ele vive me trazendo tortas de presente. Diz que faz isso para eu manter a forma”, conta.


O namorado de Elizabeth não é o único homem a se declarar fã das mulheres gordinhas. Para muitos, a silhueta esquálida das top models está longe de ser atraente. “Sexy mesmo é aquela curvinha, que revela a gula bem feminina. Minha namorada é linda e cheia de vitalidade. Além disso, tem uma simpatia e um sorriso que são raros em pessoas magras, que se torturam em regimes e vivem de mau humor. Não a trocaria por nenhuma modelo escultural”, diz o empresário Roberto Torres dos Santos, que namora a administradora Érica Monteiro de Souza, com 1,60m de altura e 98kg.


Ele tanto insistiu que a namorada desistiu dos regimes que fazia há mais de dez anos: “Sempre digo que gosto dela do jeito que ela é. De que adianta sofrer para emagrecer e perder junto o brilho do sorriso? Ela é linda e não precisa perder peso”.


MAGRAS ESNOBES – Muita gente famosa também vê atrativos pelo excesso de peso. Para o ator Caio Blat, as gordinhas têm uma sedução especial: “Não acho que a aparência é fundamental em um relacionamento amoroso, mas confesso que as meninas gordinhas esbanjam sensualidade e simpatia e isso é importante. Muita garota magra e linda não consegue ser assim”, comenta.
Já a atriz Marilena Cury, orgulhosa em mostrar seu excesso de peso, diz que muitos homens se sentem atraídos por essas mulheres porque as mais magras são, em geral, bem mais esnobes.
“Os homens adoram sexo e as gordinhas sabem disso. É por isso que nós fazemos o maior sucesso. Já as mulheres mais magras gostam de ser mais difíceis”, conta.


PRECONCEITO – Marilena diz que não tem problemas com o excesso de peso e sempre se acha bonita na frente do espelho. “Sou extremamente sexy e muitos homens concordam comigo. Adoro ser gorda, adoro sexo e estou muito bem comigo. Esse é um dos segredos de ser
“Isso é muito positivo. O padrão de beleza atual, de mulheres magras demais, está completamente fora da realidade. Muitos homens estão assumindo que gostam mesmo é de carne e boas curvas e mostrando para as mulheres que não é fundamental seguir a tendência da moda”.

Mas Marilena Cury diz, no entanto, que nem todos os homens conseguiram superar os preconceitos. “Conheço gente que adora mulher gordinha, mas tem vergonha de ir à praia com ela ou de sair na rua. Bom mesmo é mostrar aquela loira de corpo escultural para os amigos. Nos Estados Unidos, por exemplo, esse é um preconceito que praticamente não existe mais”.

Leonardo Valente
Agência Globo

18.05.10

Amar a si mesmo, uma tarefa necessária


Amar, uma doce palavra que todos ansiamos por experimentar.

Mas por mais natural que possa ser esse sentimento, nos parece estranho quando pensamos em amar a nós mesmos.

Podemos passar anos com nossa imagem, corpo, pele, cabelo, e não gostar do que vemos, mas também, não fazemos nada para mudar essa imagem.

Olhar no espelho, observar os detalhes, enxergar os traços de nossa família, nossa história.

Interessante! Somos alguém, mas muitas vezes não temos carinho pelo o que somos. Ao contrário, maltratamos nosso corpo com medicações para perder peso, chás , dietas restritivas, vomitamos, deixamos de comer, tudo em busca de um corpo imaginário, de um ideal.

Vemos as revistas, as propagandas nas lojas, e viajamos no sonho de que se feliz é ser magro. Importante pensarmos, que buscar um peso adequado, onde possamos nos sentir bem, com saúde, é necessário. Mas vejo uma realidade distorcida, onde pessoas buscam um ideal a custa da saúde, do bem estar.

Vamos olhar no espelho, enxergar quem somos, e valorizar nossa vida. Vamos aprender a ter respeito, carinho e enxergar nossos potenciais que estão além do corpo, e sim, dentro de nós.

Psicóloga Luciana Kotaka

Especialista em Obesidade e Transtornos Alimentares / Curitiba-PR