fbpx

Categoria: Aceitação

15.04.15

Gorda e Linda!? – GorDivah No Ar

Quem costuma acompanhar minhas postagens aqui no BST  já deve ter percebido que sou body positive e procuro sempre manter uma relação próxima com meus leitores. Adoro conversar com pessoas diferentes e aprendo muito com minhas leitoras e curtidoras. E devido à essa proximidade eu recebo desabafos, relatos, depoimentos, perguntas das pessoas que costumam me acompanhar. E esse trabalho com o vlog tem por objetivo me aproximar mais ainda de vocês, como se estivéssemos num bate papo ao vivo, numa cafeteria, trocando ideias. Acho que esse contato ainda que virtual, ao mostrar um rosto, uma voz, pode facilitar muitos a refletirem melhor sobre o preconceito que possuem em relação a si mesmos desde que se entendem por gente.

Fico super feliz toda vez que vejo um comentário nas páginas informando que a pessoa começou a pensar diferente depois de ver os vídeos, passou a se enxergar de outro modo. Eu realmente faço esse trabalho por amor e com muito carinho e dedicação porque sei o que é sofrer preconceito, ter depressão, desenvolver transtornos alimentares por causa da cobrança das pessoas à minha volta, dentre outras coisas. Eu não tinha condições financeiras para fazer terapia ou ir ao psicólogo e superar tudo isso na época em que era esmagada por aquele festival de gordofobia e não tinha ninguém que me entendesse ou me ajudasse a enxergar minha beleza. Por isso eu tenho muita empatia por pessoas que enfrentam diariamente o preconceito e nem sempre conseguem segurar a onda. Não penso que nós é que temos a obrigação de sermos fortes, eu penso que nós independente de sermos fortes ou não devemos nos apoiar, ajudar  e não subestimar a luta interna dos outros. Acredito que precisamos ser mais tolerantes, empáticos e nos unir na luta contra o preconceito e não engoli-lo e aceitá-lo como algo inerente a todo ser humano.

Se você não se abate com a gordofobia, ótimo! Mas não pense que todos são ou deveriam ser como você. Não menospreze a batalha interna dos outros, nem todos tem estrutura psicológica para suportar a gordofobia. Não julgue, apoie o movimento contra o preconceito, sendo tolerante com aqueles que infelizmente não o superaram ainda, como você!

 

Beijos Queen Size,

Claudia Rocha GorDivah

08.04.15

Ser Bonita é uma escolha!

Dove mais uma vez lança uma campanha que nos leva a pensar e principalmente nos ensina a nos valorizarmos diariamente.

sintasebonita dove

Se sentir bonita é uma poderosa escolha pessoal que as mulheres devem tomar por si mesmas, diariamente. Através de um singelo, mas revelador filme, gravado em cinco países, Dove lança a campanha Escolha Bonita para alertar mulheres em todo o mundo a reconsiderar as escolhas que fazem sobre a própria beleza e como essas escolhas as fazem sentir.

Eu assisti ao vídeo muitas vezes, mas ainda me emociono com alguns olhares que encontro nele, consegui me ver em algumas situações ali. Eu acredito que ficaria muito na dúvida em qual porta entrar também, mas ao mesmo tempo se eu tivesse com alguém eu tenho certeza que convenceria a pessoa ir junto comigo na porta “Bonita” <3, talvez eu me negasse essa certeza, mas motivaria quem estivesse comigo.

Vivemos em um mundo onde temos o hábito de elogiar os outros, mas raramente reconhecemos a nossa beleza e o nosso valor. E é por isso que a Dove sempre me encantou com sua proposta de valorização mesmo de todas as belezas.

Não existe fórmula exata quando o assunto é beleza, existe é uma variedade grande de pequenas qualidades, mais uma vez eu convido a cada uma de vocês que foquem em admirar sua própria beleza, #SintaSeBonita e convide todas as mulheres do seu convívio a se sentirem também.

Não deixem de conferir também o tumblr da campanha: http://dovechoosebeautiful.tumblr.com/. <3

01.04.15

Quando a gente se vê bonita, o mundo fica mais bonito!

Faz uns dias que me perguntaram quando foi que eu me descobri bonita, fiquei pensando nisto e resolvi trazer essa discussão para o blog e também aproveitar para batermos um papo sobre autoestima.

ser bonita é uma escolha

Vamos por partes: sou a quarta filha (de seis) eu sempre fui a mais obesa, existe uma tendência grande na família, mas eu sempre fui a maior. Assim como muitas de vocês eu também enfrentei piadinhas, preconceitos e restrições alimentares em casa, tudo com a desculpa que era para o “meu bem”. Aos 12 anos em minha segunda dieta no médico eu já tinha 98,800 e desde então eu nunca mais vi os tais dois dígitos na balança e nem anseio por eles.

Embora o mundo ao meu redor me falasse o tempo todo para emagrecer, em casa, na escola e até na igreja… Eu mesmo sabendo que eu era diferente da maioria, eu não conseguia odiar minha imagem, quando eu tinha uns 14/15 anos eu comecei a sair à noite e no meio boêmio alguns carinhas começaram a me chamar de linda, estranho, pois eles diziam o contrário de todo mundo. Confesso que os dois primeiros eu duvidei, mas depois pensei melhor e aprendi aceitar os elogios, e elogiar o bom gosto deles hahaha.

Já nessa época eu era leitora assídua da revista hoje extinta Carícia e para minha surpresa, a capa de uma edição tinha uma gordinha linda com dois carinhas, na matéria dizia que era possível ser feliz e amada sendo gordinha, foi sem dúvida um marco para mim, foi a primeira vez que eu tive contato com uma matéria que dizia o que eu já sentia e nunca tinha ninguém concordado comigo até então.

Não consigo mensurar uma data exata, ou um momento certeiro que comecei a me achar bonita, mas tenho certeza que ler aquela revista fez grande diferença na minha autoestima de adolescente, com ela eu tinha uma comprovação em mãos que eu não estava sozinha, que existia no mundo mais meninas gordinhas felizes e bonitas. Se eu precisar definir o marco do meu descobrimento de que a Beleza é Sem Tamanho, seria este quando eu tive pela primeira vez a sensação de representatividade, acho que antes desse momento por mais que eu gostasse do que o meu espelho me mostrava, eu não tinha forças nem argumentos para dizer isso a ninguém. Mas mesmo assim, foram muitas dietas ainda depois disso, mas eu não tenho em mente um momento que eu tenha odiado meu corpo, odiava o fato de nada me servir e ter que usar roupas feitas por costureira que não combinavam com a minha idade.

Muitas vezes eu credito o meu amor próprio também a minha rebeldia hahaha, todos diziam que eu não podia isso ou aquilo, que eu era feia e deformada. E eu me sentia desafiada a mostrar que eu podia sim, na verdade até hoje, pois incrivelmente eu ainda esbarro em preconceitos e em julgamentos. Só que quando a gente se ama e se sente maravilhosa o mundo também fica mais bonito com a gente, e quando aparece alguém inconveniente uma resposta cheia de autoestima o espanta.
Eu poderia ter escolhido acreditar no que o mundo ao meu redor me via, mas ser bonita é uma escolha que qualquer uma de nós deve ter e não me arrependo disso. <3

Hoje sei que meu blog, já foi para muita gente o que aquela revista foi para mim, e isso é sem dúvida a coisa mais gratificante da minha vida.

Mas quero convidar todas vocês para este mesmo exercício de memória que eu fiz, vocês sabem dizer quando foi que se descobriram bonitas? 

31.03.15

Pode Me Chamar de ENORME, IMENSA, OBESA…Só Não Esqueça do MARAVILHOSA!!!

Engraçado como nossa mente funciona, estava lembrando de uma pessoa que quase morreu por causa de um coágulo no cérebro, ficou meses entre a vida e a morte e quando me reencontrou berrou:

– Nossa você está ENORME. – em pleno mercado, kkkkk…..eu já chamo atenção naturalmente, mas naquele dia TODO MUNDO em volta ficou me encarando, mas eu, sempre pensando nos outros antes de mim, com dó do estado dela, ainda em recuperação, relevei e simplesmente perguntei docemente com um sorriso: – E você como está? Fico feliz com sua recuperação, tenha um bom dia.

Obesa Bottero

Será que as pessoas não conseguem pensar um pouquinho antes de falar não? Ou lembrar que gordo também tem sentimento? Não é porque sou gorda que obrigatoriamente terei estrutura para aturar falta de tato alheio…as pessoas não tem a mínima consideração, nem noção de peso, volume, educação, respeito….A verdade é que o mundo ainda não se acostumou com os obesos.  Hoje mesmo ao marcar um exame a atendente perguntou meu peso e quando eu falei, ela disse: – Não, Senhora, eu estou perguntando seu peso, não a sua altura….juro que minha vontade foi gargalhar muito, se eu não estivesse sentindo tanta dor, teria rido muito….eu respondi: – Mas esse é meu peso….acho que ela se confundiu porque eu falei os dígitos individualmente para que as pessoas a minha volta não prestassem muita atenção no que eu estava falando…

Em coisas simples vemos isso, por exemplo, já viu alguém lembrar de verificar as medidas da blusa dos gordos da equipe quando rola alguma campanha ou distribuição de camisas promocionais, de brinde, ou coisa similar na empresa? Os magrelos sem noção acham que todo gordo veste GG! E vamos combinar né, os fabricantes de camisa só fabricam pensando nos gordinhos baixinhos e sem peito! Eu não sou muito alta, tenho 1,68, meu peso tem 3 dígitos e sempre me sinto como uma criança que herdou a blusa de alguém magro e baixinho, mesmo usando a técnica obesa universal de alargamento de blusa com joelhos….fica curta e esgarçada no busto, sempre! Eu odeio quando tenho que usar essas blusas em algum evento ou campanha, é simplesmente um horror pra mim!

Nesses momentos, mais do que nunca vejo que de fato o mundo é pequeno demais pra mim sabe? Fazer o que? Sou muito grande mesmo, tenho de quadril quase a altura da minha mãe, ainda bem que ela é baixinha. E levei um tempinho para aceitar isso, sabe? Até que vi uma foto minha de costas, tirada em um evento plus size e demorei para me reconhecer por causa do quadril…não sabia que eu tinha tantas polegadas rssss….busto então, melhor nem mencionar….mas quer saber uma coisa?  Cada polegada, centímetro meu um dia fará um sortudo mais feliz do que ele jamais foi! E não me envergonho ou escondo, até porque, eu, uma pessoa de PORTE, não conseguiria me esconder, nem se eu quisesse.

Então, pode me chamar de ENORME, OBESA, falar que sou MUITO GRANDE…eu sou mesmo!! Tenho coxas que mais parecem um pernilzinho, barriga fofa como travesseiro, bumbum que vive derrubando as coisas de mesas e prateleiras quando passo com descuido em lugares estreitos e um belo e macio colo queen size…E quer saber? Não me envergonho nadica de nada disso!!! Não sou menos mulher, menos capaz de fazer um homem feliz ao meu lado por ser assim linda do jeitinho que sou, pelo contrário, eu sei muito bem quem eu sou e o quanto eu posso fazer alguém feliz e realizado ao meu lado, portanto, se você é insegura com suas 3 celulites em cada coxa e 2 em cada banda da sua região glútea não venha querer se comparar comigo, minha querida, pois não é a minha celulite que define minha autoestima, meu amor próprio, minha segurança e autoconfiança. Mas, a mulher maravilhosa que sei que sou e admiro quando olho no espelho.

Nem Botero poderia me fazer melhor!

 

Beijos Queen Size,

Claudia GorDivah

25.03.15

Paquerando a Gordinha – GorDivah No Ar

Coloca o fone e aumenta o volume, porque estava quase sem voz quando gravei este de madrugada.

Vocês concordam que é difícil para os fãs de gordinha nos paquerar? Alguns me disseram que as gordinhas não dão bola pra eles, que não acreditam que eles estejam interessados nelas. Outros desabafaram dizendo que ficam um tempão olhando pras gordinhas e elas não dão nenhum sinal para eles, que estão interessadas. Sabe, muitas moças às vezes me falam que as pessoas ficam olhando pra elas e elas acham que estão olhando de modo negativo, com preconceito. Mas vocês já pensaram que pode ser justo o contrário, que podem estar te olhando porque te acharam bonita,  curtiram seu estilo, adoraram seu jeito de andar, sorrir, colocar o cabelo atrás da orelha e se interessaram porque te acharam maravilhosa?

E vocês? Como reagem quando são paqueradas?

 

 

 

 

Beijos Queen Size,

Claudia GorDivah