10.03.15

“A beleza está nos olhos de quem vê”

 

espelhoerosaIsso é uma verdade, mas infelizmente não podemos esquecer que muitas vezes nossa cabeça acaba sendo programada para só aceitar um tipo de beleza. De tanto ver mulheres magras, altas, de pele branca, levemente bronzeada, olhos claros, cabelos lisos e loiros, feições finas, seios grandes, quadris estreitos e barriga reta, sempre sendo tidas como as mais belas, as mocinhas nos filmes, as princesas dos desenhos, as bonecas que compramos (na minha infância lembro de não existir boneca negra, minha mãe penou para achar uma pois minha irmã insistia que queria negra) em toda capa de revista estava lá, uma modelo padronizada, apresentadora infantil? Padronizada!
Como crescer aceitando que o que foge aquele padrão é belo?
O mundo parece querer nos provar que isso é o certo, e que se algo parece ser bonito e foge aquele padrão, é chamado de beleza exótica, não pode ser simplesmente belo.
Quantas gordinhas não ouvem: – Como você tem um rosto bonito! (como se a frase ficasse no ar, sem o complemento: – pena que está neste corpo)
A sociedade não permite que sejamos bonitas por inteiro, mas sabem qual o maior problema? Muitas de nós não nos permitimos também.
A verdade é que a maioria dos seres humanos, de fato, jamais se enquadraram em um padrão tão definido, tão bem delimitado de beleza. Não falo isso pelas gordinhas, falo pelo todo. Pois é inatingível, não é viável e muito menos saudável.
Me chateia muito quando vejo que hoje todas as mulheres usam cabelo liso, não tem espaço para diversidade, é a escravidão da chapinha.
Me pergunto o motivo disso, e infelizmente só existe uma resposta: fomos ensinados a sermos infelizes.
Aprendemos que temos que ser feliz acima de tudo! E logo começa, para ser feliz você precisa: ser bonita, ganhar dinheiro, espelhocasar, ser uma profissional de sucesso, ter filhos, ser boa esposa, ser boa mãe, continuar bonita, ter roupas que estão na moda, ter casa própria, ter faculdade, ter pós graduação, falar outras línguas, conhecer outros países ….
De fato, se repararmos tudo leva ao consumo, e um consumo desenfreado, pois sempre precisamos de mais alguma coisa, nunca somos bons o bastante.
O grande lance e nos depararmos com nosso espelho e refletirmos, não apenas nossa aparência, mas todos os velhos conceitos, todas essas coisas que foram enfurnadas em nossa cabeça sem que tenhamos nem se quer tempo de decidir se queríamos ter escutado, refletir os valores que recebemos, as coisas que a mídia nos passou, nossos ideais infantis e concluirmos que crescemos.
Sim, nós crescemos e estamos livres para redesenhar da nossa maneira, passando uma borracha em tudo, o que para você de fato importa? O que de fato é bonito? O que você tem de bonito? O que você acha que precisa melhorar? O que de fato te faz sorrir? O que de fato te faz feliz?
E assim teremos pessoas lindas, pessoas autenticas, que se amam e que resistem as duras criticas do mundo.


Cleide é uma terapeuta louca por animais, que adora se maquiar, embora tenha preguiça

É uma hippie chique que ama tanto o mato como a moda.

Noiva nos preparativos do “grande dia”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *